Review | Revolution 1×19: “Children of Men”

João Paulo

  quarta-feira, 05 de junho de 2013

Review | Revolution 1×19: “Children of Men”

Bem vindo ao level 12 -só que não! Bem-vindo na verdade ao level 11, onde acontece toda ação do novo e excelente episódio de Revolution.

revolution 1x19

É chegada a hora da verdade para Revolution, os mistérios começam a ser revelados e as tramas começam a chegar um ponto definição. Já era de opinião pública que esse episódio seria cheio de ação devido à cena que o episódio anterior deixou em aberto. Mesmo sabendo que não matariam Rachel tão prematuramente naquele instante, a cena representou o começo do arco final que irá culminar no season finale de segunda feira próximo. Sendo assim “Children of Men” entrega informações, mas não muitas, apenas o suficiente para atiçar a curiosidade do expectador.

A história do episódio é mais direta sendo assim com a tentativa frustrada de Rachel de se sacrificar para dar uma chance ao Aaron de entrar na “Torre” e ainda se vingar de Monroe pela morte de Danny não valeu de nada. O roteiro aqui acerta apenas quando deixa as ideias loucas da cientista de lado e focar no enredo principal relacionado à trama do blackout. Á medida que Monroe, Rachel, Randall e alguns soldados da milícia vão adentrando a “Torre” todo um clima de tensão toma conta quando são recepcionados com violência ao chegarem ao level 11.

Apesar de não chegarmos ao level 12 aonde a energia pode ser estabelecida, como eu disse anteriormente é no level 11 que as coisas realmente acontecem neste episódio, o local pode ser descrito como um antigo bunker fortemente protegido que servia de abrigo para chefes de estado. A dica foi dada no episódio “Clue” na cena em quem pessoas até então desconhecidas estavam observando Randall e Monroe do lado de fora através dos monitores dentro da “Torre”. Eu cheguei até a brincar que se tratava de uma versão dos Outros que faziam parte dos mistérios do seriado Lost, acaba que chega ser mais ou menos isso mesmo. Descobrimos que estes humanos são espécie de guardiões da “Torre”, eles assumiram a missão de evitar que alguém conseguisse chegar ao level 12.

Assim descobrimos que a coisa que matou o subordinado de Randall no episódio “Love Boat” na verdade se tratava de um desses guardiões, utilizando uma arma de bobina que possui munição de eletroímãs, deixando um rastro de sangue quando são disparadas, há não ser que tenha algum tipo de criatura guardando o level 7, por enquanto ficarei com a primeira teoria. Esse tipo de equipamento é utilizado para matar praticamente todo grupo de Monroe, restando apenas ele e Rachel. O interessante dessa história foi à cena de diálogo que aconteceu entre os dois personagens em um local isolado dentro da instalação, David Lyons mais uma vez apresentou performance convincente principalmente na cena em que Monroe deixa seu lado mais humano aparecer admitindo todas as atrocidades que cometeu até aquele momento.

Podemos destacar também a performance de Elizabeth Mitchell na mesma cena, mas ao contrário de Lyons sua atuação transpareceu um pouco de insegurança e por isso ficou um pouco acima do tom, mesmo assim a personagem teve um destaque interessante no episódio como um todo, seus flashbacks com Ben Matheson não só mostrou a relação matrimonial dos dois se deteriorando devido as decisões que ambos tomaram em relação ao projeto que levaria ao blackout, como também mostrou o quanto a cientista se sente culpada por deixado tal acontecimento ocorrer, dessa forma a narrativa trás um paralelo interessante mostrando que tanto Monroe como Rachel tem algo em comum, ambos sentem o peso de ser responsáveis pelo massacre de milhares de pessoas, sem falar que a confissão por parte dele sobre o filho perdido deixou a conversa ainda mais sentimental.

Essa narrativa de Monroe e Rachel não foi à única do episódio, à chegada de Miles, Charlie, Nora, Neville e Jason ao local também agitou bastante as coisas. Logo o grupo encontrou Aaron e daí tomou-se forma o plano para entrar na “Torre”, uma das partes mais interessante foi quando este mesmo grupo seguiu caminhos separados, abrindo espaço para Miles, Charlie e companhia entrassem na instalação, enquanto apenas Neville e Jason ficaram para trás sendo capturados pelos soldados da milícia.  Devo dizer que adorei o fato Neville conseguir usar de sua persuasão para começar uma revolução dentro da milícia, era algo que eu esperava desde o episódio “Ties That Bind” quando cantei a bola que o atual major da Geórgia poderia tomar o posto de Monroe. Outro ponto positivo é a relação pai e filho dos dois, que vem crescendo de forma positiva desde que Neville salvou Jason no episódio dezessete.

Esse é um dos motivos de “Children of Men” funcionar tão bem, o episódio em si é cheio de mitologia, cheio de ação e com ótimo desenvolvimento de histórias, muito bem dirigido pelo diretor Frederick E. O. Toye (Lost, Fringe, Person of Interest), as cenas de perseguição no level 11 são ótimas, com muito tiroteio e brigas bem coreografadas. A principal cena de Miles no episódio levou finalmente o tio de Charlie a ficar cara-a-cara com Monroe, empate que pode ser decisivo para futuro dos rebeldes, da Federação da Geórgia e principalmente da República Monroe.

O episódio ainda guardou algumas pistas interessantes do que pode vir a ser mostrado neste season finale. Quando Rachel, Charlie e Aaron são capturados pelos guardiões do nível 12, eles são levados ao encontro de Grace e do líder Dan. Ao que parece a história deixa claro que Grace sabe o motivo de Aaron ser tão importante para à mitologia do blackout, com certeza teremos respostas já no próximo episódio, quanto ao novo personagem Dan vivido pelo ator Glenn Morshower (prá quem não se lembra, ele viveu o Aaron Pierce na série 24 Horas), com ele descobrimos que esses guardiões estão protegendo as instalações da “Torre” desde o começo do blackout, tanto que à anos eles não veem a luz do sol.

O twist que encerra o final do episódio só deixa muitas perguntas no ar, ainda mais agora que Dan queimou o livro que Jane Warren deu a Rachel, queimando ali a esperança de por fim ao blackout, mas o mais curioso é saber se a teoria de Grace realmente está certa e talvez essa seja a maior questão do season finale, religar a energia é realmente o caminho? E se tudo der errado como na primeira vez, será que o mundo inteiro sofrerá um dano ainda mais grave do apagão causou anos atrás? Perguntas e mais perguntas, que serão respondidas em breve ou não, mas uma coisa é certa, se o final da temporada for tão competente quanto “Children of Men”, poderemos ter um ótimo fechamento para primeira temporada da série.

Observações da Revolução:

Momento Geek: Aaron protagonizando o momento nerd do episódio dizendo que já tinha visto aquele tipo de arma de bobina antes, em um episódio de “Caçadores de Mitos”.

Revolution versão global: Achei superinteressante mostrarem nas imagens do satélite de monitoramento as capitais Londres e Páris pós-blackout, quem sabe a série siga um caminho que essas metrópoles a serem inseridas na trama. Quem quiser ver é só dar uma olhada no quando marcador estiver em 7:55 aproximadamente.

Children of Men 1: O nome do episódio se refere ao livro e ao filme de mesmo nome, o primeiro escrito por P.D. James e o segundo adaptado para as telonas pelo diretor Alfonso Cuáron (recomendo bastante é um filme espetacular e um dos meus favoritos de todos os tempos). A história mostra uma sociedade em futuro próximo que onde as mulheres perderam a capacidade reprodutiva o que pode levar a extinção da humanidade, até que uma mulher consegue engravidar se tornando um símbolo de esperança em meio ao caos.

Children of Men 2: Além da referência no título, o nome com certeza pode ter sido uma homenagem ao Alfonso Cuáron, porque afinal J.J. Abrams e ele tem um piloto engajado para próxima fall season norte americana, chamado ‘Believe’.

República Monroe: Enquete rápida será que a Neville conseguirá assumir a milícia de Monroe ou a república deixará de existir? O que vocês acham?

Procura-se Randall: Ele foi atingido em meio ao tiroteio não tenho certeza se o personagem está totalmente fora do jogo.

Presidentes Em Cena: Foi ou não foi legal ver as fotos dos presidentes Obama, George Bush e Bill Clinton na parede da sala em que Monroe e Rachel estavam se escondendo, nada como deixar as coisas mais perto da realidade.

– Apertem os cintos que na próxima segunda o season finale promete grande revelações e um game changer devastador, veja a promo e lembre-se “Be careful what you wish for” (cuidado com que você deseja).


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários