Review | Awake 1×03/04/05: Guilty/Kate Is Enough/Oregon

  Leandro de Barros  |    terça-feira, 03 de abril de 2012

Resenha tripla de Awake porque nós não somos como Britten. Quando a gente dorme, a gente dorme mesmo... :(

Já que preguiça pouca é bobagem, deixamos atrasar dois episódios de Awake, mas vamor por ordem na casa, recheada de Spoilers

1×03: Guilty

Guilty foi talvez o melhor episódio até agora, os roteiristas souberam combinar muito bem as duas realidades com o caso da semana. O caso da semana é de um presidiário que foge da prisão e acaba sequestrando Rex. O objetivo de John Cooper (o presidiário) ao sequestrar Rex era chegar até Michael que o tinha prendido anos atrás, injustamente. Cooper queria que Michael investigasse novamente o crime com o objetivo de punir o verdadeiro culpado. Vamos chamar as Realidades de Verde (onde Rex vive) e Vermelha (onde Hannah vive), ok?

Bom, aí que entra a parte boa de jogar com as realidades. Nem preciso dizer que o sequestro ocorreu na Verde, Cooper exigiu um encontro com Britten e neste encontro acabou alvejado pela polícia que seguiu Michael e morreu, porém ele deixou uma pista de onde conseguir a inocencia, mas de que adiantava agora que Rex estava num cativeiro no meio do deserto e o único que sabia onde ele estava morreu. O tempo voava, ninguém sobrevive muito sem água, preso e no meio do deserto. Aí entra a ousadia dos roteiristas ao fazer Britten forçar o sono para mudar de realidade, encontrar com o Cooper vivo na prisão, e tentar tirar dele o lugar, para isso ele precisou encontrar o verdadeiro culpado, que era ninguém menos que seu parceiro na época.

Além desse caso da semana o episódio fez questão de deixar claro o conflito interno que Rex sofre por não conseguir estar próximo do pai, e não se conformar com a morte da mãe. Também foi insinuada uma aproximação entre Britten e a treinadora de Rex, Tara. Se isso realmente vier à acontecer, os conflitos entre os dois vão aumentar ainda mais.

Este foi um grande episódio, os roteiristas foram ousados a fazer com que as realidades se transformassem numa ferramenta na mão de Britten, e eu gostei desta transformação.

1×04: Kate Is Enough

Completamente o oposto do último episódio, Kate Is Enough foi o mais boring até o momento, o caso da semana foi extremamente chato e mau resolvido pela série, que se focou ainda mais nos conflitos de Rex, que no auge do seu stress acabou brigando com seu melhor amigo por uma raquete quebrada. Tenho até dó do Britten que tenta de tudo para fazer com que o filho supere a situação, mas nada resulta.

O episódio nos apresentou Kate Porter, a ex-babá de Rex, na realidade Vermelha ela agora uma investidora, que estava presente na cena do primeiro crime, enquanto na realidade Verde, ela é um sub-atriz em Los Angeles que tem problemas com drogas e más companhias. Os diferentes casos da semana foram meros detalhes, o objetivo foi mesmo apresentar Kate, que tem uma perda na família também, e as diferenças entre as duas realidades, na Vermelha ela superou a morte da irmã e só evolui como pessoa, a semelhança do que vem acontecendo com Hannah. Já na realidade Verde, Kate se afundou em cima das lembranças e revolta pela morte da irmã, destino que pode caber a Rex.

Ainda em destaque neste episódio são as explicações dos analistas de Michael sobre o encontro dele com Kate, uma explicação mais plausível que a outra que nos confunde ainda mais sobre as realidades e qual delas poderia ser a real, se é que alguma delas é real. Um bom episódio apesar de chato e parado.

1×05: Oregon

Acho que podemos marcar Oregon como um episódio diferente do que vimos até agora. Por exemplo, pela primeira vez temos um caso que fica numa realidade só.

O episódio todo gira em torno de um único caso de uma única realidade. O assassino Gemini volta a atacar nos EUA, dessa vez no território do Detetive Britten. Ele usa seus “poderes” pra quase capturar o cara, mas no fim, as coisas não dão tão certo.

Eu notei algumas coisas bem interessantes nesse episódio. A primeira é o esboço de um vilão. Cada dia mais eu tenho a teoria de que Britten está inconsciente no mundo real e as duas realidades que ele vive são “falsas”. Por isso, o tal Gemini acaba sendo uma espécie de recurso do subconsciente de Britten.

Mas qual seria o objetivo do assassino ali naquele mundo? Na minha opinião, colocar um senso de perigo no detetive. Considerando que ele está inconsciente, seu subconsciente sabe que ele vai ter de acordar em algum momento. Assim, colocar uma possível ameaça na vida do detetive serve para que ele não se acomode naqueles dois mundos, com o filho e a esposa. Para que ele busque melhorar.

Ou é isso, ou a audiência anda baixa e os produtores quiseram colocar alguma coisa ali pra esquentar a série. Mas confio na minha teoria.

Eu ainda acho que o Gemini aparecerá em breve na série (e a maneira como ele descobriu o segredo de Britten foi MUITO forçada, mas ok).

Veja a promo do próximo episódio:

http://www.youtube.com/watch?v=q0awubO3nGs

Episódios Anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários