Review | Avengers vs. X-Men #6 – Agora sim a saga pegou no tranco…

  Leandro de Barros  |    sexta-feira, 22 de junho de 2012

Avengers vs. X-Men pega no tranco, os mutantes mudam o planeta Terra e o Universo Marvel deve mudar MESMO dessa vez. Cheirinho de reboot?

Avengers vs. X-Men #6 começa o Segundo Ato da mega-saga de verão da Marvel. Na edição anterior, o bicho pegou e cinco mutantes acabaram assumindo o poder da Força Fênix. E agora? Há futuro para os Vingadores? A guerra já foi vencida?

Vamos descobrir, com spoilers abaixo.

Em primeiro lugar, eu tenho de dizer que considerei o Primeiro Ato de Avengers vs. X-Men, que compreende a edição #1 à #Cinco, bem fraquinho. Não foi tão ruim quanto fracassos de outrora, mas também deixou bastante à desejar, na minha opinião. A edição passada surpreendeu com o surgimento da Phoenix Five.

Eu achei o conceito deles bem forçado, mas não posso negar que foi algo surpreendente. E a utilização deles em AvX #6 abre possibilidades bem interessantes para o futuro do Universo Marvel.

A primeira coisa que temos acesso em AvX #6 é que a Fênix Cinco não ficou parada. Em questão de dias, Ciclope, Emma Frost, Namor, Colossus e Magia mudaram o mundo. Literalmente.

Campos fertéis cresceram na África, Sentinelas foram destruídas, os mares foram limpos, uma fonte de energia inesgotável e limpa foi desenvolvida e, milagrosamente, todos os problemas do mundo desapareceram. Além disso, a Fênix Cinco fez com que todos os países abandonassem todo seu poderio militar.

Lindo, fantástico e incrível, né? Mais ou menos. Eu sou daqueles que acha que o problema do mundo não é a fome, o clima ou a pobreza. Eu acho que o problema do mundo são as pessoas e suspeito que nossos amigos da Fênix Cinco vão descobrir isso em breve.

Continuando. A Fênix Cinco resolveu todos os problemas do mundo. Simples assim. Alguns podem reclamar que não é assim que a situação se resolve, mas foi assim que eles fizeram. E isso levanta alguns questionamentos, claro. Afinal, o que difere a Fênix Cinco de, por exemplo, o finado Saddam Hussein? As boas intenções? Não dá pra negar que os membros da Fênix Cinco estão com o coração no lugar certo, mas essa abordagem dará problemas em breve, tenho certeza.

Aliás, vale citar uma coisa: Ciclope e Emma Frost mostraram que estão controlando a Fênix sem problema e “continuam eles mesmos”. Ou seja, eles todos não estão sendo controlados pela Fênix.

Enfim, a Fênix Cinco fez tudo isso em apenas dez dias desde que assumiram todo esse poder da Força Fênix. Alguns dias depois disso, os Novos Vingadores levam um pau da Hydra e, quando estão prestes a ir pro saco, são salvos por Colossus. O mutante, porém, não ataca a organização e resolve a situação na diplomacia. Sério, “diplomacia” não é o nome do punho dele. Ele resolveu tudo na boa e ainda convenceu a organização a fornecer energia de graça pra parte do continente Europeu.

O Capitão América não gosta nadinha do relato dos Novos Vingadores e vai até a sala onde os maiores gênios dos Vingadores estão reunidos: Fera, Homem de Ferro, Pantera Negra e… Wolverine? Os quatro estão pensando em maneiras de derrotar a Fênix Cinco. A situação muda quando o Fera diz ser contra a idéia de combater os mutantes. Segundo ele, pessoas que ele conheceu a vida toda estão fazendo do planeta um lugar “tolerável” e os heróis mais poderosos da Terra querem acabar com isso. Ele é contra e sai dos Vingadores.

Mas a equipe continua com a idéia de deter a Fênix Cinco. Os Vingadores reúnem um time composto pelo Capitão América, Thor, Homem de Ferro, Wolverine, Gavião Arqueiro, Punho de Ferro, Viúva Negra e a Mulher-Aranha para uma missão rápida e cirúrgica de extração em Utopia. Os Vingadores perceberam que não dá pra combater a Fênix Cinco na porrada, então a intenção é ir até Utopia e extrair Hope Summers do controle dos mutantes.

À princípio, a missão é bem sucedida. Os Vingadores conseguem chegar no “apartamento” onde Hope está e pegam a garota. Mas então surgem Ciclope e Emma Frost e a batalha começa. Ciclope arrebenta com o Capitão América, enquanto Emma Frost rebate os ataques da Viúva Negra e da Mulher-Aranha contra elas. Nesse momento, o Punho de Ferro usa seus punhos para se defender e uma coisa bizarra acontece (explico mais pra frente). O Ciclope termina o serviço soltando um jato de energia que derrota os Vingadores restantes, sobrando apenas o Homem de Ferro e o Thor. Em um movimento, ele desativa a armadura de Tony Stark.  Depois, o Thor ameaça ir pra cima e o Ciclope manda ir. Aí acontece isso:

Também achei essa parte forçadinha, muito mangá way of life. Mas enfim, nesse momento, surge em Utopia a Feiticeira Escarlate. Ela tinha tido uma visão do futuro onde os Vingadores eram destruídos pela Força Fênix e vai até Utopia para impedir isso. Lá, o Ciclope explica que eles estavam apenas se defendendo e Hope diz que quer ir embora com a Feiticeira Escarlate. Ciclope tenta impedir mas, quando toca na filha do Magneto, alguma coisa acontece que o deixa receoso.

Depois que os Vingadores vão embora, Ciclope começa um monólogo dizendo que a humanidade sempre persegue os mutantes. Sejam eles muitos ou poucos, eles são sempre temidos e caçados. “Mesmo quando estamos no nosso estágio mais poderoso, mesmo quando estamos fazendo o favor de fazer da Terra um lugar mais aceitável, mesmo nesse momento a humanidade é ousada o suficiente para mandar seus heróis aqui para roubar nossa inocente – para roubar o nosso futuro… Eu finalmente percebi. São eles. Os homens sabem que, apesar dos seus infindáveis pecados contra os mutantes, seus heróis vão protegê-los. Eles farão tudo que seus líderes pensam que seja preciso fazer. Eu não vou mais tolerar isso, Emma. Isso vai mudar. Sem mais Vingadores“.

E é com essa ameaça que AvX #6 acaba.

A situação do Punho de Ferro, acima, é um caso meio complicado. A HQ é contada em uma cronologia quebrada. Os acontecimentos se misturam e a gente só consegue formar uma linha cronológica no fim. No meio disso tudo, nós vemos uma cena em K’un-L’un, onde o mestre do Punho de Ferro vai até um estranho homem em posse de um livro chamado Book of the Fallen. Nesse livro está escrito que a Fênix já veio ao Planeta Terra beeem antes da década de 80, quando ela possuiu a Jean Grey, e foi derrotada. A chave para isso é o Punho de Ferro!

É por isso que aconteceu aquela cena estranha quando a Emma Frost atacou o Punho de Ferro. O que isso significa? Só saberemos mais pra frente. Só acho curioso que, na época da Jean Grey, não rolou nada disso. Mas tudo bem, vamos seguir em frente, não dá pra tudo ser perfeito.

Na minha opinião, mesmo com alguns defeitos, AvX #6 foi a melhor edição da saga até aqui. Eu realmente gostei de ler essa edição de Avengers vs. X-Men e quero saber o que vai acontecer nas próximas revistas. Antes, eu achava que os X-Men estavam errados. Se era para torcer por alguém, acho que eu torcia para os Vingadores. Era óbvio que a Hope não conseguiria dominar a Fênix e o Ciclope estava sendo idiota. Porém, também acho que os Vingadores não deveriam ter ido até Utopia armados pra guerra logo de cara. Mas essas são águas passadas.

Agora, eu já não sei pra quem torcer. Os X-Men provaram que conseguem controlar a Fênix, não fizeram nada de errado por enquanto, mas os Vingadores continuam atacando, continuam procurando a guerra. Vamos ver o que o futuro aguarda para as duas equipes, principalmente agora que a Feiticeira Escarlate e o Punho de Ferro vão ganhar mais espaço na trama da série. Sou só eu ou tem cheirinho de reboot no ar?

Para concluir, falarei da parte mais técnica da revista. Jonathan Hickman continua assinando os roteiros da saga, baseado na história criada por um enorme time de roteiristas da Marvel. Hickman faz um bom trabalho em AvX #6, principalmente brincando com a quebra cronológica da revista e ao evitar cair na armadilha do “tudo está bem agora e os mutantes são os heróis”. Apesar das coisas boas que os mutantes estão fazendo, Hickman sabe colocar as dúvidas sobre as ações da Fênix Cinco ao leitor, seja através do Pantera Negra ou do presidente dos EUA.

A arte da série mudou. Se John Romita Jr. foi o responsável pelo primeiro ato de AvX, o segundo começa com a arte de Olivier Coipel, que é bem superior a de Romita Jr, na minha opinião. Eu tinha alguns problemas pessoais com as artes das últimas revistas, mas os desenhos de Coipel são muito bons e são completados magnificamente com as cores de Laura Martin. Nesse aspecto, não há discussão: as artes de Avengers vs. X-Men #6 são ótimas e as melhores da série até aqui.

Edições Anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários