Alan Moore fala sobre a série de TV da Liga Extraordinária

Leandro de Barros

  quarta-feira, 17 de julho de 2013

Alan Moore fala sobre a série de TV da Liga Extraordinária

Escritor britânico descaralha a banana na indústria do entretenimento atual - como sempre

Na semana passada, nós vimos por aqui que a Fox está planejando uma série de TV baseada em A Liga Extraordinária, obra de Alan Moore nos quadrinhos.

Conhecendo Moore, era questão de tempo até que o escritor desse uma das clássicas declarações contra a postura dos estúdios hollywoodianos e editoras americanas.

Tanto é assim, que o EW foi correndo buscar uma resposta de Moore. E conseguiu:

Eu e o Kevin [O’Neill, co-criador] estivemos rindo dessa, nós ouvimos essa notícia outro dia. Quando a DC Comics fez os recentes prelúdios de Watchmen nos quadrinhos, eu falei todos os tipos de coisas ofensivas sobre a indústria do entretenimento moderno claramente estar sem ideias próprias e precisar ir revirar no lixo na calada da noite para reciclar coisas. O anúncio de que há uma série de TV da Liga Extraordinária não causou nenhuma alteração drástica nas minhas opiniões. Agora, parece que eles estão reciclando coisas que já se viu que não funciona

E aí está. Alan Moore descendo a lenha na indústria do entretenimento que quer ganhar alguns trocados com base em obras dele. Sempre divertido de acompanhar.

Além de descaralhar a banana na Fox, Moore aproveitou a oportunidade para falar sobre His Heavy Heart, um curta escrito por ele e dirigido por Mitch Jenkins, que por sua vez faz parte de Jimmy’s End, uma série de curtas dos dois. O projeto foi financiado através do Kickstarter.

O escritor disse que, apesar de ser bem recluso, “seria provavelmente uma boa ideia estar, pelo menos, familiarizado com esse novo e intrigante dispositivo de financiamento de artistas“.

Sua aversão à tecnologia também foi mencionada: “Eu tenho certeza que existem pessoas por aí que existem quase que inteiramente online. Acho que talvez nós iremos alcançar um ponto de fatiga com essa situação, que as pessoas talvez percebam que essas tecnologias que poupam trabalho, na verdade custam um monte de trabalho. Nossa sociedade é moldada pela nossa tecnologia, não o contrário. Nós não controlamos nossa tecnologia“.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários