Review | Misfits 3×07: “Episode 7”

Zumbis, cheerleaders, super-poderes e materlos gigantes… Misfits joga todas as suas cartas para agradar os fãs.

Após o sexto episódio dessa temporada, nós vimos uma promo que indicava que zumbis apareceriam em Misfits, para por à prova a teoria de que nada que tenha bacon, ruivas ou zumbis consegue ficar ruim. Não dá pra dizer que Misfits é a exceção à regra, mas também não dá pra dizer que esse episódio lembrou os mais antigos.

A verdade é que essa temporada de Misfits está, simplesmente, um pouco de tudo. Diferente da temporada anterior, dessa vez a série atira para todos os lados em todas as áreas possíveis: existem vários “protagonistas”, várias tramas, vários estilos, várias idéias… é tudo muito, é tudo em grande quantidade e tudo superficial. Ainda não sei dizer se está pior do que antes, mas garanto que está diferente.

Falando sobre o episódio, novamente digo que não dá pra criticar. Nós tivemos uma boa história, bons diálogos e um bom trabalho de filmagem. Acima de tudo, tivemos uma aula de como trabalhar com uma figura sobrenatural, modificando-a e ainda assim conseguindo um bom resultado. Os roteiristas de Misfits pegaram os zumbis, adicionaram consciência e traçaram o paralelo da “zombidade” com o vício em drogas, justamente mostrando uma ex-drogada transformada em zumbi. Adicionaram uma ótima versão ao mito do zumbi. Espero que a dona Stephenie Meyer tenha assistido à esse episódio.

As cenas de caça às zumbis cheerleaders ficaram bem feitas, embora a promo prometesse mais. Quem sabe nós tenhamos a chance de ver mais zumbis na próxima temporada da série? Acho que o destaque do episódio foi o novato na série: Rudy. Finalmente a série utilizou o personagem de uma maneira que faça sumir a sombra de Nathan durante o episódio. Desde o medo dele de cheerleaders, a revelação do porque, a cena com o martelo gigante… o melhor episódio do personagem na série, melhor do que o anterior, “focado” nele.

Simon e Alisha ficaram como coadjuvantes, então Kelly, Seth e Curtis se envolviam no drama do episódio, resolvido rapidamente. Foi bom que a série não enrolou muito no lance “vocês me traíram, como foram capazes?”. Não combina com Misfits e definitivamente não faria bem a série.

O próximo episódio é o season finale. Infelizmente eu tenho de perguntar: qual a história contada nesse ano? A chegada de Rudy? A jornada de Simon em ser o SuperHoodie? O romance de Kelly e Seth? A incrível ausência de poderes dos personagens? Acredito que a resposta seja: nenhuma. Nenhuma história foi contada, apesar de várias terem sido sugeridas. Se eu fosse um dos roteiristas, criava uma saída meio reboot agora no season finale pra começar a quarta temporada como se a terceira não tivesse existido.

Episódios anteriores:

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...