Review | Person of Interest 4×16: “Blunt”

João Paulo

  quarta-feira, 04 de março de 2015

Review | Person of Interest 4×16: “Blunt”

O novo episódio de POI começa a moldar vários arcos para compor sua reta final. Plus: O primeiro confronto direto entre Reese e Dominic finalmente acontece, além de um retorno de um personagem que não víamos desde a segunda temporada.

poi 4x16

Bom, chegamos ao terceiro episódio após o arco “The Cold War” e já estou preocupado que a série apresentou apenas um ótimo episódio (o anterior a este “Q&A”), mas dois episódios bastante comuns, e este é o caso do novo episódio “Blunt”, que mesmo trazendo “Brothehood” de volta ao contexto, ainda carece de um bom polimento e emoção, tendo apenas duas partes realmente importantes que apontam boas possibilidades para o futuro da série.

É claro que POI passa por um momento de desenvolver melhor as narrativas antes de elas evoluírem para algo mais definitivo e eletrizante, mas não há como negar que um episódio alardeado como este, resulte numa trama principal muito simples e pouco imaginativa. A história em si envolve duas novas vítimas, Harper Rose e Trey Wender, a primeira uma ladra esperta que costumava dar golpes e vender maconha medicinal no campus, o segundo se envolveu com Harper e acabou no meio da confusão que ela arrumou se tornando alvo da gangue “Brotherhood”.

O maior problema que vejo no episódio se origina exatamente na POI da semana, só para deixar claro eu até gostei da personagem vivida pela atriz Annie Llonzeh (Arrow) e até espero que ela volte no futuro, mas aqui em “Blunt” ela torna o trabalho de Reese e Finch meio que obsoleto, praticamente ela lida muito bem com “Brotherhood” (tanto que isso a coloca no radar de Dominic) e os bandidos do cartel mexicano, além de enganar o John por várias vezes na narrativa, ou seja, a personagem transita muito bem entre o território “badass” e personalidade “chata” em diversos momentos.

O estranho disto tudo é que temos aqui a segunda personagem seguida em dois episódios que se mostra independente e astuta, porque Anne Mueller do episódio “Q&A” (4×15) também tinha o mesmo perfil esperto de Harper, só não era tão inteligente quanto à ladra aqui. Fico com a impressão que na tentativa de suprir a falta da Shaw, os produtores resolveram tentar recrutar possíveis personagens recorrentes para ocupar o lugar dela enquanto a atriz Sarah Shahi não retorna para série, espero que seja somente isso, impressão, pois no momento não sei se é preciso apressar tanto na escolha de uma substituta para Sameen.

A narrativa principal fica interessante mesmo quando Reese toma a frente do caso e tenta limpar a dívida de Harper com a gangue “Brotherhood”, o que nos leva há um dos melhores momentos do episódio, o encontro entre Dominic e o “Man in the Suit” ou detetive Riley. Devo dizer que a cena foi bem clássica, dois personagens importantes se encontrando em uma lanchonete ou restaurante, trocando indiretas, negociando e mostrando seu poder bélico, no caso de Dominic (ao que parece o ator se mostra cada vez mais a vontade com o personagem), seus capangas da “Brotherhood” e no caso de Reese, seu parceiro Fusco.

Este encontro marca aqui o começo de uma rivalidade que tende a crescer bastante e deve se intensificar ainda mais quando Elias entrar neste jogo também. O resto do plot se resume no sequestro do segundo POI do episódio e ainda na execução do plano para resgatá-lo, nada muito emocionante, uma conclusão sem grandes reviravoltas. Do outro lado da narrativa focado no subplot envolvendo Root, as peças se movem devagar, mas ainda assim trazem questões bem mais intrigantes do que se podia imaginar.

Desde que Root voltou no final do episódio anterior, a personagem tem retomado as missões secretas para “machine”, aqui em “Blunt” a personagem ainda está sofrendo com a perda de Shaw, como fica evidente na conversa franca que teve com Finch, ela se mostra ainda machucada e irritada por ele estar evitando falar sobre a tragédia. No entanto a hacker ao menos começa a trabalhar em prol derrubar o “Samaritan” novamente o que é bom para equipe e para série também.

Toda a história da “machine” estar interessada em desenvolver um aplicativo para chamar atenção de uma empresa de software foi muito bem inserida na narrativa deixando o expectador curioso até os minutos finais. Aqui o roteiro se torna esperto ao esconder o nome do chefe da tal empresa até a última cena, devo dizer que mesmo sabendo que o personagem iria aparecer, me surpreendeu mais o modo como ele apareceu, sendo assim o retorno do POI Caleb Phipps (aquele brilhante nerd do episódio “2πR”) como chefe da empresa em que Root vendeu seu aplicativo (e agora vai trabalhar), abre as portas para diversas possibilidades, principalmente pelo fato dele estar desenvolvendo um novo software de segurança que provavelmente chamou a atenção da “machine”, resta saber se isto será importante na guerra contra “Samaritan”.

Desta forma chegamos à conclusão de que “Blunt” mesmo trazendo o bem vindo retorno do plot da gangue “Brotherhood”, não conseguiu ser tão interessante quanto se esperava, o episódio não chega a ser um dos piores da temporada, mas com certeza não é um dos melhores e a verdade é que Person of Interest estabeleceu um nível muito alto, então quando a série abaixa um pouco o ritmo ela acaba ficando menos interessante. O roteiro assinado pelos sempre competentes Greg Plageman e Amanda Segel, não chega a ser espetacular, conseguindo apenas alguns bons momentos já mencionados na review.

Ainda assim devo dizer que ao menos a narrativa deixa algumas boas possibilidades em aberto, como o fato de Dominic querer recrutar Harper para sua equipe, após ela ter enganado sua gangue, ou Finch ter roubado o anel da moça dando um motivo para ela voltar no futuro. Pessoalmente acredito que se Harold for esperto pode usar a jovem como uma ladra infiltrada dentro da “Brotherhood” quando chegar o momento. Por outro lado à presença de Caleb Phipps mostra que os roteiristas têm alguns trunfos guardados na manga para usarem nestes últimos episódios da temporada, resta saber se isto resultará na derrota do “Samaritan” no final dela, ou ao menos o começo do contra ataque do “team machine” ao seu mais perigoso antagonista.

Observações de Interesse:

Blunt: É o termo usado para definir cigarros de maconha nas ruas da periferia. O termo também se refere a discursos que vão direto ao ponto.

Reese Vs Dominic: A cena do encontro entre John e Dominic, foi inspirada na cena do famoso filme “Fogo Contra Fogo” do diretor Michael Mann de 1995, nesta ocasião parecida os personagens de Robert De Niro, um líder de uma organização criminosa e Al Pacino um detetive da polícia de Los Angeles, se encontram em um restaurante para estabelecer as regras da relação iriam ter.

Mr. Peabody: O Fusco chama Finch por esse nome que se refere ao cachorro falante do conhecido desenho dos anos 50 e 60 chamado “Rocky e seus amigos”. O personagem gerou um filme de animação ano passado chamado “Mr. Peabody e Sherman”.

Caleb Phipps: É mais um personagem que retorna a série, se juntando a Zoe Morgan, Leo Thao  (que anda sumido da série), Claire, dentre outros.

Dra. Tillman: Interessante que Finch cita a doutora em uma conversa com Reese, revelando de onde tirou a receita para John comprar a maconha medicinal. Para quem não lembra Tillman foi a POI do quarto episódio da primeira temporada.

Bear: Nosso mascote voltou a cena dando um trabalho para Finch e comendo seu sapato italiano da marca Bontoni de 1000 dólares.

Dominic: O método de lavagem de dinheiro conhecido com “Gold Farming” usado pelo chefão da “Brotherhood”, era o mesmo usado pelo personagem Leo Thao no episódio “Critical” (2×07).

Curiosidade: O pôster da sala de reunião de Caleb Phipps mostra o símbolo π.

Momentos Reese: Por mais que eu ache que Reese poderia ter feito mais na história, é sempre bom vê-lo em ação batendo em membros da “Brotherhood” e membros do cartel, acho que estão recuperando bastante da personalidade dele como “man in the suit”, este episódio foi um bom exemplo disto.

poi 4x16 01

poi 4x16 02

“Este é meu número para seu chefe quando ele estiver pronto para conversa”

poi 4x16 03

A melhor frase do episódio:

                – “Everything that happened. Is that her name now?” (“Por tudo que aconteceu. Esse é o nome dela agora?”) – Root para Finch

– O novo episódio vai ao ar dia 10 de março.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários