Review | Misfits 3×02: “Episode 2” e 3×03: “Episode 3”

  Leandro de Barros  |    quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Duas reviews de uma vez só! Curtis tenta retomar sua carreira de corredor usando seu novo poder, enquanto Simon cai nas garras de um nerd obcecado com a habilidade de fazer com que tudo que ele desenha aconteça

O meu atraso faz com que a resenha dessa semana seja dupla, acomodando o episódio da semana passada também. Por isso, vamos ser rápidos que há muito o que falar.

Spoilers abaixo.

Episode 2

O episódio pode ser definido como “Curtis”. Focado nele, só falou sobre ele e, na sua essência, foi ele. Se você gosta do personagem, prato cheio. Se não, bem…

Curtis é o cara com o poder mais inútil dos novos. Na review anterior, eu falei sobre o que eu achava que cada poder significava. Na minha teoria, os primeiros poderes eram como cada um se sentia e agora eram baseados no que cada um queria pra sua vida. Curtis quer ser outra pessoa.

O personagem é o mais “largado” dos protagonistas. Primeiro ele tinha uma relação com Alisha, não deu certo. Depois ele teve uma relação com Nikki, mas ela morreu e não deu certo. Agora o personagem está literalmente largado na série, já que ele não pode voltar a correr, não tem uma relação e a única função que tem nos episódios é servir bebida pra galera. É claro que ele gostaria de ser outra pessoa, e acaba sendo por algumas partes do episódio, ao se transformar em mulher para poder correr novamente.

Eis que surge Emma, uma jovem corredora muito bonita e liberal na vida de Curtis. O desajustado acaba se relacionando com a moça como homem e como mulher, gerando algumas piadas sobre sua sexualidade e outras confusões do gênero. Depois da moça achar que ele a traiu duplamente (e com ele mesmo!), o rapaz revela seu poder pra ela após salvá-la do vilão do episódio: o treinador que drogava as moças para depois violentá-las.

O episódio foi morno, como o seu protagonista. Pelo menos, serviu pra levantar algumas questões para o futuro. Agora que Curtis finalmente abandonou o atletismo, o que vai ser dele como personagem? Foi interessante ver também que nem sempre os vilões de Misfits precisam ter poderes. Um dos piores não tinha nenhuma habilidade especial além de escorregar uma pílula para dentro de um copo.

Episode 3

Simon continua sua obsessão em se tornar o Simon do Futuro nesse episódio. Além de praticar diariamente Le Parkour com a sua roupa de super-herói, o personagem acabou virando um nesse episódio.

Após salvar um garoto de um assalto, Simon acabou virando o ídolo desse menino. Até aí nenhum problema, só que o menino também tem um poder, e um dos mais interessantes: tudo que ele desenhar como HQ, acontece. Uma pausa para uma pequena divagação. Eu reparei que até mesmo os poderes dos vilões mudaram de foco nessa temporada. Antes, seguiam o mesmo esquema dos outros: como o vilão se sentia era o seu poder, desde manipulador até controle lácteo. Agora, vai mais pelo que os vilões querem. A loirinha do primeiro episódio guardava grande mágoa e expressava seu poder parando as ações para se vingar. O de hoje, viciado em HQs e obcecado por super-heróis, pode tornar sua obsessão real com seu poder.

O garoto acaba controlando Simon por um tempo, fazendo-o terminar com Alisha e bater em todos os Misfits, incluindo Rudy e Kelly. Não demora muito e o plano é todo desvendado levando ao último ato da HQ: o garoto sequestra Alisha para que Simon possa salvá-la e se tornar um super-herói. Na cena final, os dois estão dispostos a morrer pelo que acreditam. Bem quadrinho mesmo.

Tenho de elogiar a produção da série, que normalmente não tem super efeitos especiais, mas nesse episódio mandou MUITO bem com todo o lance das comics. Primeiro, o artista que fez os desenhos é realmente muito bom. Segundo, os enquadramentos iguais, a alternância entre a cena de verdade e a cena desenhada acontecendo, enfim. Eu gostei muito de como trabalharam visualmente esse poder.

Um relacionamente que vem crescendo como uma plantinha desde o primeiro episódio dessa temporada é o de Kelly com o negociador de poderes. Nós descobrimos que ele era um traficante de drogas antes (e virou traficante de poderes) e causou o vício que matou sua namorada. O cara guarda muita culpa dentro de si mas a solução deve se chamar Kelly. Ou não né? Vamos ver se desse mato sai coelho.

Ah, não posso esquecer de comentar: Rudy está bem engraçado nos dois episódios, principalmente nesse terceiro. Quase dá pra não sentir a falta de Nathan. A cena em que ele usa seu poder na frente do oficial da condicional foi ótima!

Promo do próximo episódio:

Episódios anteriores:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários