Review | Person of Interest 1×13: “Root Cause”

  Leandro de Barros  |    segunda-feira, 06 de fevereiro de 2012

Person of Interest mostrou ser uma série que não tem medo de tentar modelos diferentes para fazer a mesma coisa de sempre e ainda trouxe de volta uma das personagens mais legais que já apresentou

Spoilers abaixo.

Em Root Cause, Person of Interest mostrou ser uma série que não tem medo de tentar modelos diferentes para fazer a mesma coisa de sempre. A série possui uma estrutura de desenvolvimento muito fixa: cada episódio começa com Mr. Finch (Michael Emerson) entrega um novo número de CPF para Reese (Jim Caviezel), nós começamos a acompanhar o ex-agente da CIA seguindo o novo alvo, somos expostos ao ambiente onde o dono do CPF vive, Carter (Taraji Henson) e Fusco (Kevin Chapman) eventualmente se envolvem e tudo acaba bem no final.

Porém, contudo e todavia, a série busca novas maneiras de fazer isso. Em algumas ocasiões, nós sabemos logo quem quer matar quem e porque e então vemos Reese salvar o dia. Em outros casos, somos surpreendidos ao descobrir que o vilão era a vítima.  Existem ainda situações onde a série apostou na tentativa de enganar o espectador, fazendo-o acreditar que um personagem era o vilão, quando era outro na verdade. Nunca funcionou.

Nesse episódio, a aposta fica em um novo modelo. Foi quase como se a série dissesse: “Ok, a gente não conseguiu enganar vocês antes, então vamos ser mais simples e jogar limpo”. Funcionou muito bem. Em Root Cause, o dono do CPF escolhido pela máquina é Scott Powell, um funcionário público que perdeu o emprego por causa das ações de um candidato à deputado nos EUA. Não demora muito para Finch e Reese descobrirem emails de ódio e ameaças vindas de Powell para o tal deputado e, quando o deputado é assassinado publicamente e todas as evidências apontavam na decisão de Scott, o caso parecia encerrado. O problema é que ele não era o culpado.

Nesse ponto o episódio dá uma volta de 180º graus e começa a subir no nosso conceito. A série introduz uma rival para Finch: Root, uma super-mega-hiper hacker que consegue ludibriar até mesmo o criador da Máquina e é a responsável, indiretamente, pelo assassinato do deputado. Root havia sido contratada pelo sócio do candidato para cuidar do assassinato dele, escolhendo Powell como bode expiatório. Aí, foi questão dela hackear a internet do rapaz, falsificar os emails e armar todos os acontecimentos para que ele fosse considerado culpado.

Aliás, Root conseguiu duas façanhas até então não conseguidas por ninguém: enganou Mr. Finch e enganou a Máquina. Ok, tem a desculpa do “mas a vida de Powell ainda estava em perigo”, mas ela enganou a Máquina e ponto final. Até porque fazia mais sentido ela dar o CPF do candidato a deputado do que do bode expiatório. Mas eu estou fantasiando, eu entendi a explicação dada pela série.

Para concluir sobre o caso da semana, vamos precisar relembrar algo que eu escrevi numa das reviews anteriores: “Uma das coisas boas foi a tal Morgan. Carismática, larápia, sempre com uma carta na manga, ela é uma espécie de Reese de saias. Uma personagem 50 mil vezes mais interessante que a Detetive Carter e que deveria virar efetiva na série. Vamos fazer uma petição!“.

Pois é, eu peço para a dona Zoe Morgan (Paige Turco), que apareceu no sexto episódio da temporada, voltar a aparecer e, pouco tempo depois, ela volta a aparecer! Amigo Jonathan Nolan, eu já sei que você lê o Supernovo. Obrigado pela preferência, me mande um email para que possamos discutir mais idéias sobre a série, ok?

Falando sério agora, acho que era unânime que a tal Zoe Morgan poderia fazer mais uma aparição durante a temporada. Ela é uma personagem muito útil, pois é quase como uma versão feminina de Reese, só que com habilidades de larápios que o Jim Caviezel não tem. Eu gostei muito de vê-la novamente e não duvido que ela volte a aparecer nas próximas temporadas (a série ainda não foi renovada, mas parece que é questão de tempo).

Por fim, temos uma nova vilã na parada. Claro que Root consegue escapar ilesa da brincadeira, mas não sem antes escolher Mr. Finch como um adversário à altura. Gostei do nosso querido Harold ganhar uma Nemesis também, mas espero que a série não esqueça da existência de Elias. Uma coisa que tem me chamado a atenção são os “vilões da temporada” já mostrados: Elias, os caras da CIA atrás do Reese, a própria Carter (não acredito mas também não descarto uma recaída) e agora a Root. Ah, e não podemos esquecer de Will, o filho do ex-sócio do Mr. Finch. Não sabemos como ele vai se desenvolver ainda. Como nós confiamos na equipe por trás da série, vamos aguardar.

Episódios anteriores:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários