Review | Suits 2×08: “Rewind”

  Luana Gonçalves  |    segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Flashbacks reveladores e um bom esquema do Time Pearson marcam o oitavo episódio da temporada

Para quem, assim como eu, acreditava que “Rewind” seria um episódio filler (o famoso enche-linguiça), acabou estando equivocado. E nunca foi tão bom estar errado sobre alguma coisa! O oitavo episódio da temporada esclareceu algumas dúvidas, revelou histórias do passado dos personagens e ainda fez com que o enredo se movimentasse. Ou seja, foi Bom, com direito a letra maiúscula.

“Rewind” alterna entre cenas dos dias atuais e flashbacks de cinco anos atrás. Durante a atualidade, as intrigas da disputa Pearson vs. Hardman continuam à todo vapor, só que agora foi a vez de Jessica ir para o ataque. Com a ajuda de Harvey e Mike, que foi um pouco deixado no escuro nesse plano, o time Pearson faz um golaço ao deixar com que os funcionários do escritório saibam quem Hardman realmente é. Eles conseguem realizar essa tarefa com informações que obtiveram lá em 2007, época em que Harvey ainda era um associado-sênior e Mike apenas um office-boy. E é durante os flashbacks que conseguimos entender muito mais sobre o background de Mike e Harvey, e como eles chegaram a ser quem são hoje.

Em 2007, Mike já havia sido expulso da faculdade e trabalhava entregando correspondências para empresas. Ele dividia o apartamento no qual mora até hoje com Trevor, o pior melhor amigo que já existiu na face da Terra. Naquela época, Trevor não era tão – desculpe o termo – babaca quanto é hoje, mas já dava sinal de que não ser tão legal quanto devia ser. Começando pela influência do uso de drogas e da inteligência de Mike para coisas banais, como conseguir mulheres. Quando eles foram para um bar e conheceram duas mulheres (sendo uma delas a Jenny), dava para ver que Mike já ficava desconfortável com o jeito que seu amigo o utilizava como um “macaco treinado”, como ele mesmo disse em uma parte do episódio. O pior é que, mesmo não gostando, ele apenas abaixava a cabeça e fazia o que era mandado e cedido para ele. Do mesmo jeito quando Trevor disse que havia ligado para Jenny, com quem Mike logo se deu bem, o loiro apenas aceitou derrota com um “É, a outra era mais bonita mesmo…”.

Em sua vida inteira, Mike simplesmente foi usado por outros, submisso, fazendo o que todos queriam que ele fizesse, como no caso de Trevor, da menina que apenas o chamou para sair para que fizesse a prova do LSATs em seu lugar etc. A propósito, ele apenas aceitou fazer a prova porque precisava de dinheiro para pagar cuidado integral para sua avó. Mais uma vez, pensando nos outros e nunca em si mesmo. Não é de surpreender que ele tenha tantos problemas de confiança e teve dificuldades até mesmo de confiar no Harvey.

Falando em Harvey, não consegui ver uma mudança muito drástica no advogado de lá para cá. Convencido, ambicioso e inteligente (três adjetivos que eu uso como elogios), Harvey já era um soldado fiel de Jessica e fazia de tudo, conforme as leis, para que conseguisse o que quisesse. Mas nem tudo são flores em sua vida. No final do episódio, Harvey quebra os nossos corações na cena em que descobre que seu pai havia falecido. E quem estava ao seu lado para consolá-lo? A mesma pessoa que Harvey, já nos dias atuais, decide trazer de volta: Donna. E se você não pulou de felicidade quando ele anunciou isso, então não sei o que você está fazendo assistindo Suits…


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários