Review | American Horror Story 1×01: “Pilot”

  Jéssica Pagliai  |    domingo, 06 de novembro de 2011

Como podemos imaginar, AHS é um thriller psicosexual. Gira em torno dos Harmons, uma família de que se mudou de Boston para Los Angeles como um meio de conciliar a angústia do passado...

Penso que o terror é um gênero ingráto: ou se ama ou se odeia… E esse pode ser o motivo de muitos relutarem sobre a nova série escrita por Ryan Murphy e Brad Falchuk , e dirigida pelo já conhecido por seu trabalho em Glee, Ryan Murphy: American Horror Story.

Como podemos imaginar, AHS é um thriller psicossexual. Gira em torno dos Harmons, uma família de que se mudou de Boston para Los Angeles como um meio de conciliar a angústia do passado… O elenco traz Connie Britton como Vivien Harmon, uma mulher madura que após ter dado a luz de seu segundo filho morto flagra seu marido a traindo com uma de suas alunas; Dylan McDermott como Ben Harmon, um psiquiatra em busca de uma segunda chance e o perdão de sua família; Taissa Farmiga como Violet, a filha adolescente e rebelde dos Harmon; Jessica Lange, como a vizinha Constance incoveniente e frustrada por não ter se tornado uma atriz famosa; Evan Peters que interpreta Tate Langdon, um dos pacientes perturbados de Ben, e Denis O’Hare como Larry Harvey um ex-morador da casa, que após ter matado brutalmente a familia em um incêndio na residência, tem 80% do corpo queimado e por ter um tumor cerebral, foi absolvido do crime.

Incluem ainda Frances Conroy que é vista por Vivian e Violet como a governanta da Moira, e Alexandra Breckenridge como a mesma governanta, porem essa provocante vista assim por Ben; e Jamie Brewer como Adelaide, filha de Constance portadora de Sindrome de Down.

Com seus personagens devidamente apresentados, vamos ao episódio…

Inicia com dois irmãos gêmeos, que entram numa casa abandonada e acabam sendo mortos, atacados por uma criatura assustadora. Pois é, deviam ter ouvido o concelho de Addy que antes dos irmãos entrarem na casa disse: “Vocês vão morrer lá dentro”.

Mesmo sabendo que lá acontecerem coisas, no mínimo estranhas, resolvem que vão mesmo para lá mudar achando ser o certo a fazer… Logo no dia seguinte da mudança, recebem a visita surpresa de Adelaide que sempre encontra um jeito de lá entrar, dizendo para a familia o mesmo que disse aos gêmeos, aos anteriores… E claro, Constance a mãe zelosa que é foi atras de sua querida filha, mongoloide ou monstrinha como carinhosamente a chama.

Após diversas brigas e discuções por conta dos erros do marido e uma longa greve sexual, Viv acaba sedendo aos encantos de Ben. Pensando ser a segunda parte do ato, acaba transando com um homem vestido com uma roupa de latex ao estilo sadomasoquista, que muito provavelmente não era o marido. E para completar o mistério, parece ter engravidado dele…

Violet também é bem estranha. Alem do hábito de se cortar com a gilete, parece arrumar problemas por onde passa… Por estar fumando na escola, desperta a ira de uma das garotas mais populares do colégio. Seguindo o conselho de Tate, seu novo e unico amigo, resolve dar um susto na garota, para que ela não mais a perturbe. Descobre que, mesmo levando a campanha anti tabagismo muito a sério graças a morte de sua avó por cancer, ela é viciada em cocaina. Então, ela leva a garota para o porão da casa, apaga a luz e é então que Tate e seu amigo monstro entram em ação. E assim, toma um susto quase de morte!

Como gosto muito do gênero, ao contrário do que ando lendo internet a fora, tanto a série quanto o episódio me agradaram bastante!

E vocês, o que acharam? Não deixem de dizer!

Nota: Segundo a imprensa americana caso a mesma seja renovada, o elenco da série mudará toda temporada. O que penso ser muito interessante! 


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários