Hugh Jackman fala sobre passar as garras do Wolverine adiante

Antes de ser o Wolverine de X-Men, em 2000, Hugh Jackman era um ator australiano sem grande projeção internacional. Hoje, ele é um dos dez atores mais bem pagos de Hollywood. A influência do Carcaju da Marvel nessa mudança é inegável.

Se o Wolverine foi provavelmente o personagem mais importante da carreira de Jackman, estaria ele pronto para pendurar as garras e ver outra pessoa interpretando o personagem? O ator respondeu essa pergunta hoje, em entrevista ao Belfast Telegraph:

[quote]

“Wolverine é como o James Bond. Esses papéis são maiores do que eu como um ator. Viverão para sempre e me ultrapassarão. Alguém vai assumir o papel e eu estarei na casa dos velhos, mostrando meus velhos filmes e dizendo pra quem quiser ouvir que eu era muito melhor como Wolverine do que quem quer que esteja interpretando na época”

[/quote]

Não deixe essa postura tranquila do ator te enganar: ele não pretende largar o osso tão cedo. Na mesma entrevista, Jackman aproveitou para elogiar seus companheiros de elenco em Dias de um Futuro Esquecido, novo filme dos X-Men, e disse estar disposto a continuar no papel por mais algum tempo: “Vocês talvez fiquem surpresos ao ouvir isso, mas eu estou adorando [fazer Dias de um Futuro Esquecido] e me sentindo rejuvenecido pelo filme. Por mim, e eu tenho ciência de que existem poderes maiores do que os meus nessa decisão, a questão se resume a: eu tenho algo a mais para oferecer? Existe algo diferente que podemos explorar? Tem alguma razão para contar outra história? Sem isso, eu não faço“.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...