Review | Breaking Bad 5×04/05: “Fifty-One” e “Dead Freight”

Os textos abaixo estão repletos de spoilers.

5×04: Fifty-One

Completamos um ano na linha temporal de Breaking Bad, acompanhamos a vida de Walter White durante 4 temporadas, que representaram um ano para o nosso antagonista. O primeiro episódio da série era o aniversário de 50 anos de Walter se você não se lembra.

Começamos o episódio com mais um a demonstração de que Walt já perdeu completamente o que lhe restava de pudor. Ele vende seu antigo carrinho, aquele que o acompanhou por muito tempo, por apenas 50 doláres e alugou um Chrysler para ele e um Dodge Challenger para Walter Jr. igual aquele que ele destruiu na quarta temporada.

Depois vemos Hank e seu bando visitando Lydia em seu escritório, o que depois gerará uma grande merda. Mike como já tinha combinado com ela o fornecimento de um galão de metilamina, porém ela notou um GPS preso ao galão que ocasionou uma ira em Mike por matá-la, achando que ela colocou o GPS de propósito para afastá-los.

Como é aniversário de Walter, e ele pede, implora, clama por uma festa. Skyler então organiza o que ele merece, um jantar mudo com Hank e Marie. E com direito a tentativa de suicídio no fim. Skyler está maravilhosa essa temporada, só que ao contrário.

Sou daqueles que torce ferozmente por Walter, sério, acho que ele faz o que está no que ele pode fazer pela família na situação em que está, ele foi esticado até o limite da pressão, quando não deu mais, arrebentou.

Voltando ao assunto metilamina, Mike está furioso com Lydia e quer matá-la, depois de alguma discussão, que não somos dignos de presenciar nem saber, pelo menos não nesse episódio, Walt se encaminha para casa quando é abordado por Jesse que diz ter gostado da idéia de Walt, a tal que não ficamos sabendo, e o presenteia com um relógio por seu aniversário.

Ai vem a cena mais foda do episódio, Walter chega em casa, e está lá a Skyler, sozinha, já que ela pediu para Hank e Marie ficarem com as crianças enquanto Walter estiver no negócio da meth, e ela diz que não vê a hora do câncer voltar para que ele morra. Eu dava-lhe um sopapo na fuça sem dó. Mas Walt foi categórico, mostrou o relógio e disse que a pessoa que lhe deu à duas semanas queria lhe matar e estava com a arma na sua testa, e ele fez a pessoa mudar o pensamento à respeito dele, e fará ela também.

Eu já havia dito que a relação pai e filho de Walter com Jesse está muito intensificada essa temporada, aliás, por enquanto vejo como o foco do desfecho. Vamos ver o que essa relação nos guarda.

5×05: Dead Freight

O melhor episódio até agora nessa quinta temporada, e um dos melhores da série em minha opinião. Infelizmente é um episódio que não tem muito sobre o que comentar. Foi ação pura e crua.

Bom, no 4º episódio, bem no fim, vimos Jesse dizer à Walt que tinha gostado de sua ideia em relação a Lydia. Bom, vamos a ideia, Walt plantou uma escuta na sala de Hank e depois com Lydia como refém, à fez ligar para Hank e reclamar dos GPS, ele disse que não foi ele e tal, porém quando estavam quase para matá-la ouvem pela escuta Hank ligar para seus colegas e saber que eles realmente tinham plantado os GPS.

Certo, Lydia inocente, mas e a metilamina?

Bom, ela tem um plano dessa vez, roubar um trem que transporta o químico. Ela saberá quando o trem passará pelo espaço morto no deserto próximo à Albuquerque. Ai que vem a genialidade dessa vez pela cabeça de Jesse, roubar o trem sem que ninguém perceba. Faz sentido, é realizável, e antes que reclamem, achei completamente possível. Retirar a substância, colocar água no lugar, não é igualmente densa mas até isso eles calcularam, eles roubariam apenas 4 ou 5% que pouco se notaria na diluição. Achei uma ideia de gênio, e como foi executada também.

Queria deixar uma observação que é mais uma pulga atrás da orelha para vocês, a ideia de Jesse veio exatamente como no primeiro episódio, quando Walt e Mike faziam um duelo de egos. Agora reparem, sempre que Mike e Walt estão discutindo algo, há um jogo de sombras em que apenas metade do rosto de cada um é visível. Talvez para representar que eles são a metade um do outro, ou que Mike é a parte menos podre de Walter, ou ainda, se formos mais longe, eles geralmente estão de frente quando isso acontece, seriam o reflexo um do outro? O que você acha?

Pra fechar o episódio exageradamente cagado aquela cena de Todd, mas tem algum atrito legal refletido no próximo episódio, deixo vocês com um videozinho do final alternativo:

Obviamente é uma brincadeira, e nunca seria assim o final, mas o que você achou?

Outras Reviews da Temporada

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...