Review | American Horror Story 1×11: “Birth”

  Jéssica Pagliai  |    domingo, 08 de janeiro de 2012

Então, se pensavamos que os Harmons tinham que ficar na casa por causa de Violet, agora com o nascimento dos gêmeos há uma outra razão...

American Horror Story - Birth

Ficamos a entender o porque de tamanho carinho que Tate sente por Nora, pois queria que ela fosse sua mãe. Foi ela que o salvou de Infantata, quando ainda criança foi ao porão atras de seu carrinho que lá havia caido. Ah, e ela que o ensinou como se livrar dos fantasmas fechando os olhos e dizendo vá embora e que mais tarde, disse a Violet como se fazia.

Como o título do episódio já sugere, a trama principal do episódio é quando Vivien dá a luz aos bebês. Mas claro, as coisas não seriam nada fáceis… Deixa o sanatório, para ir a casa de sua irmã Jo na Florida, e antes de sair, o médico diz que o bebê “alpha” está a tirar todos os nutrientes e deixando o outro bebê cada vez mais fraco e por essa razão, aconcelha a não de lá sair até que os gêmeos nasçam. Sem dar ouvidos ao doutor, vão até a casa para buscar Violet (que até tentou entrar no carro com o pai, mas obviamente não conseguiu) e é então que Vivien entra em trabalho de parto.

Enquanto isso, más notícias do bebê. Pois, não só Nora têm planos sobre os bebês, mas também como Chade e Patrick. Tanto, que o casal já estava até pintando e organizando o quarto para os futuros bebês. Eles queriam matar os bebês para que eles vai ser bonito sempre. Que horror, não!?

Constance, Ben, Dr. Montgomery  e as enfermeiras mortos são sua equipe sala de parto. Ou seja, a vizinha louca, o marido adultero, Doutor Frankenstein e duas estudantes de enfermagem fantasmas. Tinha como o parto ser mais doido? Acho que não, né!? E no final, o gêmeo mais fraco nasce já morto e o gêmeo “alpha” sobrevive. Doutor Montgomery entrega o bebê morto nas mãos de Nora e ela o leva, para saber se ele é realmente mortos continua a ser visto. Constance e Moira exclamar sobre como perfeito e belo o bebê sobreviver é, mas vamos ver em que um também. Enquanto isso, Vivien morre no parto, com uma terrivel hemorragia. Naquele momento, conversa com Violet dizendo que se estiver sofrendo, para que pare de lutar e vendo que não havia mais como escolher, acaba por se entregar. Naquele momento, já que Ben não podia ver Violet, penso que finalmente se dá conta que aquela não é uma casa normal. E o bebê sobrevivente? Bem, enquanto Moira e Constance estão limpando o bebê, e Hayden entra e pergunta sobre o “seu” bebê.

Violet fica preocupada com o Chade e Pat quererem ascrianças, então decide pedir a ajuda de Constance e Billie Dean para os mandar embora… E é então que a psíquica que Violet está morta. E tambem “ouve” todas as coisas ruins que Tate fez. Violet desperta suas suspeitas comportamento de Billie que são confirmadas mais tarde por Chad, que conta que Tate estuprou Vivian. E é então que Violet confronta Tate na minha opinião, a cena mais triste da temporada onde ele diz não saber realmente o que está acontecendo e chorando de todos e, em seguida, ela grita para ele “ir embora”, o mesmo jeito que a ensinou para se livrar dos espíritos da casa.

O episódio termina com um momento fofo entre mãe e filha, em que Vivian conforta Violet, dizendo estar orgulhosa da filha, por ela ter feito a coisa certa, e a defender daquele que amava…

Sinceramente, Tate… Para mim, o personagem mais complexo e fofo da série não pode acabar assim! Ok, ele errou bastante desde vivo até morto mas desde que conheceu e se envolveu com Violet está tão diferente. To torcendo para que ela o perdoe afinal pra mim ele não é mal apenas carente (já que Constance o tinha como seu filho perfeito, e pelos vistos achava que ele não precisava de seus cuidados como os outros). Como vimos logo no começo do episódio, quando Nora o salva e ele a diz: Queria que você fosse minha mãe #tadinho

E vocês, o que acham?

Outros reviews de American Horror Story:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários