Review | Person of Interest 1×16: “Risk” e 1×17: “Baby Blue”

  Leandro de Barros  |    terça-feira, 13 de março de 2012

Review dupla (atrasada) de Person of Intereste. A gente esquece de comentar justamente quando os melhores episódios aparecem...

Depois de duas semanas sem pintar por aqui, voltamos com uma review dupla de Person of Interest, falando sobre dois episódios em que o grande vilão da história até aqui, Elias, aparece.

Spoilers abaixo

1×16: “Risk”

No começo, eu achei que esse seria só mais um episódio normal, sem uma ligação mais profunda com a trama da temporada em si. Conforme nós íamos conhecendo a história de Adam (Matt Lauria), o corretor de Walt Street detectado pela Máquina, eu comecei a notar alguns pontos estranhos.

O primeiro, o mais simples e que acho que todo mundo notou: um simples corretor de Walt Street e um agente da SEC conseguiriam bancar assassinos profisionais que matassem Adam e conseguiam armar um esquema daqueles? Claro que tinha alguém grande no meio. Descobrimos no fim que era Elias que andava por trás dos dois malandros.

Foi uma ótima surpresa ver a volta de Elias à série, que andava meio sumido. Enrico Colantoni se junta ao ótimo elenco da série (Jim Caviezel e Michael Emerson são feras demais) e acaba gerando boas cenas em Person of Interest.

O outro ponto que eu notei era que não tivemos nenhum flashback nesse episódio. Nada do passado de Reese (Jim Caviezel), nada do passado do Mr. Finch (Michael Emerson), nem da Carter (Taraji Henson). Só tivemos uma menção ao tempo de mendigo de Reese e nada mais.

A trama do episódio central não precisou de flashbacks para manter a atenção. Em algumas reviews anteriores eu reclamei que os casos semanais de Person of Interest estavam ficando um pouco fraquinhos. Hoje eu dou a minha mão à palmatória. Risk apresentou uma história envolvente, perfeita para se perder algum tempo assistindo e relaxar um pouco.

Aliás, quero deixar uma coisa registrada sobre o episódio: você entendem alguma coisa de ações, Bolsa de Valor, etc? Eu não entendo nadica, patavinas. Porém, consegui entender o que aconteceu no episódio, qual era o plano dos dois “vilões” e tudo mais. Isso, sem PoI precisar parar pra explicar o plano mais de uma vez e desenhar o que aconteceu.

1×17: “Baby Blue”

E então chegou o episódio da volta definitiva de Elias. Enquanto Reese, Mr. Finch e Carter se preocupavam com o caso da semana, rodava em background a caçada de Elias por seu pai, Moretti, que tinha saido da cadeia. Curioso foi a série colocar o CPF de Moretti na Máquina logo no começo do episódio, justificando a presença de Reese naquele primeiro atentado contra o ex-mafioso.

Enquanto Reese salvava Moretti, Mr. Finch sequestrava um bebê, a jovem Leila Smith, o CPF da semana.

Aliás, vou já comentar um aspecto do episódio logo no terceiro parágrafo. Esse foi, possivelmente, o episódio mais engraçado da série até hoje, mesmo que o humor tenha sido só uma cerejinha em cima do bolo. A cena do sequestro de Leila pelo Mr. Finch, as diversas piadinhas por causa da criança e, em especial, a cena em que Finch e Reese discutem porque Leila achou uma granada no escoderijo, chamaram a atenção pelo bom humor no episódio. O episódio, que tinha um clima relativamente pesado, não se perdeu nesses momentos bem humorados, muito pelo contrário. A cena da conversa entre Finch e Reese no escoderijo, parecendo um casal qualquer discutindo por um motivo trivial, me fez dar risada em voz alta.

Lembra que eu disse que o episódio tinha o caso da semana e a história do Elias~Moretti rodava em backgroud? Isso acontece só até uma certa parte do episódio. Num determinado momento, as duas tramas se juntam, viram uma coisa só e nos fazem pensar em até onde um homem como Elias pode ir para atingir seu objetivo.

Para descobrir o paradeiro de Leila, Reese pede ajuda ao vilão. Ele, por sua vez, ajuda o nobre herói dizendo onde a bebê podia ser encontrada. Só que, não satisfeito, Elias acabou prendendo Leila e Reese num caminhão frigorífico com a promessa de só libertá-los quando Reese contasse onde Carter estava mantendo Moretti.

Reese reluta e fica entre salvar a criança (e a si mesmo) e entregar Moretti. Acaba contando onde o mafioso estava, o que faz com que um dos parceiros de Carter leve um tiro e a detetive acaba rompendo a parceria com Reese e Mr. Finch.

Ufa, são emoções demais pra um episódio só. O próximo episódio terá um pouco do passado do Mr. Finch e, talvez, um pouco mais da presença do Fusco (Kevin Chapman). Ficar só tirando cópias e atendendo ao telefone num episódio como esse, sr. Fusco? Sério? Ora, francamente…

Episódios anteriores:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários