Review | Person of Interest 1×22: “No Good Deed”

  Leandro de Barros  |    quarta-feira, 16 de maio de 2012

Faltando alguma coisa, Person of Interest se prepara para o fim da sua primeira temporada

Sabe aquela sensação de ver algo incompleto?

Depois de dois episódios de altíssimo nível, Persno of Interest dá uma ligeira escorregada na reta final da sua primeira temporada. Ok, talvez eu esteja sendo muito duro, mas eu me decepcionei um pouco pois esperava que o 22º episódio da série fosse algo genial. Me acostumaram mal…

Como no último episódio nós ficamos sabendo mais sobre o passado de John Reese (Jim Caviezel), dessa vez ficamos sabendo mais sobre o de Mr. Finch (Michael Emerson). Mas só um pouquinho, também.

Pelo visto nesse episódio, descobrimos que o responsável pela “falha” na Máquina, que permite à Mr. Finch retirar alguns dos números descartados pelo governo foi implantada lá Nathan Ingram, ex-sócio de Finch, que mostrou bem mais sabedoria do que o nosso intrépito bilionário ao considerar o “erro humano”, a tentação que deve ser ter todo aquele acesso em mãos.

Também descobrimos que, assim como Reese, Mr. Finch acabou tendo de abrir mão do amor da sua vida. Finch tinha uma noiva, mas acabou tendo de se passar por morto para não colocá-la em perigo. Um easter egg curioso é que a atriz que vive a noiva de Finch é casada com Michael Emerson na vida real. Só descobrimos isso tudo graças à vigilância de Reese em Finch. Aliás, o Reese tava meio perdido no episódio, sem saber o que fazer…

Enquanto tudo isso, um dos cenários mais “antecipados” no começo da série finalmente aconteceu: alguém do presente descobriu sobre a Máquina. Um agente da NSA (Agência de Segurança Nacional dos EUA), começou a fazer perguntas demais depois de ver alguns nomes alterados nos seus relatórios e entrou na mira do governo. Fugindo, o rapaz acaba tendo a ajuda de Reese (mesmo não querendo) e acabou juntando os pontos e descobrindo que o governo americano mantém o país sob escuta e gravação. No final, Mr. Finch até dá uma nova identidade, dinheiro e esconderijo pro tal agente viver em paz o resto da vida.

Eu senti que faltou um pouco de elaboração no caso da semana. Eu não digo isso por implicância, digo por saber que PoI tem um potencial enorme. Alguém descobrindo a Máquina poderia ter mais impacto do que apenas servir de gancho para a gente descobrir mais sobre o passado de Mr. Finch e sobre Alicia Corwin. Na sede de mostrar mais do passado do protagonista, a série negligenciou o que acontecia no presente.

E é justamente por isso que eu senti que o episódio ficou incompleto. No Good Deed acabou sendo uma espécie de supletivo, um “extra” para colocar mais algumas informações que precisaremos para o season finale.

Falando nele, algumas considerações:

– Três agências já se mostraram envolvidas na trama da série: CIA (passado de Reese e caçando-o no presente); FBI (caçando Reese e querendo saber mais da CIA) e a NSA (agência que deve ser mais ligada com a Máquina).

– Alicia Corwin e Kara Stanton, duas mulheres do passado de Mr. Finch e John Reese, devem dar as caras no finale;

– Veremos alguma coisa do Elias? Temos de lembrar que ele é o “dono” do crime de Nova York. Com a CIA, o FBI e a NSA provavelmente aparecendo no finale, com Corwin e Kara, além de Reese e Mr. Finch (sem contar a HR, divisão dos policiais corruptos) marcando presença no último episódio, teremos um espaço para nosso vilão favorito?;

– A identidade daquela misteriosa hacker do episódio, chamada Root, será revelada?;

Carter (Taraji Henson) e Fusco (Kevin Chapman) descobrirão que os dois trabalham para Reese? As suspeitas que um tem do outro são partes engraçadas dos episódios, mas eles parecem já estar sacando que tem algo errado por aí…

Promo do próximo episódio

http://www.youtube.com/watch?v=w2t-NVzf1ts

Episódios anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários