Review | Person of Interest 4×09: “The Devil You Know”

João Paulo

  segunda-feira, 01 de dezembro de 2014

Review | Person of Interest 4×09: “The Devil You Know”

Guerra em duas frentes de batalha! O confronto entre Brotherhood e Elias explode em uma intensa disputa pelo controle das ruas de NY. Plus: O confronto contra Samaritan fica ainda mais perigoso para um dos membros do “Team Machine”.

Invictus Maneo (“Eu permaneço invicto”) – Elias

Agora assim a metade da temporada de POI está realmente pegando fogo, semana passada foi apenas o começo e aqui em “The Devil You Know” temos uma complexa teia de tramas que vão se intercalando durante quarenta minutos trazendo um ritmo alucinante, com poucas falhas e bastantes referências nas entrelinhas. No entanto não há como negar que das duas grandes tramas tratadas neste episódio, aquela que realmente se destacou foi à queda do império de Elias e o resurgimento do personagem como vilão.

Carl Elias sempre foi de longe um dos melhores vilões (senão o melhor) da série, um vilão memorável, inteligente e que deu muito trabalho a Reese e companhia principalmente na primeira temporada. Após sua prisão no espetacular episódio “Flesh & Blood” (1×19), aquele que um dia foi o responsável por trazer o crime organizado para o século XXI governando as ruas de Nova York começou a perder sua força.

O fato é que Elias servia apenas como consultor para Reese e Finch desde a segunda temporada, muito se cogitou que ele já não era mais o vilão de outrora. Depois que a detetive Carter o ajudou a sair da prisão no final da segunda temporada, muito se especulou se este seria o retorno do mesmo a ativa, alguns episódios até mostraram que sua organização estava atuando bem na surdina até chegarmos ao momento icônico dele e seu inseparável parceiro Scarface ajudando a sepultar de uma vez por todas a H.R. matando o oficial Simmons na última cena de “The Devil’s Share” (3×10), mas o problema é que o momento nunca veio e com isto o personagem meio que parou no tempo.

Neste meio tempo, vários vilões surgiram e o mais forte deles Samaritan tomou conta da narrativa de POI, relegando vilões como Elias apenas há algumas participações, mas sem nenhum papel realmente significante, como eu disse ele ajudou bastante Reese e Finch em diversos casos corriqueiros, mas apenas agora na quarta temporada sua história retornou ao foco e aqui no episódio “The Devil You Know” chegamos a fechamento de um ciclo, o fim da organização criminosa que ele deu início lá na primeira temporada, precisamente no sétimo episódio.

Aqui a narrativa é bem nostálgica, trás diversas referências exatamente do episódio “Witness” (1×07) quando Reese ficou basicamente o episódio inteiro protegendo aquele que seria um de seus maiores antagonistas. A situação é basicamente a mesma neste episódio, Reese continua protegendo Elias, só que desta vez não tivemos nenhuma revelação como naquela época, mas o paralelo entre as duas histórias vai de encontro com a extraordinária ascensão da gangue “Brotherhood” liderada pelo jovem e ambicioso, Dominic.

A organização criminosa de Elias sofreu do mesmo mal que as gangues russas, armênias e outras que dividiam espaço pelo controle das ruas Nova York, todos ficaram ultrapassados com tempo e após o fim da H.R. as ruas ficaram menos vigiadas dando espaço para gangues urbanas como “Brotherhood” surgirem e começarem sua escalada rumo ao topo. Aqui em neste episódio Dominic se mostra inteligente, esperto e capaz de tudo para derrubar quem estiver em seu caminho para tomar o controle do submundo da cidade para si.

A trama basicamente é uma caçada urbana implacável com Reese e Finch agindo imediatamente após receberem o número de Elias através da “machine” no último episódio, o que leva o “man in the suit” a proteger nosso poderoso chefão favorito e seu fiel escudeiro Scarface pelas ruas da cidade, levando a locais interessantes que contam um pouco da origem desses personagens.

Antes de aprofundarmos nesta parte da narrativa, vamos falar um pouco sobre outra parte interessante da trama como a fantástica sequência inicial de “The Devil You Know”, que continua os eventos de “Point of Origin” de forma tensa com Martine Rousseau localizando Shaw na loja de cosméticos e iniciando um dos tiroteios mais memoráveis da série até agora, tensão e gritos para todo lado e por sorte Sameen conseguiu escapar com a ajuda de Root (e mais tarde de Fusco), retornando a narrativa depois de um tempo ausente.

Aqui o roteiro assinado pelo sempre ótimo Erik Mountain (dos excelentes episódios “Panoption” (4×01), “Death Benefit” (3×20), dentre outros) consegue tratar muito bem duas narrativas ricas em informações trazendo um equilíbrio entre um arco longo como o de Elias, conseguindo também desenvolver bem este conflito do mesmo com Dominic, além de ainda conseguir preparar o terreno para algo maior com a narrativa secundária focada no Samaritan e sua perseguição a Shaw, que mais do que nunca precisa esconder de Rousseau em seu encalço.

Ambas às tramas trazem conceitos relevantes, diferentes e peculiares, a primeira com Elias tem começo, meio e fim (parcial, mas conclusivo), talvez por isso se saia melhor, porém a trama focada em Samaritan trás respostas importantes e deixa um gancho empolgante para ser concluído no último episódio do ano. Mais uma vez a direção de Richard J. Lewis (que dirigiu o episódio anterior, diga-se de passagem) é precisa e ainda melhor aqui, conseguindo trazer ótimas cenas de ação tanto na cena inicial já citada, quanto na sequência final com Reese encurralado protegendo Elias contra os capangas da Brotherhood.

Falando na gangue uma interpretação da frase que Dominic cita no episódio, resume exatamente trama principal de “The Devil You Know”, “O velho deve dar lugar ao novo”, de tudo que citei sobre Elias no começo, o maior defeito do personagem durante estes anos todos, foi o fato dele ter se acomodado, tanto que a gangue Brotherhood não só conseguiu localizado, como também conseguiu infiltrar e coagir seus aliados para que estes derrubassem e traíssem o chefão. O que nos leva a grande sequência final no antigo orfanato abandonado que não só trás memórias de um passado esquecido como também serve de momento decisivo para a jornada de Elias e Scarface, ou melhor, dizendo Anthony.

O roteiro consegue ser esperto em trazer Dominic e Elias para uma guerra não só física, como intelectual, com o primeiro tentando entender a mente de seu inimigo e o segundo usando de sua sabedoria e esperteza para derrotar o jovem chefão. Era fato que um episódio como este alguém seria sacrificado no processo, mas espero que a série não caia no erro de transformar todos os episódios número 9 em um episódio evento onde personagens tem que morrer, pois, após a trágica morte da Carter na temporada passada, qualquer tentativa de imitar tal evento resultará em um desastre, não que a morte de Scarface tente algo assim, mas quando ela vem nos últimos minutos de “The Devil You Know” parecia algo já aguardado, pois senão fosse ele, seria seu chefe devido a situação que se encontravam.

Perder seu braço direito (e amigo) na guerra contra Dominic foi uma dura lição para Elias e é aqui que o episódio toma uma virada interessante. No começo mencionei que esta jornada seria para concluir a trajetória Carl e seu império que finalmente caiu para dar lugar a Dominic e sua gangue, mas ao mesmo tempo temos aqui a volta do velho Elias que iniciará sua jornada de vingança contra o líder da Brotherhood contando com tudo que restou de seus recursos e aliados.

É neste momento que entra a interferência de Reese e Finch se fez (e faz) importante, para tentar evitar que algo pior aconteça, na verdade o “team machine” em si que neste episódio teve que mais trabalho do que de costume, aliás, vale salientar que as coisas andam bem mais complicadas para o grupo desde que a temporada começou, mas nestes dois últimos episódios a situação ficou literalmente preta e como citei os disfarces da equipe está preste a cair ainda mais com Greer e Rousseau praticamente descobrindo sobre o lado cego do Samaritan que não identifica Finch e companhia, além do que Dominic finalmente virou seus olhos para o real e verdadeiro problema para sua ascensão, o detetive Riley e seus aliados.

Dessa forma podemos notar o quanto Person of Interest é genial, enquanto uma narrativa tratava de concluir a jornada de um de seus personagens mais memoráveis e ainda incendiar ainda mais uma guerra urbana que está longe de termina, outra engrenagem narrativa em paralelo tratava de preparar o terreno para um evento ainda maior com Greer dando a Martine uma equipe de agentes para serem os olhos do Samaritan no que promete ser a mais intensa caça as bruxas da série até agora, começando por Shaw que apesar de ter sido salva por Root e Fusco, se encontra em mais perigo do que nunca ainda que momentaneamente a salvo no QG da equipe.

Sendo assim pode-se dizer que “The Devil You Know” é um episódio magnifíco, senão é impactante como “The Crossing” do ano passado, tem seus méritos por conseguir ser tão eletrizante quanto, trazendo confrontos, situações complicadas para Reese e a equipe, o esperado confronto entre Elias e Dominic, a ameaça implacável da Decima e do Samaritan, a despedida de um dos coadjuvantes mais marcantes da série e é claro uma teia de eventos que promete ficar ainda mais complicada, com todos os inimigos colocando Reese, Finch, Root, Shaw e possivelmente Fusco (esta ficando cada vez mais complicado deixá-lo de fora do confronto com Samaritan) como alvo principal, tudo isso em pouco mais de quarenta minutos de projeção.

O maior mérito do episódio foi conseguir trazer o velho vilão Elias (como pode ser visto na foto icônica acima que compõe esta review) de volta surgindo aqui como um terceiro lado nesta trindade de vilões e talvez o único que não irá atrás do “team machine” (por enquanto), mas a guerra particular contra Dominic fará com que Reese e Finch venham atrás dele, não sei ao certo se será para protegê-lo ou liquidá-lo, pessoalmente acredito que o personagem pode fazer algo bom e algo ruim antes de seu derradeiro fim no meio deste conflito todo, esperemos que nosso coração esteja preparado para tantas emoções que ainda estão por vir.

poi 4x9 1

 Observações de Interesse:

– The Devil You Know: O título do episódio é uma abreviação da frase “better the devil you known than the devil you don’t” (“melhor o diabo que você conhece do que o diabo que você não conhece”), e vai de encontro exatamente ao dilema de Reese e Finch em decidir em que lado ficar na guerra entre Elias e Dominic, é claro que nossa dupla dinâmica escolheu ficar do lado de Elias contra o implacável Mini.

– Dominic Vs Elias: Esses dois travaram uma luta ferrenha no episódio, mas ao mesmo tempo se respeitaram a todo momento. Das diversas comparações que surgiram, temos aqui aquela que retrata a personalidade de ambos, com Mini sendo inteligente, atrevido, cruel e capaz de passar por cima até mesmo dos próprios aliados para subir até o topo da cadeia alimentar. Do outro lado temos Elias, gangster das antigas que sabe que o equilíbrio no submundo é algo importante para manter os negócios, além criar laços de amizades com seus subordinados para superar seus inimigos, não é a toa que o mafioso tem ecos de um Don Corleone pós moderno  em suas veias e não é porque ele tenha origem italiana. Quem vai vencer nesta disputa? Só o tempo dirá.

– Scarface Vs Link:  Como citei, uma das qualidades de Elias é a lealdade a seus subordinados em especial Scarface, tanto que o chefão tentou salvar o amigo por diversas vezes durante o episódio. O mesmo não se pode dizer do Link, que aqui teve a sementinha da dúvida plantada por Anthony em relação à lealdade de Dominic para com ele, aposto que irá acontecer alguma traição entre esses dois em breves. Ponto para os roteiristas por conseguir dar espaço para os dois subchefões das duas organizações se confrontarem daquela forma.

– Scarface (R.I.P.): Depois da dolorosa e repentina despedida de Hersh no final da temporada mais uma vez nos vemos despedindo de mais um coadjuvante marcante de POI, como o agente do lado relevante, o mafioso amigo de Elias se despediu por cima, sacrificando-se para salvar seu chefe de certa forma.

poi 4x9 2

Morior Invictus (“Morte antes da derrota”) – Anthony Marconi

 – Root e Shaw (ou seria Lucy e Ethel): A hacker voltou a tempo de ajudar Shaw escapar e apesar de alguns flertes (os roteiristas precisam decidir logo se vão ou não abraçar esse romance ou não), as duas se desentenderam bastante neste episódio, mas no fim Root levou a melhor por conseguir levar Sameen (contra a vontade) em segurança para o QG subterrâneo no metrô. Obs: A referência que Fusco menciona sobre Lucy e Ethel é de um seriado de comédia da CBS chamado “I Love Lucy” que conta história de duas donas de casa que embarcam em uma aventura inesperada.

Reese e Finch: Muito me espantou o quanto Reese e Finch se importaram com a segurança de Elias neste episódio, não sei se foi por causa da circunstância perigosa, mas os dois se empenharam bastante para salvar o chefão (talvez pagando pelos favores que ele prestou no decorrer desses anos), que no futuro pode acabar sendo um problema para eles.

– Fusco e Rousseau: A cena de Lionel no episódio foi a excelente cena na delegacia quando ele consegue perceber que Martine não é o que parece ser quase fazendo cair o disfarce da mesma, no entanto fico preocupado de deixarem Fusco no escuro exatamente porque se Rousseau descobri um dia a ligação dele com Shaw, Reese e Finch, o policial estará em maus lençóis, será que não seria a hora de revelar a verdade sobre “machine” e o “Samaritan” para ele?

– Referências: Como citei, este episódio tem muitas referências do episódio 1×07 “Witness”, seja pela cena em Reese entrega a arma para ele (“Você lembra-se do que aconteceu da última vez que você me deu uma arma”), ou pelas cenas em “Brighton Beach” com Elias conversando com seus aliados no calçadão ou “boardwalk” (em inglês) e é claro pela cena icônica que fecha aquele episódio remodelado de uma forma diferente neste.

poi 4x9 3

– Gif da semana: Não há dúvidas que Shaw e Rousseau protagonizaram um tiroteio de dar inveja a qualquer marmanjo de filme de ação, então essa gif é mais que merecida.

poi 4x9 4

– Melhores frases do episódios Top 5:

“Guess the young lion is looking to be king.” (“Parece que o jovem leão está querendo ser o rei”) – Reese

“Guy like Elias knows there’s more to playing the game than just money. There’s the game within the game.” (“Caras como Elias sabem que há mais em jogo do que apenas dinheiro. Há sempre um jogo dentro do jogo”) – Dominic para Link

“A question you better ask yourself. ‘Cause someday, you might find yourself sitting in a chair looks a hell of a lot like this one.” (“Uma questão que é melhor você pergunta a si mesmo. Porque um dia, você talvez vai se encontrar sentado com aparência acabada em uma cadeira como essa.”) – Scarface para Link

“Anthony died protecting me. It’s up to me now to make sure that his sacrifice wasn’t in vain. You told me you wouldn’t help me fight a war, John. Well, sometimes a war comes to you. When it does, you can either fight or be vanquished. I’m gonna see that Dominic answers for Anthony. When that day comes, you and Harold would be wise to stay out of my way.” (“Anthony morreu me protegendo. Agora depende de mim assegurar que seu sacrifício não seja em vão. Você me disse que não me ajudaria a lutar uma guerra, John. Bem, às vezes a guerra vem até você. E quando vier, você pode lutar ou ser extinto. Eu vou ver Dominic responder pelo que fez com Anthony. E quando este dia chegar, você e Harold serão sábios em ficar fora do meu caminho”) – Elias para Reese e Finch

“You, Martine, must now be Samaritan’s eyes. So I’m expanding your capabilities. Happy hunting.” (“Você, Martine, terá que ser os olhos do Samaritan. Então eu estou expandindo seus recursos. Feliz caçada.”) – Greer para Martine

– Próximo episódio dia 16 de dezembro, será que sobreviveremos de ansiedade até lá? Espero que sim.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários