Review | Game of Thrones 2×07: “A Man Without Honor”

  Leandro de Barros  |    terça-feira, 15 de maio de 2012

Theon Greyjoy e Jaime Lannister, os homens sem honra de Game of Thrones

É melhor ser cruel do que fraco” – GREYJOY, Theon.

Spoilers abaixo.

Theon, seu filho de uma grande meretriz! Havia de lhe nascer um pessegueiro no toba a dar abóboras! Como você fez isso? COMO???

Ok, desculpem, vamos lá. Já que eu citei o Theon duas vezes, vamos começar pelo núcleo de Winterfell.

No fim do episódio passado, nós vimos Bran, Osha, Hodor, Rickon e os dois lobos (Verão e Cão Felpudo) fugindo de Winterfell, que ficou sob domínio de Theon Greyjoy. Até aí tudo bem. O problema é que o filho de Balon Greyjoy acorda no dia seguinte, percebe a fuga e coloca os capangas dele atrás da mulecadinha. Chegamos até um ponto onde vimos os garotos Stark perto de uma fazenda, onde Theon chega logo em seguida. Depois de algumas ameaças, espancamentos e frases de efeito, Theon e Dragmar Boca-Rachada acham as cascas das nozes que os garotos comiam. Theon manda o velho Meistre Luwin embora pra Winterfell e a cena acaba. Na cena seguinte, Theon exibe o corpo carbonizado de Bran Stark e Rickon Stark para toda Winterfell.

Theon, sério, cê é muito fdp hein?

Algumas considerações sobre o caso: onde estão os corpos de Osha, Hodor e dos lobos? Aqueles ali são mesmo Rickon e Bran? Digo isso porque um deles era quase um homem já, me pareceu bem maior que os garotos. Como Robb Stark reagirá com a notícia?

E por falar em Robb Stark, aquele safadjénho terá mais alguns problemas em mãos. A situação no seu acampamento fugiu do controle, tudo por causa de Jaime Lannister, o Regicida.

Aquele primo dos Lannisters, que foi entregar uma mensagem de Robb até o Rei Joffrey no começo da temporada, voltou agora ao acampamento do Jovem Lobo. Como as celas estavam lotadas, Robb colocou o rapaz na mesma cela de Jaime Lannister. O cara, astuto como uma raposa e ágil como um leão, aproveitou a oportunidade e engendrou um bom plano de fuga: matou o primo e depois matou o guarda que abriu a porta da cela, conseguindo fugir. Só que isso de nada adiantou: ele foi capturado logo em seguida e o caos se instaurou. O pai do guarda, que é um importante vassalo de Robb, quer a cabeça de Jaime Lannister como vingança. Obviamente, os Stark não podem matar o Jaime, senão a Rainha Cersei mata a jovem Sansa (e a Lady Stark ainda acredita que Arya está com eles também).

A situação fica ainda mais complicada quando Lady Stark vai até a cela de Jaime, ouve algumas provocações da boca do Regicida e pede a espada de Brienne. O que ela fez com essa espada? Espero que não tenha matado Jaime. Seria péssimo se a Rainha matasse a Sansa como vingança, seria mais uma morte Stark (tão comum ultimamente).

Aliás, aproveitando que estamos falando sobre isso, queria deixar uma citação do Jaime que achei bem interessante: “Tantos votos. Defender o Rei. Obedecer o Rei. Obedecer seu pai. Proteger os inocentes. Defender os fracos. Mas e se o seu pai despreza o Rei? E se o Rei massacra os inocentes? Não importa o que você faça, você estará quebrando um juramento ou outro“.

Nós ainda não sabemos os acontecimentos que levaram Jaime a ser chamado de Regicida (eu tenho um palpite: acho que ele matou um rei!). Essa frase pode ser uma dica.

Mas agora chega de Stark, Lannister, Greyjoy… esse povo de Westeros anda muito cruél. Vamos ver o que aconteceu com Jon Snow e Ygritte na terra dos selvagens.

No último episódio, vimos que os dois não se bicavam muito, apesar de Ygritte dar umas oportunidades de bicada, if you know what i mean. A garota continua provocando Jon nesse episódio e é bem legal ver como os dois são tão diferentes. Ygritte explica que seu povo é livre para fazer o que bem entender, enquanto o povo de Westeros chama-os de selvagem.

Muito interessante a composição da cena: Ygritte, prisioneira de Jon Snow, brandando ser livre enquanto Jon Snow, que está teoricamente livre, na verdade é prisioneiro de seus votos. Essa cena nos faz lembrar uma coisa: há uma diferença enorme entre SER livre e ESTAR livre. Jon Snow está livre para ir e vir à vontade por Westeros ou por Além da Muralha, mas ele É livre? Não, seus votos o impedem de fugir/ter uma mulher/ter filhos/ter riquezas.

Depois de um “Você não sabe de nada, Jon Snow” (o primeiro de muitos!), Ygritte dá um chega pra lá no Patrulheiro da Noite e Jon acaba caindo numa armadilha dos selvagens. Agora ele está rodeado de inimigos, sozinho no gelo. Mais ou menos a mesma posição em que Ygritte esteve no episódio passado. Será que ela poupará a vida do bastardo de Ned Stark como ele poupou a dela?

Em Qarth, eu continuo me assustando com a série. Primeiro que aquele Xaro Xhoan Daxos me assusta com sua voz suave, nome impronunciável e aparente poder. Agora ele se une à aquele bizarrão que eu não sei o nome (chamarei de Naruto daqui pra frente) e  se proclamou Rei de Qarth. Me lembrei de uma citação de Lady Stark no começo da temporada: “Há um rei em cada esquina agora”.

Sendo assim, me proclamo o Rei do Meu Quarto. Prestem homenagens, vassalagem!

Err, continuando. Xaro Xhoan Daxos é agora Rei de Qarth e Naruto (entenda o porquê do nome) está de posse dos dragões de Daenerys. Como nenhum deles é um Targaryen e nenhum deles é a Mãe de Dragões, eles precisam de Dany para que os bichos cresçam e possam estar prontos para destruir cidades, aprisionar donzelas em torres e servir de vilões de jogos de RPG do Snes, coisas que todos os dragões fazem.

Sinceramente, espero que Daenerys vá até a tal Casa dos Imortais, pegue os dragões de volta, enfie meia dúzia de espada nesses tais Imortais e mostre para o Naruto a força do Cólera do Dragão.

Opa, percebo que esqueci de comentar os acontecimentos de Porto Real e Harrenhal. Na capital do Reino, Sansa tem a sua primeira menstruação. Isso significa que ela já está pronta para casar com o detestável Joffrey e ser a mãe dos filhos peçonhentos dele. Pobre Sansa. Por mais que ela tentasse esconder (com a ajuda de Shae), não deu muito certo.

Porém, se tem uma coisa boa nisso tudo, é a humanização de Cersei. Até agora, a gente sempre viu a Rainha Regente como uma cobra, víbora, peçonhenta, maligna e outros adjetivos que encaixam como uma luva nela. Mas, nesse episódio, vimos uma versão mais frágil, mais aberta da personagem.

Cersei considera o amor uma fraqueza, pois o amor torna um ser humano refém de outro. É o amor à Sansa e Arya que faz com que Lady Stark e Robb não matem Jaime Lannister e é o amor à Jaime que impede que Sansa seja morta. Por isso, Cersei limita seu amor apenas aos seus filhos, limitando assim sua fraqueza. Foi por isso que vimos a Rainha tão descontrolada quando soube que Tyrion mandaria Myrcella à Dorne. Podemos dizer o que quisermos, mas não dá pra negar que Cersei é uma mãe forte como uma leoa. Pode ser perigosa como uma cobra também, mas enfim…

Enquanto isso, em Harrenhal, Tywin Lannister começa a investigar quem tentou matá-lo no último episódio. Mal sabe que ele não era o alvo. Se fosse, tava morto já, mermão! Jaqen H’ghar não brinca, fi. Deus perdoa, Jaqen H’ghar manda para o Deus Vermelho, é assim que funciona. Torce pra Arya não escolher teu nome na próxima vez, amigo.

Mas eu realmente gostei de ver a interação entre Arya e Lannister Pai. Dá quase pra dizer que eles são amigos, se o Tywin tivesse algum amigo na vida e a Arya não gostasse de enfiar uma faca no pescoço do cara. Ah, e ele já sacou que a Arya não é filha de construtor nenhum e sim uma nobre. Ainda bem que ele não cogitou a hipótese dela ser uma Stark.

Promo do próximo episódio

http://www.youtube.com/watch?v=3oUnkfdHEfk

Episódios Anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários