Review | Person of Interest 4×01: “Panopticon”

João Paulo

  quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Review | Person of Interest 4×01: “Panopticon”

Depois de alguns longos meses de espera finalmente a quarta temporada de Person of Interest estréia ainda mais sólida, inteligente e dando ênfase nas melhores características que tornam a série tão excelente

poi 4x01 capa

Finalmente, foram quatro longos meses de espera que pareciam uma eternidade para nós fãs de POI, mas como diz o ditado popular “quem espera sempre alcança” e neste caso finalmente chegamos ao dia da estreia da quarta temporada. Depois de diversos momentos de apreensão, teorias malucas e especulações o primeiro episódio vem para responder algumas perguntas deixadas em aberto no sensacional season finale “Deus Ex Machina” (3×23), mas também acrescenta mais algumas incógnitas que provavelmente serão respondidas ao longo desde novo ano.

O episódio “Panopticon” tem como principal função situar o espectador sobre tudo que aconteceu com nossos protagonistas e como o mundo está se comportando agora que Samaritan tomou o poder como principal sistema de vigilância do mundo. Assim como a premiere da terceira temporada, esta age de uma forma cautelosa com a intenção de não revelar muito da trama para não estragar futuras surpresas, mas diferentemente de “Liberty” (3×01), este tem um roteiro mais inteligente e vibrante, focando bastante no “team machine” de forma mostrar Reese e companhia adaptando suas novas vidas sobre olhar implacável do Samaritan, além de introduzir um novo personagem e ainda trazer alguns conhecidos de volta a trama da série.

Para quem não se lembra Root fez toda uma operação para colocar sete chaves de servidores dentro do Samaritan de forma esconder a verdadeira identidade dela e de seus amigos transformando-os em irrevelantes ao olhos da criação de Greer, sendo assim neste novo episódio temos uma visão geral de como as coisas estão funcionando para os nossos heróis. Reese assumiu a identidade de um policial da narcóticos de Nova York, Shaw trabalha em uma loja de comésticos como vendedora de perfume, Finch virou professor universitário (Harold Whistler, mais um sobrenome novo para coleção) e Root que neste caso não foi revelado a identidade que ela assumiu.

Este episódio tem o foco bastante em Reese, assim como no começo da temporada passada, diga-se de passagem, mas aqui o personagem tem bastante espaço para se desenvolver melhor. Ele é o principal motivo que leva o time se unir novamente, e é na sua insistência para com Finch e Shaw, que leva a união do grupo novamente, o “man in the suit” anseia por fazer o que ele nasceu para fazer, salvar vidas e é nisso que o texto do episódio se apoia trazendo o lado herói do personagem à tona. Algo que não é compartilhado por Harold, se recusando a voltar às velhas atividades ainda devido às consequências de “Death Benefit” (3×20) e os eventos do final da temporada passada.

Finch necessita de estímulos durante o episódio, primeiro vindo de Reese e mais tarde com Root servindo de peça principal para sua volta. Falando na hacker, ela e Shaw protagonizaram ótimas cenas juntas, o flerte que rola entre elas continua engraçado e trás boas pitadas de humor para o episódio, agora estamos só esperando eles assumirem um caso logo. Por fora do temos Fusco, que aqui aparece pouco, mais porque o personagem não está muito bem inserido no contexto desta “nova ordem mundial” com uma nova “machine” no controle, dessa forma ele não sabe por que Reese e o resto da equipe pararam de salvar vidas, neste ponto fica evidente que a história não poderá deixar o personagem no escuro por muito tempo, mais cedo ou mais tarde ele terá que descobrir como Finch consegue os tais números, ainda assim o detetive possui uma cena interessante no final com seu novo parceiro, mas logo chegaremos nesta parte.

Voltando a trama do episódio em si, o chamado da “machine” coloca todo time em alerta enviando um novo número depois de um longo tempo em hiatus. POI já mostrou diversas vezes que nada é por acaso na série, o caso da semana com a vítima da vez o comerciante de equipamentos eletrônicos Ali Hasan é proposital para não só colocar o time de volta a ação, mas também para revelar uma forma de comunicação mais arcaica que Finch e companhia poderiam usar para se comunicar sem que o Samaritan descobrisse o paradeiro deles.

O caso não chega a ser dos melhores que a série já fez até agora, mas as ramificações que fluem através dele é que são importantes realmente para o contexto geral da trama. A vítima Ali Hasan vinha sofrendo ameaças de um grupo de traficantes locais que precisavam que ele sincronizasse o sinal de vários celulares usando antenas antigas de forma não terem sua operação de heroína descoberta ou detectada pela polícia.

Este plot serviu no final como já havia mencionado para mostrar uma alternativa de comunicação para o “team machine” na guerra contra o Samaritan. Outro benefício desta trama foi trazer volta Elias para o universo da série, surpreendentemente o Reese sabia exatamente onde achar o seu maior rival (mesmo local em que ele se encontrava com a Carter na temporada passada) e seu inseparável capanga Scarface que até entra em ação para ajudar o John no resgate do filho de Hasan, que aqui servia de moeda de troca para que o comerciante ativasse o sinal de triangulação.

Sendo assim pode-se dizer que “Panopticon” é bem sucedida em apresentar um novo universo a ser explorado nesta nova temporada, este começo mostra que Person of Interest está mais afiada do que nunca, como sempre faz a série conseguiu balancear bastante a trama focada na volta a atividade do “team machine” com o plot principal da guerra com Samaritan, que aqui fica mais em segundo plano, mas mostrando-se mais vivo do que nunca. Não se engane os roteiristas não mostraram todas as cartas, mas deixaram claro que essa nova máquina será um perigo constante na vida de Reese e companhia.

É importante elogiar a parte técnica como sempre faço, a começar pelas animações da série agora adaptada ao ponto de vista do Samaritan (a abertura ficou incrível), mostrando que ficaremos bastante emergidos neste universo, outro ponto importante vem da direção de Richard J. Lewis que apresenta um trabalho sólido, principalmente nas cenas de ação protagonizadas em sua maioria por Reese e Shaw. O roteiro é um caso a parte, assinado por Erik Mountain e Greg Plageman, a escrita aqui se mostra bastante consistente, seja na forma de equilibrar cenas de diálogos mais cômicos, seja para trazer momentos mais dramáticos, com destaque à ótima conversa entre Finch e Root, esta que mostra um amadurecimento ainda maior ao demonstrar para Harold o quanto ele é importante para “machine”.

Ainda sobre o roteiro, este guarda diversas surpresas sutis no episódio, algumas só serão percebidas por aqueles que acompanham a série com afinco, como exemplo a cena final na delegacia com Reese assumindo o posto da Carter como detetive (trabalhando agora de frente para Fusco), a cena não tem quase nenhum diálogo, mas dá para perceber o sentimento e a saudade que John e Lionel demonstram ao se olharem e se lembrarem de quem ocupou aquela mesa.

Este e alguns outros momentos é que fazem Person of Interest essa série tão excelente, aquela que não deixa nenhum detalhe passar despercebido. Dessa forma podemos chegar à conclusão de que “Panopticon” foi à segunda premiere mais sólida de Person of Interest até agora, talvez não seja tão boa quanto a season premiere “dupla” da segunda temporada que ainda é a melhor da série, mas de longe supera o piloto e a premiere da terceira temporada tanto em qualidade quanto em relevância para temporada, não chega a ser um episódio memorável (ele segue a cartilha POI de qualidade, mas sem inovar), mas consegue empolgar para o que estar por vir, deixando diversas pontas e ganchos interessantes.

No final das contas o “team machine” voltou à ativa e a “machine” está mais operacional do que nunca, não só oferecendo alternativas para Finch e o resto da equipe possa trabalhar, mas se preparando terreno para um inevitável novo confronto com Samaritan, que aqui também apresenta suas armas, ativando “assets” ao redor do mundo para eliminar qualquer ameaça ao seu sistema, a nova personagem que aparece na primeira e em uma das últimas cenas deste episódio, promete ser uma vilã memorável, o braço físico desta maligna inteligência artificial aparentemente sem ligações com a Decima e operando no maior estilo Root com propósito para o mal é claro. Mais uma vez é bom repetir, Person of Interest está de volta e podemos esperar uma outra temporada cheia de surpresas, ação, reviravoltas e muitas emoções, espero muito que os roteiristas consigam se superar afinal estamos diante de um novo mundo a ser explorado.

Observações de Interesse:

Panopticon: o enigmático nome do episódio é um tipo de prisão circular com celas projetadas em torno de uma central, dessa forma os prisioneiros poderiam ser observados a todo o momento, esta prisão foi desenvolvida pelo filósofo Jeremy Bentham (clara referência a Lost, coisa da Bad Robot ligar suas séries). Este significado claramente se refere a situação de nossos protagonistas em relação a Samaritan e seus olhos vigilantes e incansáveis.

Martine Rousseau: Dona da primeira cena que abre o episódio, aliada do Samaritan já mostra a que veio eliminando uma possível ameaça. A atriz Cara Buono já participou de seriados como Elementary e The Good Wife, sua personagem promete muitas emoções nesta temporada. Esperando o confronto entre Martine e Root.

poi 4x01

Nessa foto podemos ver os diversos nomes falsos da asset do Samaritan

John Greer: O líder da Decima apareceu em apenas uma cena, mas ao que parece já não está tão insatisfeito com aliança com senador Garrison, mas Samaritan avisou que ainda não é a hora de eliminá-lo.

Nova abertura: A animação oficial ficou tão bem feita que mereça ser vista novamente logo abaixo.

poi 4x01

Elias: Foi bom ver o retorno do mafioso, mas a pergunta que fica é, será que o personagem terá maior participação nesta temporada? Acredito que Reese deva pedir mais favores agora que ele sabe o caminho do covil.

“What your commands for us?”: Esta frase citada por Greer na primeira conversa com Samaritan que ficou no ar no final da temporada não foi respondida neste episódio, ainda estou curioso para saber o que ele respondeu, espero que não demorem a mostrar o verdadeiro objetivo desta máquina para com a humanidade.

– “Good cop, bad cop”: Bela sacada colocar o Reese como detetive e parceiro do Fusco, vai ser divertido ver os dois trabalharem juntos na delegacia, quero ver até quando isso vai durar.

Shaw sob suspeita: A última cena com Shaw aceitando um trabalho aparentemente ilícito, me faz questionar, o que será que a “machine” pretende dando essa atividade para ela?

Momento Reese: A verdade é que teve muito momento Reese bacana neste episódio (aliás achei ação melhor coreografa neste episódio), mas este com ele usando o lança-granadas já é um clássico Reese da série e remete o episódio piloto também.

poi 4x01 2 poi 4x01 3

Novo QG, nova Batcave: Finch decifrou a mensagem mandada pela “machine” que o levou a um local abandonado no subterrâneo de NY, agora assim já podemos chamar POI de Batman, só que não, mas adorei terem arranjado um novo quartel general logo de cara.

Trilha Sonora: O bom da volta de POI e que também temos a oportunidade de aproveitar a sempre ótimas escolhas de som da série, a música de encerramento deste episódio é “I’d Love To Change The World” do Jetta.

Mesh Networking: A técnica utilizada pelo POI Hasan e Finch para sincronizar os celulares é uma técnica de roteação onde as ligações e mensagens dos celulares são mandadas através de múltiplos nós radiotransmissores antes de atingirem seu ponto de destino. Esta informação é transmitida de um nó para o outro que se comunica entre si e compartilham a mesma rede através de uma grande área. Esses radiotransmissores agem como se fossem pequenos roteadores wireless onde um nó é fisicamente amarrado a um modem de internet e conectado a outros nós na vizinhança e pode expandir se houver mais nós na área. Todas as comunicações são enviadas via VOIP.

– O próximo episódio de Person of Interest promete muita ação e novos desafios para o “team machine”, veja a promo abaixo.

https://www.youtube.com/watch?v=L4d5NgQuI64


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários