Review | Person of Interest 1×05: “Judgement” e 1×06: “The Fix”

  Leandro de Barros  |    domingo, 30 de outubro de 2011

Person of Interest continua acertando em quase tudo que faz, só é preciso que a série de Jim Caviezel e Michael Emerson apresente um episódio acima de qualquer expectativa

Não, não se trata de um episódio duplo, amigos. Se trata do burro aqui que esqueceu de fazer a review da semana passada, então resolveu fazer uma review dupla. E em boa hora, já que Person of Interest vai receber uma temporada completa por parte do canal CBS, anunciada nessa semana.

“Judgement”

Vem sendo complicado falar de Person of Interest. O quinto episódio mostra muito isso (embora o sexto apresente uma solução). A série chegou num ponto que todo americano gosta, mas que nós brasileiros não gostamos muito: a série encontrou um modelo e só conta histórias diferentes nesse modelo, assim como The Mentalist, CSI, Criminal Minds e outras séries antes dela.

Na história de hoje, o filho de um juiz muito honesto é raptado e os sequestradores querem que o juiz inocente uma mulher no caso em que ele está trabalhando para que o filho seja solto. Claro, Reese (Jim Caviezel) e Mr. Finch (Michael Emerson) estão no meio da parada. Reese investigava o juíz (o juiz e o filho tem o mesmo nome = Samuel Gates) achando que era dele o CPF escolhido e não conseguiu evitar o sequestro. Então, sobra aos nossos arautos da justiça a missão de salvar o garoto antes que o julgamento acabe.

Apesar de nenhum avanço significativo na trama da temporada (que ainda não ficou claro qual é a tal trama), nós tivemos um bom episódio. Em termos técnicos, não há muito o que reclamar de Person of Interest. As atuações estão ótimas (com exceção da Detetive Carter), a direção é competente, a trilha sonora é espetacular. Até mesmo os casos da semana estão sendo bons. A série vem funcionando bem, atingido bons números de audiência e tudo mais. O que falta é algo que una todos os episódios, a tal trama da temporada.

Falta isso e falta um episódio que exploda cabeças, chute bundas e que coloque Person of Interest na Liga Especial. Muitas séries tem bons aspectos técnicos mas nunca deixam de ser apenas “boas séries” por falta desse episódio especial. Um exemplo recente: Light’s Out. A série estreou em janeiro desse ano (acho), era ótima, sensacional e tudo mais. Mas faltou ter aquele episódio que nos faz levantar do sofá depois de assistir e falar “AGORA SIM!”, ou melhor, faltou aquele episódio que nos deixa sentado no sofá sem saber o que falar.

É isso que falta para Person of Interest. Agora que ela vai ter 22 episódios, tem muito mais chances de apresentar esse episódio pra gente.

“The Fix”

The Fix foi um ótimo episódio, talvez o melhor até agora, por três motivos: – apresentou uma das melhores personagens da série até agora; – mostrou uma grande sacada dos produtores para o problema da falta de uma trama da temporada; – mostrou o melhor do Mr. Finch.

No sexto episódio, o CPF que a máquina entrega é o de Zoe Morgan (Paige Turco), uma espécie de faz-tudo de poderosos. A moça quebra-galhos sem ser macaca gorda e resolve problemas dos outros, ganhando uma grana e alguns favores por causa disso. No fim de tudo, ela acaba sendo bem influente. Só que o novo trabalho dela (recuperar uma gravação de um poderoso chefe de uma farmacêutica conversando com uma mulher), acaba colocando a vida dela em risco, e a de Reese também.

Vamos combinar: todo o desenvolvimento do episódio foi bem previsível, na falta de uma palavra melhor. Que o caso não era amoroso, era óbvio. Que o velho estava envolvido, tava na cara também. Que a Morgan ajudaria o Reese, idem. Uma das coisas boas foi a tal Morgan. Carismática, larápia, sempre com uma carta na manga, ela é uma espécie de Reese de saias. Uma personagem 50 mil vezes mais interessante que a Detetive Carter e que deveria virar efetiva na série. Vamos fazer uma petição!

Enquanto isso, a Detetive Carter (Taraji Henson) finalmente ganhou um lugar na série. Durante a investigação de um homicídio, ela conseguiu achar evidências que dão proseguimento no caso das evidências roubadas no episódio 3. Assim, agora temos o que parece ser a trama da primeira temporada: uma mulher foi morta por uns mafiosos, o filho dela sobreviveu e andou de orfanato em orfanato a infância toda. Alguém roubou as evidências do assassinato dela e matou o principal suspeito e tudo parece indicar que foi o filho. Assim, enquanto Reese e Mr. Finch se concentram nos casos da semana, a Detetive Carter e o Detetive Fusco vão prosseguir no caso da temporada. Cool!

E falando em Mr. Finch, o cara roubou a cena nesse episódio. Michael Emerson é um ator do carvalho, mas nesse episódio ele foi demais. Foi notável como o Mr. Finch foi se alterando pelo episódio e como a coisa se tornou mais e mais pessoal para ele enquanto a história avançava. E a cena final, no restaurante? Vai ficar marcada na história da série.

PS: Só eu adorei o fato de não ter uma única menção ao o que aconteceu com o cara do episódio 4 em nenhum dos episódios? Melhor assim.

Promo do próximo episódio:

Episódios anteriores:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários