Personagem de Charlie Sheen em Two and a Half Men pode morrer

Todo mundo já está a par da confusão Charlie Sheen-Warner-CBS, certo?

O cara saiu da reabilitação, foi pra férias com namorada, amante e ex-mulher, brigou com o produtor da série, blablabla. Já é caso antigo, todo mundo já sabe.

As séries da fall season estão começando a ser produzidas agora, com roteiros sendo escritos e filmagens quase começando. Por exemplo, a 6ª temporada de Dexter já está toda planejada e está sendo gravada nesse momento. Logo, Two and a Half Men deve estar nesse processo também. E, com a adição de Ashton Kutcher, eles precisam de uma explicação pro sumiço de Charlie Sheen, ou melhor, Charlie Harper, né?

E parece que os responsáveis pela comédia escolheram uma solução nada engraçada.

Segundo fonte do site Popcrunch, Charlie Harper vai morrer na série. E de uma maneira brutal. A morte acontecerá num acidente de carro, com sua Mercedes voando de um penhasco, perto de sua mansão em Malibu. Após o funeral, o personagem de Ashton Kutcher vai comprar a casa e vai ficar com dó da situação de Jake (Angus T. Jones) e Alan (Jon Cryer) e vai deixá-los continuar morando lá.

Não sei, eu não acho muito verdadeiro isso. Two and a Half Men é uma comédia, uma explicação dessas não combina com a sitcom. Era mais coerente explicar que Charlie foi vender sucos de limão que parecem tamarindo e tem gosto de laranja no México, por exemplo. Ou que ele foi trabalhar como avaliador de concursos de biquíni no Rio de Janeiro, uma coisa divertida assim.

Eu entendo que, a morte do personagem de Sheen, simboliza que ele não volta mesmo pra série. Charlie Harper vivo pode ser entendido como “hey, ele ainda pode voltar” e parece que não é isso que os produtores querem, além da raiva que devem sentir do Sheen. Mas, mais mortos ressucitaram em Hollywood do que permaneceram no descanso eterno e, nada mesmo garante que daqui um ou dois anos, Sheen faça as pazes com Warner e CBS e volte à série explicando que saiu do carro no último segundo.

Vamos ver como será.

via O Capacitor

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...