Review | Suits 2×05: “Break Point”

  Luana Gonçalves  |    sexta-feira, 03 de agosto de 2012

São 42 minutos em uma montanha-russa de apreensão, nervosismo, choque e tristeza - mas isso não quer dizer que seja algo ruim.

Esse episódio devia se chamar “Breaking Hearts” ao invés de “Break Point”, porque é basicamente isso que ele faz com você. São 42 minutos em uma montanha-russa de apreensão, nervosismo, choque e tristeza que só perde para o episódio de estreia da segunda temporada em questão de emoções. Cuidado: essa review pode causar lágrimas.

Tá, não é para tanto, se bem que quase chorei no final. Mas vamos em partes. O episódio inicia com um caso novo envolvendo a emancipação de um jogador de tênis e que não tem tanto destaque nem importância na trama principal, que é justamente o desenrolar do processo contra Harvey e a firma. Jessica, Hardman e Harvey se juntam para arranjar um jeito deste processo ser dispensado e contratam uma advogada de fora para auxiliá-los – interpretada por Diane Neal, que já tem uma expertise na área devido ao seu trabalho em Law & Order.

Enquanto isso, Donna ainda sofre com seu dilema sobre o que fazer com o documento que ela encontrou e pelo qual Harvey está sendo acusado de fraude. Mike percebe que a assistente está agindo estranhamente e, ao descobrir o que ela tem em mãos, dá um ultimato: ou Donna conta ao Harvey que ela tem o memorando ou ele contará. Infelizmente, ela acaba não conseguindo revelar a informação valiosa a tempo e ele quase assina um papel dizendo que o tal documento nunca chegou em seu escritório. Por sorte do destino, Mike está lá para fazê-lo não assinar e conta a ele o que Donna deveria ter contado.

Harvey resolve confrontar Donna…no banheiro. Vocês já perceberam que isso é algo recorrente na série? Essa não é a primeira vez que ele confronta alguém no banheiro da firma. Primeiro foi o Louis, depois o Hardman e agora a Donna. Isso está começando a ficar estranho. Enfim, ele descobre que ela destruiu o documento e isso acaba piorando ainda mais as coisas.

Há muita conversa, muitas discussões entre Jessica e Hardman, mas no final, uma importante e forte decisão é tomada: Donna é demitida. E isso foi algo que não encaixou para mim. Sim, foi uma ação justa, pois ela estragou uma grande chance de Harvey e a firma conseguirem se redimir. Mas e o Harvey? Por que não foi ele quem teve a conversa da demissão com ela? Aliás, por que ele deixou que Jessica a demitisse? Harvey enfrentou sua chefe para que Mike ficasse na firma quando ela decidiu demití-lo (“Ele vai, eu vou”), sendo que eles se conhecem há pouco tempo. Mas a Donna é amiga dele há anos, por que ele também não impôs que ela ficasse? Não sei, talvez faça sentido mais lá para frente, mas agora isso não está entrando na minha cabeça…De qualquer modo, como disse anteriormente, foi um episódio bem sentimental e que deixa você com o coração na mão. Já estou apoiando a campanha #SaveDonna no Twitter! E você?

Reviews da temporada


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários