Review | Fringe 4×09: “Enemy of My Enemy”

  Eder Augusto de Barros  |    sábado, 28 de janeiro de 2012

Inimigo do meu inimigo, um episódio que prende algumas pontas, amarra outras, e solta uma ponta bem grande chama David Robert Jones! #SaveFringe

Jared Harris como David Robert Jones

Como esperado e mostrado no fim do último episódio, David Robert Jones está de volta, e vai tudo acabar como começou, com o mesmo vilão. Sim, eu já estou me conformando com o fim da série, todo mundo está, a Fox já disse que é o mais provável e até J.J. Abrams já prometeu dirigir um episódio no caso da renovação.

Eu ainda não estou completamente convencido de uma grande temporada de encerramento, acho tudo ainda muito confuso, não que eu não esteja entendendo, não é esse o ponto, mas essa falta de explicação característica da  série com a complexidade da trama desta temporada está afastando ainda mais o público e deixando os episódios chatos demais.

Peter continua insistindo que essa não é a guerra dele, no entando ele ajuda, e não só, une os dois universos. Era essa a função dele ao entrar na máquina, unir os dois universos? Ok, faria sentido, explicaria o deslocamento da linha temporal, mas e aí? Como termina?

Apesar de achar redundante, e pouco criativo, gostei da volta de David Robert Jones, o ator Jared Harris é foda, o personagem é bom, mas então o Peter não o tinha matado na primeira tempora? Será que tinha mesmo como ele afirmou? Eu acho que não, já que Jones tem metade do rosto desfigurado, justamente como aconteceu sua suposta morte, cortado ao meio, muita coincidência. Não acredito na teoria de um lado C e D, na verdade acho que nem acredito numa linha temporal diferente, e sim numa “correção” na linha temporal, tirando Peter da memória de todos já que ele deveria ter morrido. Esse assunto ainda tem muito que evoluir.

Como sempre suspeitei, Nina Sharp é do mau e ponto final. Quer dizer então que Robert Jones tá armando uns esquemas com ela, pois está, e mais, o cara ainda passeia pelos universos e faz limpa geral, acho que está aí o que faltava para esquentar a temporada, um bom vilão, só temos de evoluir no nível de informação e empolgar o público.

Como eu já tinha dito no review do oitavo episódio, parece que realmente foi abandonada a estrutura do caso da semana para o restante dos episódios, o que é bem bom, Enemy of My Enemy não foi propriamente um grande episódio, aliás, nem perto disso. Mas contribuiu bastante para a trama da temporada. Apresentou os vilões Robert Jones e Broyles do lado B, mudou o comportamento de Peter e Walter, graças a Elizabeth. A união dos lados por um bem maior também foi legal. Estamos num bom caminho.

O Glyph Code da semana foi DEATH, que todo mundo sabe que significa Morte. Pode ser o que o Setembro falou para Olivia, sobre ela ter de morrer, como também pode ter algo ligado com a suposta morte de David Robert Jones, já que os dois últimos glyph codes foram DAVID e JONES.

Promo do próximo episódio: “Forced Perspective”

http://www.youtube.com/watch?v=Zgc6Gugmi9E

Reviews dos outros episódios


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários