Review | Person of Interest 2×06 “The High Road”

João Paulo

  segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Review | Person of Interest 2×06 “The High Road”

Person of Interest entrega um episódio básico para acalmar os ânimos depois do ótimo episódio passado

Depois do episódio excelente de semana passada, POI volta a fazer o básico neste novo episódio, mas mesmo com uma trama mais simples a série consegue tirar ótimos momentos em suas cenas, algo que em outros seriados do gênero teria características de um episódio filler, nesta série se transforma em oportunidade para desenvolver seus personagens principais.

Começarei este parágrafo para dizer que John Reese se casou (BOOM), o cara estava cansado de ficar sozinho e resolveu juntar os trapos com outra pessoa. Lembra que no último episódio a jornalista Maxime terminou o romance entre os dois, alegando que ele ainda tinha sentimentos por Zoey Morgan, dito e feito Reese pediu a mulher em casamento. Ok eu estou brincando, mas acho que se acontecesse ia fugir um pouco da temática série e ninguém quer Reese calminho e sim batendo em bandidos e derrubando vilões.

Esse pedido descrito acima faz parte da missão designada para John nesta semana, na tentativa de ficar mais próximo da potencial vítima da vez, ele pede ajuda a Zoe para formarem um casal de mentira e com isso poderem se mudar para o subúrbio                 próximo da casa de Graham Wyler, homem trabalhador e com família formada por esposa e filha.  Aparentemente nada na vida dele parecia fora do comum, mas uma coisa que aprendi assistindo Desperate Housewives (série de comédia que se passa em ambiente parecido com esse) é que subúrbios são lugares ideais para esconder segredos e mentiras, acho que pelo fato de ser um local calmo, tranquilo e acima de qualquer suspeita.

O caso da semana se mostrou comum, mas ao analisarmos com cuidados podemos tirar algumas conclusões interessantes. À medida que o episódio vai progredindo descobrimos que Graham esconde um passado criminoso como arrombador de cofres e que seus antigos parceiros que foram presos durante último trabalho do grupo descobriram seu paradeiro e agora voltaram para cobrar uma antiga dívida.

Person of Interest mais uma vez toca no assunto criminoso que tenta se redimir e começar uma vida normal, no episódio “Triggerman” aconteceu com assassino Riley que tentava escapar da vida de crimes por causa de grande amor, aqui Graham teve mais êxito, trocou sua identidade, casou e constituiu família, mas nos dois casos os inimigos voltaram para se vingar. Com esse assunto especialmente podemos criar um paralelo de como seria para Reese viver uma situação dessas e se ele um dia abandonasse tudo por uma vida mais tranquila, de certo modo ele teve essa experiência compartilhando a casa com a Zoey, mas definitivamente pode se concluir que essa não é uma vida adequada para o “Man In A Suit”.

O episódio traz mais uma vez doses certas de humor, principalmente relacionadas ao cão Bear (vide a cena do donut com Reese) que está virando uma atração à parte. As cenas com Reese e Zoey também foram ótimas e deliciosas de assistir, os dois tem química boa e espero encarecidamente que Paige Turco vire personagem fixa em uma possível terceira temporada, ela já está merecendo. Falando em personagem fixo Fusco não apareceu no episódio e Carter mais uma vez participou ajudando o John a solucionar o caso e protagonizar uma cena inusitada com ele e Zoey, sua cara foi impagável na cena em questão.

Outro destaque da narrativa foi os flashbacks de Finch, sem grandes revelações, mas com boas informações descobrimos mais sobre a inteligência artificial da machine e suas características peculiares para analisar o comportamento humano antes de receber sua programação definitiva para pegar criminosos, foi quase como uma continuação indireta dos flashbacks de “The Contigency”, mas agora com as presenças ilutres de Nathan Ingram (em período de separação e puladas de cerca) e Grace (Carrie Preston), que volta a trama para que público possa entender como começou sua relação com Harold.

Aliás, a machine se mostrou um personagem cheio de surpresas, pois ao analisar o perfil humano, ela acaba tomando decisões completamente imprevisíveis, como sugerir a ficha de Grace para Finch, é quase como se computador através de suas probabilidades e complexidades além de aprender sobre a humanidade, estive sempre ali se preocupando com seu criador. Nathan certa vez sugeriu para Finch que ele deveria largar um pouco o trabalho e encontrar alguém, ao que parece a machine também achou o mesmo, uma vez que foi com auxílio dela que Finch encontrou o amor de sua vida.

Chegamos então à conclusão de que se “The High Road” não tem a ambição de ser um episódio espetacular como “Bury The Lede”, e sim de dar um refresco para temporada antes de mergulhar fundo nas tramas que estão por vir, mesmo assim é incrível como Person of Interest consegue manter seu equilíbrio em episódios como esse que poderia ser um passo atrás para série, mas que mesmo assim acaba sendo coerente dentro de seu próprio contexto. O caso da semana terminou com Graham se entregando para polícia depois de perceber que nunca poderia viver a vida que queria mentindo para as pessoas que amava, essa atitude foi mostrada pela primeira vez no seriado e me fez perceber que isso seria uma alternativa para Reese em futuro distante quando não houvesse mais obrigações para cumprir, mas por enquanto ele continuará por ai salvando dia e nos proporcionando entretenimento semanal.

Observações:

– Destaque para cena divertida do Reese bancando chefe do Finch enquanto o mesmo instalava câmeras de vigilância na casa de Graham.

– Eu sei que o John não quer avançar o sinal tão cedo, mas trocar amassos por um jogo de pôquer é um tanto estranho ainda mais com um mulherão como a Zoey tão perto.

– Outra façanha feita por Reese, descer um prédio fazendo rapel.

– Próximo episódio promete mais ação e mais um caso interessante:

http://www.youtube.com/watch?v=qtQAl7HnW_s


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários