Review | Fringe 5×07: Five-Twenty-Ten

João Araújo

  sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Review | Fringe 5×07: Five-Twenty-Ten

Reencontro com Nina, medos de Walter e a desvenda de Olivia. E já falei que teremos, provavelmente, um novo Observador? O problema é que é alguém conhecido...

No episódio anterior, tivemos a oportunidade de ver um pouco (e pouco define bem a quantidade) as alterações que se verificaram em Peter, após a sua mais recente auto-operação. Na verdade, o último episódio terminou com isso mesmo: a visão azul de Peter, que lhe permite ver através da matéria. E se tal não bastou (eu sei que não), o episódio 5×07 – Five-Twenty-Ten foca exatamente as mudanças em Peter, adicionadas à desconfiança de Olivia em relação a Peter e o medo de Walter quanto ao homem que se está a tornar.

O episódio inicia com uma cena em que Peter se encontra na rua, a observar o que o rodeia. Se não fosse ele quem é, eu diria que se tratava de um Observador. O personagem adota um conjunto de caraterísticas típicas dos membros carecas, influenciado pelo chip. Peter prevê um futuro próximo, relacionado com uma situação que observa. Contudo, a sua previsão falhou, por pouco. E isto terá influência em futuras previsões.

Meanwhile, in Harvard.

Nova gravação é recuperada e é igualmente recuperada uma memória das primeiras temporadas de Fringe. Objetos metálicos que surgem da superfície da Terra. Lembram algo? Exatamente. Acontece que tais objetos cilíndricos são da criação dos Observadores, e servem para localizar diversos pontos do espaço-tempo. É necessário, diz Walter no vídeo, recuperar dois destes. Dois que existem no laboratório de Walter e Bell, na Kelvin Genetics, onde o acesso é permitido apenas pelas impressões de Bell (ah, bem dita sejas, mão cortada no primeiro episódio da 5ª temporada). Walter reflete acerca do facto de o seu ex-colega estar em âmbar e conclui que está a tornar-se o tal homem ambicioso que descreveu no episódio anterior. Contudo, Astrid esclarece que William os traiu, e esse era o porquê de estar preso na substância.

O edifício encontra-se em ruínas, cujos detritos impedem a passagem ao laboratório subterrâneo. Numa cena enquanto discutem como irão entrar no laboratório, Peter começa a sangrar do ouvido. Amigos, nunca façam um transplante de um objeto não identificado para o vosso cérebro. Pode correr mal.

Entretanto, Anil liga a Peter a anunciar que o seu plano não funcionou. Peter ligara a Anil a pedir-lhe que esperasse por um Observador num parque onde ele se iria esquecer de uma mala e aí Anil substitui-la-ia por outra, roubando a original. Mas a previsão de Peter não englobou todas as variáveis, e falhou. Peter combina então que Anil irá esperar à entrada de um edifício pela chegada desse mesmo Observador e, à chegada do careca, ligaria a Peter. Quando questionado por Olivia sobre o porquê da chamada, Peter mente-lhe. Mas Olivia não acredita, continuando com as suas desconfianças.

De volta ao problema das ruínas, decidem que Nina, que trabalha no Ministério da Ciência, os poderá ajudar. Dá-se um bom encontro entre Nina e Olivia e a nova ajuda fala de uma solução: um dispositivo que acelera as moléculas de toda a matéria de uma área controlada. Resumindo, um dispositivo que converte material sólido em gasoso.

Walter e Nina têm o spotlight no episódio, em termos de diálogos. Os dois falam acerca das mudanças em Walter e o cientista diz que, desta vez, é diferente. Ele tem o filho e este impedi-lo-á de voltar a ser o que era. Melhor que qualquer personagem na série, Nina sabe bem como era Walter no passado. Um cientista arrogante, em conjunto com William Bell, que sentiram o poder de ser Deus. O problema é que Nina já fez o papel da salvadora, tal como Walter espera de Peter, e não resultou. Tal como ela não foi suficiente para Bell, Peter poderá não ser suficiente para Walter. Irritado, o cientista afirma que o seu colega nunca a amou, e esse é o porquê para a sua relação nunca ter sido suficiente, comparada ao poder do conhecimento. E, ironicamente, todo o argumento de Walter é típico do seu eu anterior, que é de imediato apontado por Nina.

A confirmação de que Olivia suspeita (não era necessária, mas esteve presente) de Peter foi vista na conversa entre a agente e Astrid. O problema, admite Olivia, é que era suposto, depois do que aconteceu, agarrarem-se um ao outro para terem um meio de apoio entre os dois, mas com tudo o que Peter lhe esconde, cria-se um medo que tudo esteja para um fim breve.

Entretanto, Peter entra na receção de um hotel e desloca-se à receção para deixar uma mala. Espera um pouco no bar e, não tarda, chega o dito Observador, que deixa a sua mala na receção. Peter desloca-se novamente lá e aproveita a distração da rececionista que se encontra numa chamada, para esta lhe entregar não a sua, mas a mala do Observador. Não muito tempo depois, o Observador chega a um edifício com a mala trocada, onde Anil o observa. Vê o careca a entrar no edifício e faz a sua parte do plano. Mal efetua a chamada dá-se uma explosão num dos andares, onde três Observadores morrem. Anil contacta Peter, para lhe contar que foi um sucesso. Quando abordado por Olivia acerca do porquê desta chamada, Peter mente mais uma vez.

De volta às ruínas, o dispositivo funciona e estão no laboratório em segundos. Desconfiam que os cilindros estão num cofre e Walter tenta lembrar-se do código, mas com dificuldade. Peter diz para se acalmar e pensar sem pressão, apesar de Olivia alertar que os Observadores devem estar quase a chegar, pois, como lhe informou Nina, eles detetam as pressões alteradas no ar, fruto do dispositivo usado. Peter, usando os seus novos “poderes”, acalma Walter com sucesso e este abre o cofre. Sem cilindros. Apenas com um dispositivo desconhecido e uma foto de Nina, mais nova, e todos (todos somos nós, espectadores) concluem imediatamente que Bell a amou. O dispositivo desconhecido, descobrem que, ao toque de Peter, faz surgir do chão os ditos cilindros. Afinal foi tudo bem sucedido.

Walter encontra-se com Nina e dá-lhe a foto que se encontrava no cofre de Bell. Pede-lhe desculpa, admitindo o erro. Ele amava-a. E mesmo ambos se amando, isso não foi suficiente para Bell mudar, o que floresce os medos de Walter, que diz que irá afastar tudo e todos, fazendo-os sofrer. Com isto, implora a Nina que lhe remova as partes do seu cérebro, para que não se torne no que fora anteriormente.

Walter: Please, Nina.

Em casa, Olivia desvenda o mistério. Peter admite que tem tecnologia dos Observadores nele, dando-lhe vantagem. Admite também ter usado a toxina do seu primeiro caso Fringe (voo 627) para matar os Observadores. Totalmente controlado pelo seu poder Observador, diz, sincronizadamente, as falas de Olivia, assustando-a. Ela foge, deixando-o sozinho com as suas cronologias e a sua queda de cabelo.

Os episódios têm-se vindo a demonstrar pretextos para desenvolver a parte emocional das personagens. Um novo objetivo é definido mas os valores e ambições é que são investigadas. 5×07 foi o verdadeiro exemplo disso: um episódio completo para recuperar cilindros. Sem ação, mas com bastante aprofundamento nos medos, inseguranças, objetivos, mudanças e ambições das personagens. O próximo episódio trará, espero eu, respostas a todos estes elementos recolhidos, e com mais certeza, a perspetiva do que mudará na relação de Peter (quase um Observador!) e Olivia e no que fará Nina face ao pedido desesperado de Walter.

See you there!


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários