Review | White Collar 3×06: “Scott Free”

  Leandro de Barros  |    quarta-feira, 20 de julho de 2011

Em um episódio razoável, White Collar retoma, em parte, sua trama central da temporada e apresenta um novo personagem com alto potencial de retorno.

Em um episódio razoável, White Collar retoma, em parte, sua trama central da temporada e apresenta um novo personagem com alto potencial de retorno.

Um novo ladrão chegou à cidade! Em “Scott Free”, o Scott do título é um jovem rapaz que, impressionado com suas habilidades, começa a roubar de gente muito rica e doar o dinheiro para instituições de caridade. Em primeira análise, pensamos nele como um Robin Hood moderno (inclusive, é esse o apelido que ele ganha do FBI, “Robin Hoodie”, por causa do capuz que ele usa). À princípio o personagem causa uma animação em Peter (Tim DeKay), por causa de sua esperteza, e um misto de ciúmes em Neal (Matt Bommer). Nada muito sério.

Sinceramente, eu achei Scott um ótimo personagem. Seria muito interessante tê-lo mais vezes na série. Ele pode ser impulsivo, um pouco inexperiente, mas tem algumas habilidades e poderia trazer um pouco de novidade à tela de White Collar.

Infelizmente, logo a novidade perde força e o verdadeiro “vilão” do episódio é revelado. Carslile é um ricaço, sempre suspeito de fraudes, mas nunca nada foi provado. Scott roubou um corsete de diamantes que Carslile tinha roubado antes. Agora, o cara está atrás do jovem Robin Hoodie e é aí que Neal e Mozzie entram.

No começo, a função deles era ajudar o FBI pra capturar Scott, mas depois eles começam a agir como mentores do rapaz, tentando ajudá-lo a se livrar de Carslile e “tomar juízo”. No fim, eles, com uma ajuda de Sarah (Hilarie Burton), conseguem fazer o FBI prender Carslile e Scott acaba se entregando.

O caso da semana foi interessante, mas pareceu mais uma introdução à Scott. Os roteiristas e produtores devem querer usá-lo novamente, essa foi a impressão que tive. A história sozinha não se sustenta, mas se servir de prelúdio para o personagem, ganha outra visão.

White Collar nunca foi uma série de falhas gigantescas. Teve seus problemas com os efeitos especiais, é verdade, mas normalmente ela é uma série bem coerente. Nesse episódio, porém, existe uma falha gigante. Na tentativa de criar uma confusão para Scott poder fugir, Mozzie liga um aparelho à um caixa eletrônico para que este solte dinheiro, atraindo uma multidão. Até aí ok. O problema é fazer isso sem nenhuma máscara nem nada do tipo e ainda ficar lá parado. Nós somos obrigados a acreditar que nenhuma câmera, no meio de Nova York, num caixa eletrônico viu o Mozzie ligar um aparelho que fez soltar dinheiro? E ele ainda ficou lá de braços cruzados! Meio difícil de perdoar.

Na trama da temporada, finalmente tivemos avanços. Mozzie conseguiu um homem que vende novas identidades praticamente perfeitas. O homem conseguiu as certidões de nascimento e passou a cuidar delas como se fossem de pessoas reais. Criou contas em bancos, faculdade, biblioteca, tudo. Criou vida para aquelas certidões e, depois, passou a vendê-las. Mozzie e Neal compram duas. O baixinho será Bob, só Bob. Já Neal será Victor Moreau. É, o mesmo sobrenome do seu amor, Kate (Alexandra Daddario).

Enquanto eles não conseguem a lista das obras que Peter e o FBI possuem, os dois golpistas estão planejando sua fuga aos mínimos detalhes. O problema é que Sarah viu a nova identidade no quarto de Neal. E agora?

Episódio quase sem participação de Elizabeth (Tiffani Thiessen), Diana (Marsha Thomason) e Jones (Sharif Atkins). Veja a promo do próximo episódio:

Pra saber o que aconteceu nos episódios anteriores:

Review | White Collar 3×01: “On Guard”

Review | White Collar 3×02: “Where There’s a Will”

Review | White Collar 3×03: “Deadline”

Review | White Collar 3×04: “Dentist of Detroit”

Review | White Collar 3×05: “Veiled Threat”


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários