Review | Person of Interest 2×13: “Dead Reckoning”

João Paulo

  segunda-feira, 04 de fevereiro de 2013

Review | Person of Interest 2×13: “Dead Reckoning”

Depois de um hiatus de três semanas a série volta com episódio espetacular e aproveita para concluir o melhor arco de um vilão da série até agora.

PoI 13

Queria que vocês pudessem ver minha cara de felicidade ao escrever essa review de Person of Interest, desde que a série começou o arco da prisão foi uma sucessão de surpresas, roteiros bem escritos e ótimas cenas de ação, mas o melhor estava por vir, “Dead Reckoning” marca assim o fechamento de um ciclo, ou melhor, dizendo a conclusão do arco da ex-agente da CIA Kara Stanton.

O arco da parceira de Reese foi cuidadosamente criado na primeira temporada, ainda que em plano de fundo, fomos descobrindo aos poucos sua história, mas o episódio colocou sua trama em movimento foi definitivamente o episódio 1×20 “Matsya Nyaya”, quando ela e Reese foram designados para uma missão na China para recuperar um laptop desaparecido, ambos foram traídos pela CIA e forçados a matarem um ao outro, Reese conseguiu escapar, mas Kara aparentemente tinha morrido na explosão, o que se provou inverdade depois.

Essa questão foi deixada em aberto na temporada anterior e era certo que seria explorada na segunda temporada, enquanto mantivemos a cabeça ocupada no que estava acontecendo no presente, como o sequestro de Finch e surgimento do chefão da HR, a trama de Kara tomava forma de modo tímido, tivemos menções no episódio três “Masquerade” e no episódio sete “Critical”, ao que parece ela estava preparando algo grande, não entendíamos o que, mas várias perguntas surgiam enquanto tentávamos entender, será somente vingança da parte dela? Será que ela estava trabalhando sozinha? Essas e outras questões permaneceram, apenas sabíamos que a ex-agente estava controlando Snow através de um colete bomba.

Nesse meio tempo POI estabelecia antigas tramas, formava novos vilões e construía novos arcos, mas a história da ex-agente ainda pairava uma vez ou outra em nossas mentes. O plano de Kara só foi possível devido às circunstâncias iniciadas no episódio “Shadow Box”, com a prisão de Reese o team machine ficou distraído tentando libertá-lo, e isto causou certa vulnerabilidade, eles não perceberam aproximação da antagonista, até que a bomba estourou no final do episódio “Prisoner’s Dilemma”, o cliffhanger deixado no mesmo foi inesperado, mais pelo modo como aconteceu do que pela revelação da vilã no final.

Assim chegamos a “Dead Reckoning” o ápice da trama de vingança de Kara Stanton, este episódio guarda certas semelhanças com outro episódio decisivo “Flesh & Blood”, que foi de certa forma um fechamento da história de Elias na primeira temporada.  Neste caso o episódio escrito por Erik Mountain foi ainda mais eficaz que o episódio do nosso vilão favorito, usando o recurso dos flashbacks para revelar o passado da ex-agente logo após a explosão em Ordos, nós descobrimos como ela sobreviveu, quem a ajudou a se recuperar e suas motivações para explicar o seu plano no presente.

Mais do que uma história de vingança, o episódio também foi importante para preencher lacunas deixadas em aberto em episódios anteriores, o que deixa a satisfação ainda maior em relação à série e compromisso com sua trama. Outro ponto positivo foi á fotografia como sempre impecável e que soube capitar belas imagens de Nova York (vide a cena entre Finch, Carter e Fusco tendo uma ponte como plano de fundo), além da direção certeira de John Dahl, que soube não só manter o clima de tensão do episódio anterior, como deu uma característica própria para este, que em certo momentos flerta bastante com gênero de thriller de ação, visto normalmente apenas em filmes.

Sobre o conflito principal que move a narrativa, ação se dá logo após o episódio anterior com Kara batendo no carro em que Donnelly, Carter e Reese estavam. O importante aqui é que a história não enrola, enquanto Reese foi abduzido pela segunda vez, Carter tratou de fugir da cena do crime para não ser identificada. A partir dessa situação descobrimos os reais planos de Stanton, ela queria usar Reese e Snow para invadir um prédio do departamento de defesa.

O ritmo do episódio foi excelente, ele não deixa a audiência perder o foco um segundo, quanto mais adentramos a trama, mais revelações vão surgindo pelo caminho, atiçando ainda mais a curiosidade. Uma dessas revelações talvez seja a mais importante do episódio, durante o flashback de Kara testemunhamos a entrada de um novo vilão na série, misterioso, enigmático e persuasivo, o velho (chamarei ele assim até confirmarem sua identidade) conseguiu convencer a ex-agente a trabalhar em favor de seus planos, usando como moeda de troca o nome da pessoa que vendeu o tal laptop que levou ela e Reese até a China.

A entrada desse indivíduo na trama mostra um crescimento no nível de ameaça no seriado, aliás, sua conversa com Kara foi um dos melhores momentos do episódio, todo aquele diálogo usando como analogia mitologia grega para explicar o lugar que sua organização ocupa no mundo atual em relação às outras foi de uma complexidade e brilhantismo incríveis, destaque para o ator John Nolan que interpreta o antagonista misterioso, esperemos que o personagem seja tão marcante quanto os outros que habitaram ou habitam o ambiente da série.

Ainda que o episódio tenha focado mais no personagem de Kara Stanton, o resto do elenco conseguiu brilhar cada um em seu tempo, Finch, por exemplo, teve uma ótima cena com Reese no telhado do prédio do departamento defesa, reforçando ainda mais os laços de amizade entre ambos, outra cena tocante foi entre Reese e Carter, que cada vez mostra afeição da detetive por John, mais amizade e preocupação, do que um romance propriamente dito, como alguns por ai acham. Outro personagem que se destacou foi Snow, mais pela cena derradeira do episódio culminando no seu último encontro com Kara, que vou dizer foi bem explosivo se é que você me entende.

Assim chegamos clímax, ainda que soubéssemos que Finch conseguiria desarmar o colete bomba de Reese a tempo, afinal é do Finch estamos falando, o episódio guardou algumas surpresas na manga, como o êxito do plano de Kara de fazer upload e plantar um vírus criptografado no sistema do governo, e logo depois Snow surpreendendo ao se explodir junto com ela dentro do carro. Com isso podemos dizer que esta parte da história está encerrada, praticamente todas as pontas soltas foram respondidas e mais um ciclo se fechou, Kara queria apenas encontrar o mandante de sua morte, mas acabou ajudando a criar um problema muito maior ao completar o serviço para essa organização secreta liderada por esse velho misterioso, que de agora em diante entra na narrativa da série para um novo arco de histórias e promete render muito de agora em diante.

Observações de Interesse:

“Harold Finch” – foi o nome que pareceu no papel queimando na cena final do episódio, sim galera ao que parece Mr. Finch está por trás da missão de Kara e Reese na China, até aonde sabíamos a informação não foi tão surpreendente, mas que deixou várias questões pipocando na mente deixou sim. Resta saber até onde Harold está ligado a este fato.

“Cinco Meses” – é o tempo que teremos que esperar para saber as consequências do upload que Kara fez no sistema defesa dos EUA a mando do velho misterioso, afinal a história de “Dead Reckoning” se passa no mês de novembro, se fizermos as contas direitinho isso acontecerá no começo maio, no mês do season finale da série.

– Falando no novo vilão interpretado por John Nolan, temos duas novidades sobre ele: a primeira é que ator é na verdade tio de Christopher e Jonathan Nolan na vida real, aliás ele já apareceu  nos filmes Batman Begins e The Dark Knight Rises como um dos sócios da indústrias Wayne. A segunda novidade é que na ficha técnica do episódio seu personagem tem o nome de “Greer”, vamos ver se isso vai ser confirmado quando ele aparecer de novo.

– Vamos falar sobre Kara, sua trama pode ter chegado ao fim, mas a cena final deixou pistas que ela talvez não esteja realmente morta, prova disso é basta perceber a gravação durante a explosão do carro em que ela estava com Snow, no vídeo marca 17:11:13, quando a bomba explode já está marcando 17:12:03, pode ser um erro de gravação por causa da explosão ou alguma alteração externa na fita, quem sabe no futuro ela possa dar ar da graça de novo, por enquanto não vai acontecer porque Ana Parisse está ocupada com outra série.

– Que tal agora falarmos do encontro mais esperado da série, o reencontro de Reese e Bear, um momento que tem ser mostra com imagem, dê uma olhada ai embaixo.

personofinterest_bearreunion

AAAAwwww!

– O caso do “man in the suit” foi encerrado de vez, de acordo com FBI que disse que Snow batia com descrição do indivíduo que Donnelly perseguia. Ok a explicação ficou meia boca, mas vamos dar desconto esse assunto já estava praticamente encerrado desde o episódio anterior, só precisavam fechar a tampa.

– Finch hackeando o DOD (departamento de defesa), sentado em praça me NY, isso é apenas Harold em um dia normal de trabalho.

– Reese mantendo a conduta de não matar civis, mesmo aceitando o joguinho da Kara.

– Muitos disseram que esse episódio não teve o POI da semana, mas acredito que a machine soltou um número sim, basta prestar atenção no começo do episódio quando Finch pega três livros e os coloca em cima de sua mesa, acredito que o número é o de Kara. Afinal ela acabou sendo vítima de Snow no momento da explosão.

– Próximo episódio a série volta ao formato original, com o caso da semana, dá só uma olhada na promo.

http://www.youtube.com/watch?v=qzf8VqBTxcA


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários