Review | Game of Thrones 2×10: “Valar Morghulis”

  Leandro de Barros  |    quinta-feira, 07 de junho de 2012

Apita o árbitro e é fim de temporada em Westeros. O que acontecerá agora?

Demora muito pra chegar o ano que vem?

Spoilers abaixo.

 

E assim, chegou ao fim a segunda temporada de Game of Thrones. Vou ser honesto, esse último episódio não chegou perto de Blackwater, uma semana antes, mas foi bem interessante de se ver.

Assim como na primeira temporada, tivemos um nono episódio absolutamente fantástico e um season finale mais morno, mas com um cliffhanger enorme.

E já que estamos no começo da review, vamos começar falando sobre o final do episódio. Que os dragões queimem a lógica e os Outros amarrem aqueles que reclamarem em um navio rumo ao inferno!

O último “rosto” que nós podemos ver na segunda temporada de Game of Thrones é o de um dos Outros, aqueles monstrengos bizarros que apareceram no primeiro episódio da série. Afinal, o que são essas criaturas? A gente sabe pouco sobre. O que dá pra conjecturar é que eles são muito ligados ao frio e ao inverno (foi só eles aparecerem que alguém pesou a mão no ar-condicionado do estúdio) e, de alguma forma, controlam os mortos.

Se vocês repararem bem na cena final, tem dois tipos de criaturas: os Outros, com a pele diferente dos humanos e com armas de gelo, e uns zumbis muito loucos, que são humanos normais que morreram e ressurgiram direto do colo do Coisa Ruim.

Eles surgiram ali na frente do nosso querido Sam, enquanto os outros dois Patrulheiros fugiam. Considerando a incrível habilidade de combate de Sam, dá pra esperar que ele comece a terceira temporada morto, né? Quer dizer, ele está no meio de um exército zumbi controlado por Outros. Se bem que ninguém prestou muita atenção nele, mas enfim… vamos torcer pelo melhor e esperar pelo pior.

Outro grande problema desse crossover com The Walking Dead, é que os zumbis estão se dirigindo à Muralha. Sabe quem também está indo para a Muralha? Mance Ryder e os selvagens. Pelo que a gente viu através dos olhos de Jon Snow, o exército de Ryder é gigantesco. Sério, estilo Senhor dos Anéis. É uma pena que Game of Thrones é uma série com um orçamento apertado. Já imaginaram ver um exército daquele tamanho numa batalha? Seria foda…

E por falar em Jon Snow, quero citar uma das mudanças dos livros para a série que eu considerei um erro nessa temporada. Não é spoiler dos livros, porque vocês já sabem o final, mas enfim… no livro, Jon Snow e Qhorin Meia-Mão estão fugindo do Camisa de Chocalhos e dos outros selvagens e acabam meio que refugiados em uma caverna. Alí, Qhorin explica quase todo o plano para Jon: é para o Jon fazer o possível para se integrar com os selvagens, para que eles confiem nele e tudo mais e depois o Jon pode destruí-los ou matar o Mance Ryder. Só depois disso eles são encontrados e o Jon mata o Qhorin para “provar” sua lealdade aos selvagens.

Na série de TV, nada disso é explicado. Claro, a gente saca que o Qhorin tá armando uma pro Jon matá-lo e virar amiguinho de infância dos selvagens, mas da maneira como foi feita, ficou estranho. Quer dizer, assim que o Qhorin cai o Camisa de Chocalhos já liberta o Jon? Não houve a ligação fim (ir para o lado dos selvagens) com o meio (matar Qhorin).

Aproveitando que eu estou no modo reclamão, vamos falar sobre Daenerys na Casa dos Imortais. O que vimos no episódio foi Daenerys tendo de abrir mão de duas das coisas que ela mais queria para poder achar seus dragões: o Trono de Ferro e Khal Drogo com seu filho. Aliás, uma pausa para comentar a volta de Jason Momoa à série: bem legal a participação do ator e a iniciativa da série de colocar o Drogo em algum lugar de novo.

Voltando, Dany abandona seus dois desejos para reencontrar seus dragões e então matar o Naruto usando o Katon Goukakyuu no Jutsu. Até aí, beleza. Não reclamo de nada. Eu só começo a achar ruim quando noto a ausência de certas cenas de dentro da Casa dos Imortais. No livro, Daenerys acaba tendo váááááárias visões “proféticas” sobre alguns personagens da série. Uma das minhas favoritas mostra Rhaegar Targaryen (o irmão de Daenerys morto antes do começo da série e que acabou causando a rebelião que colocou Robert Baratheon como Rei de Westeros) dando motivos para uma das maiores teorias sobre a série. Motivos que eu não compartilharei porque 1) eu sou mal e 2) a série vai explorar isso mais à fundo nos próximos livros. Acho que a ausência dessas visões podem prejudicar um pouco o desenvolvimento da série, mas podem ser colocadas em outros momentos também, então não vamos criar caso aqui.

Com os outros personagens, tivemos poucas novidades:

  • Arya se despediu de Jaqen (um dos personagens mais fodas dessa segunda temporada) e ganhou uma moeda e uma promessa. Se ela quiser encontrar com ele de novo, basta dar a moeda à qualquer pessoa de Bravos e dizer as palavras “Valar Morghulis”.O significado dessas palavras não é spoiler, mas não vou dizer pelo simples motivo de que não foi dito na série. Google pra quem quiser saber;
  • O Rei Joffrey distribuiu as honras aos vencedores da batalha do último episódio. Agora, Tywin Lannister finalmente assume sua posição como Mão do Rei. Também descobrimos que foi Mindinho, aquele salafrário de fala mansa, que arquitetou a aliança entre os Lannisters e os Tyrell. Por causa disso, Mindinho ganhou o castelo de Harrenhal, aquele onde Arya e Tywin estavam antes. Para completar, Joffrey agora vai se casar com Margaery, ex-mulher do falecido Renly Baratheon. Como ele partilhava gostos com o Lanterna Verde, o casamento não foi “consumado” e ela pode escolher outro rei agora. Maria-Coroa…
  • Sansa Stark ficou feliz com a novidade, mas logo Mindinho já tratou de acabar com a felicidade dizendo que ela não vai ter vida fácil, já que Joffrey não larga seus brinquedos com facilidade. Uma coisa bizarra que notei nessa cena: Mindinho era apaixonado pela Lady Catelyn, certo? Agora, ele fica todo cheio de dedos, falas macias e olhos esbugalhados pra cima da Sansa. Poderia ele estar direcionando seu desejo pela Matriarca Stark para a pequena lobinha?;
  • Brienne e Jaime Lannister tiveram poucos minutos de tela, mas o suficiente para me desagradar e agradar ao mesmo tempo. Nos livros, Brienne nunca matou ninguém e, quando o faz pela primeira vez, o assassinato tem um impacto nela. Na série, ela passa a espada sem dó. Isso me desagrada porque distancia um pouco da personagem que a gente conhece. Me agrada porque ela ficou mais legal assim;
  • Theon Greyjoy, o traidor e concorrente de Joffrey no posto de personagem mais asqueroso da série, foi traído pelo seus homens de ferro, após um discurso bem legal. Robb Stark avisou há algumas semanas: “Qualquer homem de ferro pode voltar para casa, menos Theon Greyjoy”. Esse é outro que não deve sobreviver muito tempo;
  • O Meistre Luwin, fiel servidor de Winterfell, não conseguiu evitar que o castelo caísse nas mãos de Theon. Depois, não conseguiu evitar que Theon “matasse” os jovens Stark. Por fim, não conseguiu evitar que Theon fosse traído. Foi uma má temporada para o simpático sábio, mas a morte dele me deixou triste. RIP!

Considerações Finais da Temporada

Peço desculpas pelo texto longo (e pela demora em sair), mas vou ocupar mais algumas linhas fazendo um resumão do que eu achei da segunda temporada e o que esperar pela próxima.

Essa foi a primeira temporada de Game of Thrones que eu acompanhei depois de ler os livros. Eu conheci a saga pela série de TV e só fui começar a ler depois que a primeira temporada terminou. Assim, me surpreendi com algumas mudanças e diferenças entre as duas mídias. Nada muito grande foi mudado e, do que foi alterado, nada que não possa ser arrumado na próxima temporada, caso seja necessário. Quando se adapta algo para outro mídia, é complicado manter-se 100% fiel, por isso eu entendo essas mudanças.

A trama da temporada em si, foi boa de se acompanhar. Talvez tenha faltado porrada no começo, mas George R.R. Martin construiu o livro assim, culminando tudo na Batalha de Água Negra. O destaque especial fica para o enigma de Varys, onde aprendemos que o poder reside onde os homens acreditam que reside. E, afinal, é o que acontece. E vai acontecer.

Próxima Temporada

O que esperar dos próximos episódios? Pra começar, vamos analisar o título do próximo livro: A Tormenta de Espadas. Então, esperemos MUITA sanguinolência, pescoço quebrado e sangue espirrado.

Teremos Jon Snow ao lado dos selvagens, conhecendo o carismático Mance Ryder. Teremos Tyrion se recuperando dos seus ferimentos e tentando encontrar um lugar em Porto Real, agora que a sua irmã quer a sua cabeça e seu pai é o novo Mão do Rei.

E falando em Mão do Rei, como será a vida de Tywin Lannister comandando o reino? Se vocês se lembram, Ned Stark era o Mão do Rei e protagonista da primeira temporada. Tyrion era o Mão do Rei nessa, e também foi o protagonista. Ambos acabaram feridos na cabeça no nono episódio das respectivas temporadas. Um futuro sombrio aguarda Tywin Lannister?

Arya Stark viajará sem lei por Winterfell, enquanto Bran e Rickon tentam chegar até a Muralha. Sansa Stark continuará na corte de Porto Real e Robb Stark continuará batalhando contra os Lannisters. Aliás, Robb vai precisar resolver essa situação com os Frey primeiro, já que ele casou com outra mulher sendo prometido para a filha do Patriarca Frey. Depois disso, ele vai poder caçar o Regicida à vontade, se vingar de Theon Greyjoy e lutar contra Tywin Lannister.

Devemos esperar pelo casamento do Rey Joffrey com a delicinha Margaery Tyrell, a maior maria-coroa de Westeros. Fora isso, não vamos nos esquecer dos dragões de Daenerys!

Episódios Anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários