O lançamento gratuito de Songs of Innocence foi bom? O U2 diz que sim!

Com o mercado musical pra lá de complicado, o U2 resolveu arriscar e distribuiu seu mais recente trabalho, Songs of Innocence, de maneira gratuita para todos os usuários do serviço Itunes, da Apple. Foi um grande susto, muita gente criticando e uma imensa quantidade de pessoas adorando e baixando o “presente”.

Como é impossível agradar a todos, ainda mais em tempos de redes sociais, a polêmica foi imensa, principalmente por quem não curtia os irlandeses e teve que aturar em seus Ipods um CD desconhecido. Os fãs trataram de minimizar o problema, para eles foi mais uma celebração. Quase um prêmio de loteria, receber em casa as novas músicas da banda.

Passados 4 meses do acontecimento que monopolizou a internet durante semanas, eles finalmente resolveram se pronunciar e revelar suas impressões sobre o fato inusitado que acabou levantando diversas questões sobre o futuro da música. Em comunicado oficial, o U2 comentou sobre o CD, a nova turnê – que inicia-se agora em maio – e sobre o estado de saúde do vocalista Bono, que se recupera de um acidente de bicicleta bem sério.

1035x1035-large

De acordo com o Itunes, cerca de 25% de seus usuários ouviu ao menos uma das canções de Songs of Innocence, só em janeiro, o que daria quase 125 milhões de pessoas, um número imaginável. Comparando com Taylor Swift, artista pop muito mais presente na mídia, ela teve seu catálogo acessado por apenas 11% dos usuários do serviço. Tudo auditado pela consultoria Kantar.

A banda ainda considera que tem muito a aprender sobre como lidar com o mundo digital, afirmaram que fariam apenas alguns ajustes no lançamento, de acordo com o que aprenderam com esta experiência e que em nenhum momento se arrependeram do que fizeram.

Bono garante que estará em plena forma, no começo da turnê eXPERIENCE + iNNOCENCE e que vem surpresa boa por aí. O U2 tem ingressos vendidos em mais de 60 datas e promete setlists diferentes, nos 8 shows programados apenas na cidade de Nova Iorque. Vamos ver!

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...