Review | Chuck 5×01: “Chuck vs. The Zoom”

  Leandro de Barros  |    domingo, 30 de outubro de 2011

Num episódio que não foi o melhor da história de Chuck e repleto de erros, a série consegue entregar alguns bons momentos e apresentar o que vem por aí na sua temporada final.

A quinta e derradeira temporada de Chuck começa. Mark Hamill, Craig Kilborn, Morgan com o Intersect e o começo do fim da história do nerd que virou um herói e conquistou a garota.

No final da quarta temporada de Chuck, muitas coisas mudaram. A Operação Bartoswki foi oficialmente encerrada pela CIA, Chuck (Zachary Levi) teve o Intersect removido e quase foi preso. O espião conseguiu salvar Volkoff e sua filha Vivian (apesar de que ela foi parar em The Walking Dead, então não foi bem “”salvar””) e recebeu todo o dinheiro do russo de presente. Com a fortuna, Chuck, Sarah (Yvonne Strahovski), Casey (Adam Baldwin) e Morgan (Joshua Gomez) decidiram criar uma empresa de espionagem autônoma. O problema? Morgan acabou recebendo o Intersect por acidente, e agora ele sabe kung-fu.

O primeiro episódio da quinta temporada de Chuck começa alguns meses depois do final da quarta. A Carmichael Industries já está operando, embora sem muito profissionalismo, afinal eles ainda estão trabalhando nos detalhes. O episódio já nos brinda, logo de cara, com a presença de Mark Hamill como um ladrão de quem nossos heróis devem recuperar um vaso. A caricata participação de Hamill (bem ao estilo da série, diga-se de passagem), dura muito pouco, o que é uma pena. Aliás, uma característica desse episódio foi a curta duração das coisas. Nada pareceu bem planejado.

O segredo do plano de Chuck e Morgan durou apenas os primeiros momentos do episódio, o plano de Jeff (Scott Krinsky) e Lester (Vik Sahay) durou segundos (sério. Acabou não estava na metado do episódio e eles nem apareceram mais), a própria missão principal e seu desfecho foram apenas um esboço de uma missão normal (embora eu considere um ponto a favor nesse caso), a presença de Ellie (Sarah Lancaster) durou segundos, a inveja de Chuck por não ter o Intersect. Enfim, todo o episódio foi composto de diversos aspectos.

Jeff e Lester e todo o núcleo da Buy More já renderam ótimas cenas na série. Em algumas temporadas eles realmente seguraram o rojão de ser a parte cômica da série, enquanto a presença de Chuck era quase puramente dramática, porém eles foram completamente desnecessários hoje. O tal plano surge de lugar nenhum e acaba da mesma maneira. Literalmente dura o tempo do Chuck e do Morgan irem da porta da Buy More até o stand da Nerd Herd. Foi um tempo de tela que seria muito melhor utilizado em outros núcleos.

Mas você se engana se o episódio foi completamente ruim. A série  se apoiou na química apurada do seu elenco para criar algumas boas cenas que divertiram, tanto na parte da comédia, quanto na ação. Se a belezoca da Yvonne esteve mal (linda e gostosa, ok, mas completamente fora do tom na atuação),  a dupla Chuck e Morgan mandou bem. Morgan como o novo Intersect está irritantemente engraçado. Ou ele manda mal demais ou ele encaixa um improviso que salva a missão, ficando super-orgulhoso e mandando mal demais depois. Já Chuck, depois de passar o episódio inteiro sentindo um pouquinho de inveja e vulnerabilidade por não ter o Intersect, acaba aceitando seu papel de líder do time e foi a melhor parte do episódio, incluindo a sua parte “mestre da espionagem ao resgate”.

Num episódio que não foi o melhor da história de Chuck e repleto de erros, a série consegue entregar alguns bons momentos e apresentar o que vem por aí na sua temporada final (Decker, payback is a bitch!). Confira a promo do próximo episódio:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários