Review | Person of Interest 1×07: “Witness”

  Leandro de Barros  |    segunda-feira, 07 de novembro de 2011

Conde do Monte Cristo, Traições, Elias e muito mais no melhor episódio da temporada de Person of Interest. Até aqui.

Spoilers abaixo.

Na última review, eu comentei que faltava à Person of Interest um episódio que fosse sensacional, que demonstrasse o potencial da série e que ficasse marcado no telespectador.

“Witness” não é esse episódio. Mas é quase.

O melhor episódio até aqui, sem dúvidas. Não só porque colocou a trama da temporada em primeiro plano. Não só porque Reese (Jim Caviezel) e Mr. Finch (Michael Emerson) perderam uma (como eu disse que precisavam perder pro telespectador não achar que eles são invencíveis), não só porque a Detetive Carter pouco apareceu e não só por causa da participação de Enrico Colantoni, um cara que eu gosto de ver em séries desde que assisti à Flashpoint pela primeira vez.

Claro, tudo isso ajudou muito. O CPF da vez é de um professor que foi uma testemunha (a do título) em um assassinato encomendado pela máfia russa. A Detetive Carter (Taraji Henson) e o Detetive Fusco (Kevin Chapman) investigam o assassinato enquanto Reese fica de tocaia na casa do professor, sem saber que estão trabalhando no mesmo caso. Os pontos só são ligados quando se descobre que o homem assassinado trabalhava para o misterioso Elias, que assumiu o posto de vilão da temporada no episódio passado e já mostrou as garras no terceiro episódio da série.

A partir daí, Reese precisa proteger o homem enquanto a máfia russa estaciona na frente do prédio dele para matá-lo.

Foi incrível como desde o começo nós tivemos plena certeza do porque o CPF ter sido selecionado. Normalmente, sempre fica (nem que seja por alguns minutos) a dúvida se o CPF escolhido é mocinho ou ou vilão. Na verdade, sempre fica a dúvida se vai matar ou morrer. Dessa vez, a certeza de que ele iria morrer era certeira. Só que a gente (pelo menos eu) achamos que ele era mocinho também. A maneira como o Professor acabou se revelando como Elias no fim do episódio me surpreendeu. Não sei se vocês perceberam logo de cara, se eu sou burro mesmo ou o que foi, mas eu fui surpreendido. Claro, gostei da surpresa. O personagem, que estudou seus inimigos por anos através dos seus filhos, ganhou em  complexidade e profundidade numa cartada simples e certeira do roteiro.

Já Reese e Mr. Finch ganharam um oponente à altura. Vou ser sincero, eu acho que o Elias só venceu essa por causa do elemento surpresa. Na próxima, não vai ser tão fácil.

Pra terminar, a cena mais historicamente legal da série: na casa de um dos alunos do Elias, um livro de O Conde do Monte Cristo: O professor pergunta o que o garoto achou do livro e ele responde: “O Edmond é legal. Um sobrevivente, sabe?“. Nisso, a câmera pega o olhar do Reese com um sorrisinho nascendo na boca dele. Sensacional.*

Promo do próximo episódio:

Sem promo no Youtube ainda! :P

Episódios anteriores:

*Pra quem não entendeu a cena, Jim Caviezel viveu o Edmond na mais recente adaptação cinematográfica de O Conde do Monte Cristo :)


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários