Review | The Walking Dead 2×04: “Cherokee Rose”

  Eder Augusto de Barros  |    quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Um grande quarto episódio, bem diversificado e ao mesmo tempo praticamente dedicado a um personagem, que a cada semana está melhor e se tornando cada vez mais indispensável à série.

Que episódio meu amigo, a cada semana tenho mais a certeza que a formula do sucesso de Breaking Bad está sendo usada aqui, a densidade e tensão dos episódios a cada semana me faz lembrar muito do outro grande sucesso da AMC. Mas bem, falaremos de Walter White outro dia, hoje vamos falar de Daryl e o resto, já que assim foi o episódio, tem spoiler cara pálida…

Esse episódio foi feito para o Daryl, e foi bom, eu pelo menos constatei que ele é o melhor personagem de todo o elenco, eu já meio que gostava dele desde o primeiro envolvimento em larga escala na série, que foi no 3º episódio da primeira temporada, quando ele, Rick e T-Dog vão a procura de Merle, ali já deu para perceber que o Daryl era um grande personagem, e só tem evoluído a cada semana. Ele é do tipo que não tem como você não gostar, não é propriamente um herói, mas isso não muda em nada para ele.

…eu acho é que ele (Deus) tem um senso de humor muito estranho! – Grimes, Rick

O episódio teve muitas coisas acontecendo em simultâneo, a divisão de tarefas pela busca de Sophia, as conversas de Rick e Hershel sobre ficarem na fazenda, sobre religião, sobre Deus, o zumbi morfético no poço, que foi uma estupidez nojenta só para não dizer que não teve nenhum zumbizinho, e pontapé inicial para Maggie e Glenn, e que pontapé meu amigo, dá-lhe coreano! A tão comentada gravidez da Lori, bem que o Frank Darabont disse que esse assunto seria tratado tão rapidamente e sem enrolação, foi tão rápido, que não conseguiu nem ser o destaque do episódio.

A cena de Rick dando o chapéu para Carl foi sensacional, por toda a simbologia que o gesto tem para os leitores das HQs, mas o destaque fica mesmo por conta dos atos com Daryl, sair sozinho a procura de Sophia.

Uma coisa engraçada aconteceu, o Leco tava vendo o episódio enquanto conversavamos pelo skype, e na parte onde o Daryl entra na casa abandona o Leco me diz: “Aquela casa é do Merle né?”. Eu que já tinha visto o episódio não liguei no primeiro momento, aliás, não sei o porque da conclusão tão precipitada, mas quando ele citou o Merle eu logo lembrei do que ele comentou sobre Merle com a Carol no fim do episódio, que por sinal foi uma cena emocionante, ele explicando a história das Rosas das mães Cherokees, só que ai o quebra-cabeça todo encaixou, quando ele sai da casa, são duas rosas, mas ele só leva uma para a Carol, e outra era para ele provavelmente, e realmente tenho uma surpresa quando vejo a promo do próximo episódio, é meus amigos, provavelmente teremos Merle in the house.

Sem esticar isso por muito tempo, e resumindo a situação, um episódio esticado, denso, e porque não, inspirador e motivador para o que vem por aí, só acho que a Maggie (Lauren Cohan) poderia ter os peitinhos exibidos, fato.

Veja a promo de “Chupacabra” o quinto episódio da segunda temporada:

http://www.youtube.com/watch?v=CVEd3aDQPQk

Últimas reviews:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários