Review | White Collar 3×03: “Deadline”

  Leandro de Barros  |    domingo, 26 de junho de 2011

Review do terceiro episódio da terceira temporada ( 3x03 ) de White Collar, chamado "Deadline". Com Matt Bomer, Tim DeKay, Tiffani Thiessen, Willie Garson, Marsha Thomason, Sharif Atkins e Hilarie Burton.

Na review do último episódio, eu disse que não acreditava que teríamos mais atenção aos coadjuvantes de White Collar. No episódio seguinte, provei estar errado, com um episódio praticamente só para a agente Diana. Atenção, spoilers abaixo!

“Deadline” é o típico episódio pra encher linguíça. Dá uma pequena continuidade na trama, mas o principal foco é o caso da semana que, por acaso, foi bom e mal.

Foi bom pela diferenciada. Diana (Marsha Thomason) teve tanto tempo de tela quanto Neal (Matt Bomer) ou Peter (Tim DeKay). o que é um caso (quase) inédito na série. Só me lembro do episódio-flashback onde mostrou a relação da Kate (Alexandra Daddario) com o Neal na segunda temporada.

No caso da semana, o Departamento de Crimes do Colarinho Branco foi designado para proteger uma jornalista que estava sendo ameaçada de morte. Não acho que seja um caso para esse departamento em específico, ainda que a jornalista estivesse preparando uma matéria contra uma multinacional farmacêutica corrupta. Proteção não é bem a função deles, né? Mas posso estar falando besteira.

A jornalista, interpretada por Jayne Atkinson, não queria proteção. Então, Diana foi infiltrada à uma entrevista de emprego para ser assistente da tal jornalista que, como chefe, justifica a ameaça de morte.

O caso desenrolou-se praticamente sozinho, sem ser precisa a ajuda de Neal e Peter. Os dois foram, na verdade, coadjuvantes do episódio, participando apenas para descobrirem o nome do remédio que a farmacêutica estava trabalhando e ajudarem em pequenas tarefas de Diana. Nem mesmo a agente do FBI participou efetivamente da investigação. Ela apenas ganhou a confiança da jornalista, salvou-a num encontro com uma fonte e depois prendeu o “vilão” no fim. O que não é pouco, mas não envolve um super trabalho de investigação.

Na “trama da temporada”, Peter pediu para Diana traduzir do alemão as obras que estão naquela lista encontrada. Neal suspeitou de algo e foi à casa dde Diana com Sarah (Hilarie Burton) para um jantar e tentar descobrir algo, mas não conseguiu. No fim, a lista traduzida foi para DC com a Agente Matthews, a loirona do episódio anterior. Ponto para Peter.

Acho muito interessante essa disputa entre Peter e Neal que está se formando na temporada. No primeiro episódio Neal conseguiu eliminar a “prova” (o pedaço do quadro) que Peter possuía, enquanto Peter conseguiu a lista parcial das obras. 1 a 1.

No segundo, Peter conseguiu descobrir a existência da lista, além de evitar que Mozzie (Willie Garson) vendesse o Degas (não foi dito explicitamente se ele impediu ou não, mas podemos presumir que sim). 2 a 1 Neal.

Nesse episódio, Peter consegue traduzir a lista e enviá-la para DC sem que Neal ou Mozzie interceptassem-na. 2 a 2. Quem vai marcar semana que vem?

O episódio marcou também a volta de Sarah para o destaque da série. Ela que mal apareceu no primeiro episódio e nem foi citada no segundo, teve bastante tempo de tela nesse, pra nossa alegria. Elizabeth (Tiffani Thiessen), por sua vez, apareceu numa cena de 10 segundos no máximo. Até Jones (Sharif Atkins) teve mais importância. Esperemos por um episódio para cada um deles nessa temporada, bem como um pro Mozzie também.

Ainda em relação a Diana, achei simplesmente sensacional a forma como foi tratado o relacionamento dela com Christie. Alias, desde sempre White Collar trabalhou com a homossexualidade de Diana de forma absolutamente natural e elegante. Sem piadas, sem momentos educacionais, sem velhos clichês. A melhor maneira, na minha opinião, de minar o preconceito é dessa forma: mostrando uma personagem forte, competente e que é gay. A homossexualidade é uma coisa natural e não é preciso fazer um carnaval em cima disso. Nem pro bem e, muito menos, nem pro mal. White Collar foi muito inteligente ao respeitar a inteligência do seu público nesse ponto. Aliás, agora que me lembro que o próprio Matt Bomer é homossexual. Era de se esperar essa sensibilidade pra tratar o assunto.

E é isso. Na próxima semana teremos o episódio “Dentist of Detroit“, que vocês podem conferir a promo abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=htAOjvbqYgE

Pra saber o que aconteceu nos episódios anteriores:

Review | White Collar 3×01: “On Guard”

Review | White Collar 3×02: “Where There’s a Will”


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários