Morte de cavalos rende processo à HBO e aos produtores de Luck

Leandro de Barros

  quinta-feira, 03 de janeiro de 2013

Morte de cavalos rende processo à HBO e aos produtores de Luck

Ex-funcionária da American Humane Association processa o HBO e os produtores de Luck por maus tratos a animais durante a produção da série

LuckA morte de 3 cavalos durante a produção da primeira temporada de Luck pode ter sido o suficiente para fazer a série ser cancelada, mas essa história não acaba aí para os produtores de Luck e para o HBO.

Um processo foi aberto na Suprema Corte de Los Angeles no dia 31 de dezembro do ano passado, contra a American Humane Association, a HBO e a Stewart Productions. Segundo Barbara Casey, autora do processo, a produção da série (a Stewart Productions) “impingia um abuso sistemático e cruel” nos animais da série – dopando cavalos para que eles participassem das corridas que Luck exibia. Além de cometer esse tipo de abuso, os produtores ainda pressionavam a American Humane Association (órgão responsável por identificar e prevenir causas de abuso à animais e crianças nos EUA) para permitir que esses abusos continuassem – é por isso que a instituição também está no processo. Já a HBO é acusada de encobrir tudo isso.

A série foi oficialmente cancelada depois da morte de 3 cavalos durante a sua produção. A versão do HBO é que os cavalos tiveram de ser sacrificados, com o canal tomando todas as precauções para garantir um tratamento humanitário e com todos os cuidados, respeitando a todos os protocolos e diretrizes necessárias no caso.

Barbara Casey é uma ex-funcionária da American Humane Association e foi demitida após pressionar a polícia para investigar as acusações feitas no processo aberto. Ela pede uma indenização de valor não estipulado por tudo isso.

Não sabemos qual será o fim desse caso, mas reportaremos quando algo for decidido.

via THR


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários