TOP 10 – Melhores HQs de Os Novos 52

  Leandro de Barros  |    quinta-feira, 06 de setembro de 2012

O Supernovo, o Pipoca e Nanquim e o Cruzador Fantasma se unem para tentar decidir quais as 10 melhores revistas de Os Novos 52

O Supernovo, o Cruzador Fantasma e o Pipoca e Nanquim se reuniram em um encontro extraordinário para elaborar uma sempre-útil lista das 10 melhores séries de Os Novos 52, na opinião dos redatores dos respectivos sites. Como o conteúdo publicado pela DC mensalmente é enorme (são 52 revistas!), a lista nasce da necessidade de dar uma filtrada no material da editora.

E temos alguns títulos campeões, presentes em todas as três listas: Batman & Robin, Mulher-Maravilha, Aquaman e Homem-Animal! E a seguir os títulos que apareceram em duas das três listas: Action Comics, Flash, Batman, Batwoman e Monstro do Pântano.

Veja abaixo os nossos 10 melhores títulos de Os Novos 52 e deixe o seu Top 10 nos comentários!

TOP 10 SUPERNOVO – Por Leandro de Barros

10 – BATMAN & ROBIN

HQ divertida e com um bom traço de Patrick Gleason. É bem mais explosiva do que as revistas habituais do Cavaleiro das Trevas, muito por causa do Robin, que é a criança mais absurdamente malcriada dos quadrinhos (depois da Hit-Girl). Prato cheio pra quem gosta de muita ação.

Publicado no Brasil em A Sombra do Batman.

09 – HOMEM-ANIMAL

Surpreendi-me muito com esse título, que foge um pouco dos tradicionais super-heróis de capa. Ótima escolha pra quem quer começar a ir mais além das histórias de super-heróis e pra quem gosta desse lado mais sombrio da DC. Confesso que não conhecia nada do personagem antes de começar a ler em Os Novos 52, mas estou viciado na revista.

Publicado no Brasil em Dark.

08 – GRANDES ASTROS DO FAROESTE

Como fã de faroeste, eu não poderia deixar de indicar as aventuras de Jonah Hex na antiga Gotham City. Roteiro carismático, arte bem feita, prato cheio para os fãs do gênero.

Publicado no Brasil em Grandes Astros do Faroeste.

 

07 – FLASH

Depois de todo o destaque em Ponto de Ignição, que foi o causador desse reboot, fiquei curioso com o que aconteceria com o Flash a seguir. Surpreendi-me positivamente com a sua revista em Os Novos 52, que consegue ser divertida e consegue dar destaque novamente ao Corredor Escarlate. Destaque pra arte de Francis Manapul.

Publicado no Brasil em Flash.

06 – AQUAMAN

Eu sempre gostei do Aquaman. De verdade, não só agora porque ele é “pop”. O Aquaman com barba comprida e gancho na mão é um dos heróis mais badass dos quadrinhos. Geoff Johns volta a fazer a sua magia de trabalhar com grandes personagens ofuscados e brinca muito com as piadas da internet com o Aquaman. Agora o herói é popular de novo e é bem legal ver isso acontecer com um personagem que a gente sempre gostou. Pra completar, o trabalho do trio Ivan Reis, Rod Reis e Joe Prado é absolutamente fantástico.

Publicado no Brasil em Universo DC.

 05 – MULHER-MARAVILHA

A atual revista mensal da Mulher-Maravilha tem mexido muito na mitologia da heroína. Mudaram origem, deram um pai, abalaram o “mundo grego” da DC. O resultado final ficou muito bom e é fácil se pegar relendo as páginas escritas por Brian Azzarello. Apesar de não ser o maior fã do estilo do traço de Cliff Chang, tenho que admitir que a revista da Mulher-Maravilha tem uma das melhores artes de Os Novos 52.

Publicado no Brasil em Universo DC.

 

04 – BATWOMAN

Texto absurdamente envolvente e a provável melhor arte de todo o reboot da DC. Por questões técnicas, a revista da Batwoman é lista obrigatória para qualquer fã de quadrinhos. Por questões de gosto pessoal, também.

Publicado no Brasil em A Sombra do Batman.

 03 – BATGIRL

Apesar de reconhecer que o texto de Gail Simone não é tão bom quanto de alguns outros textos nessa lista e apesar de reconhecer que a arte de Adrian Syaf não é tão boa quanto a de outras revistas nessa lista, eu coloco a Batgirl no Top 3 por gosto pessoal. Adorei a história que vem sendo trabalhada com a personagem (outra das minhas favoritas) e como ela vem sendo reinserida no mundo do vigilantismo.

Publicado no Brasil em A Sombra do Batman.

 02 – MONSTRO DO PÂNTANO

Um título que já foi trabalhado por Alan Moore no passado encontra uma das suas melhores épocas nas mãos do talentoso Scott Snyder. Em termos de revistas mensais norte-americanas, Swamp Thing é uma das melhores da atualidade.

Publicado no Brasil em Dark.

01 – BATMAN

Novamente um título de Scott Snyder. O norte-americano, autor de Vampiro Americano, entrega um ótimo trabalho na frente da revista mensal do Batman. O escritor conseguiu trabalhar o Cavaleiro das Trevas sem se apoiar em velhos clichês do herói e, apesar de algumas decisões polêmicas, entregou uma ótima primeira saga do personagem.

Publicado no Brasil em Batman.

TOP 10 CRUZADOR FANTASMA – Por Ícaro “Sr. Seu Panda” Freitas e Matheus “HQ Man”

10 – DESAFIADOR

OK, alguém pode não gostar, mas é um quadrinho legal, pelo menos o personagem tem potencial pra muita coisa, depende somente dos roteiristas, Boston Brand está de volta em sua edição solo enfrentando deusas, aventuras fantásticas e redefinindo razões para a sua existência, muito bacana mesmo, e de quebra na última edição a reapresentação da origem do herói, um bom motivo para dar uma chance ao Desafiador.

Publicado no Brasil em Universo DC Apresenta.

09 – FRANKENSTEIN AGENTE DA S.O.M.B.R.A.

Esse é um dos quadrinhos bacanas de Os Novos 52 que vale a pena dar uma lida, tanto à arte (Alberto Ponticelli) como o roteiro (Jeff Lemire), são bacanas. Imaginem o monstro de Frankensstein no mundo moderno, uma noiva com vários braços e treinada para matar, um laboratório complexo e microscópico chamado de Fazenda de Formigas gerenciado por um cientista frio, clones reciclados para trabalhar constantemente nas instalações, um Lobisomem, uma cientista Monstro do Lago, uma Múmia e um Vampiro arrogante, isso e muita confusão é basicamente esse quadrinho, diversão garantida!

Publicado no Brasil em Frankenstein “Agente da S.O.M.B.R.A.”

08 – AQUAMAN

A maior surpresa de Os Novos 52, Geoff Johns e Ivan Reis conseguiram tirar o personagem do ostracismo e da zoação diária e transformaram o título em um best-seller, mesmo fazendo referências a todo o “estranho amor” que o personagem recebe dos fanboys, provando que não existe personagem ruim, são os criadores que precisam saber usá-lo.

Publicado no Brasil em Universo DC.

 

07 – CAPITÃO ÁTOMO

Ok imaginem agora um personagem, com poderes a níveis atômicos capaz de modificar tudo a nível atômico, isso simplifica as histórias do Capitão Átomo até agora, mais daí complica, pois ele praticamente possui poderes de um Deus e por causa disso tenta controlá-los antes de acontecer algo pior, a tensão do personagem e das antigas amizades da Liga da Justiça, o modo como tratam ele devido a sua grande quantidade de poderes, é muito bacana.

Publicado no Brasil em Liga da Justiça.

 06 – MONSTRO DO PÂNTANO

Parem tudo, essa HQ é uma das mais legais de Os Novos 52, Scott Snyder e Yanick Paquette acertaram em cheio nessa publicação, um dos personagens que pode ser considerado um dos elementais mais poderosos do Universo DC Comics, a história de Alec Holland tentando ter uma vida normal, o verde tentando trazê-lo de volta para o lado das forças da natureza e eles tentando acordá-lo para o mal que cresce no deserto é fenomenal, e como já demos uma lida no que saiu lá fora, podemos garantir que vale uma lida dos amigos.

Publicado no Brasil em Dark.

 05 – LIGA DA JUSTIÇA SOMBRIA

Muito bacana esse quadrinho, a dinâmica da história e os personagens escolhidos para fazerem parte da Liga Justiça Sombria fazem dessa série uma das mais bacanas dessa rebotada. John Constantine e Shade fazendo parte dessa equipe é sensacional, a arte de Mikel Janin e os roteiros de Peter Milligan, velho conhecido dos leitores, casam perfeitamente, e ter uma Liga da Justiça que lidasse com magia é uma boa explicação, visto que a Liga da Justiça principal não tem a devida experiência para tratar com esse tipo de assunto. Vale comprar com certeza!

Publicado no Brasil em Dark.

 

04 – HOMEM-ANIMAL

Homem-Animal teve um retorno triunfal, trazendo de volta todo o mistério e horror do clássico arco do Grant Morrison, desta vez sob a batuta competente de Jeff Lemire e Travel Foreman. O herói família, que nasceu secundário e permaneceu desconhecido da maioria do público, desta vez tem um foco bem claro: proteger seus entes queridos de uma das forças mais poderosas e sinistras do Universo DC.

Publicado no Brasil em Dark.

 03 – ACTION COMICS

Grant Morrison retorna recriando a origem do Homem de Aço e ironicamente, aproximando-o de como o personagem era mostrado bem no seu início, em 1938: um Kal-El mais ousado, com mais atitude, que não teme a lei, um verdadeiro “herói do povão”.

Publicado no Brasil em Superman.

 02 – MULHER-MARAVILHA

A Mulher-Maravilha de Brian Azzarello tem uma nova mitologia, uma nova origem, uma nova atitude mais condizente com o presente e uma nova missão: proteger seu meio-irmão ainda não nascido, o novo herdeiro do Olimpus. “Épico” é a melhor palavra para descrever a nova odisseia da Princesa Amazona enfrentando deuses, homens e monstros na Terra, no Paraíso e em Hades.

Publicado no Brasil em Universo DC.

 

01 – BATMAN & ROBIN

De todos os títulos da Família Batman, e alguns são realmente muito bons, Batman & Robin se destaca pela arte sensacional de Patrick Gleason e roteiro de Peter Tomasi, o homem que tornou o título da Tropa dos Lanternas Verde mais interessante que o Hal Jordan. Roteiro muito bem trabalhado nas relações entre Bruce Wayne e seu filho semi-psicopata criado por ninjas assassinos, a revista é divertida sem ser boba e tem ação e diálogos excelentes.

Publicado no Brasil em A Sombra do Batman.

TOP 10 PIPOCA E NANQUIM – Por Bruno Zago

10 – SUPERMAN

O Superman foi o personagem de Os Novos 52 que teve o melhor desenvolvimento de personalidade. Em Action Comics, Grant Morrison mostrou o personagem ainda em início de carreira, mais atrapalhado, desbravando o combate ao crime com seus poderes, agressivo com as autoridades corruptas, questionador, inflexível, completamente diferente do Superman que sempre conhecemos. Já George Perez e Jesús Merino (com arte muito competente) trazem o herói já estabelecido e respeitado pela população, consagrado como um legítimo super-herói. Temos uma trajetória bastante interessante em formação. Outro grande acerto dessa revista é o modo como Superman usa seus superpoderes contra os inimigos. As lutas estão excelentes, mostrando feitos grandiosos do Homem de Aço, pois essa é a graça do Superman: ele é super!

Publicado no Brasil em Superman.

 09 – BATMAN & ROBIN

As séries da família Batman formam uma das melhores linhas de títulos do reboot, juntamente com a linha Dark, e Batman & Robin é um dos mais legais dentre eles. O escritor Peter J. Tomasi soube aproveitar muito bem todos os elementos plantados por Grant Morrison durante os anos em que ficou a frente do Morcego. A HQ conta com um bom vilão, poderoso e misterioso, que iniciou uma investida voraz contra a Corporação Batman, mas o grande trunfo é a relação entre Bruce Wayne e seu filho Damian. O menino já se consagrou como um dos Robins mais interessantes de todos, seu jeito frio e impetuoso de agir, sempre questionando a autoridade do pai, rende excelentes diálogos e cenas de ação.

Publicado no Brasil em A Sombra do Batman.

 08 – MULHER-MARAVILHA

Brian Azzarello entrega uma das melhores origens de personagem de Os Novos 52. Na verdade, não se trata de uma história de origem, mas o roteirista consegue nos mostrar tudo sobre as raízes da Princesa Amazona em meio a uma trama envolvendo um conflito com divindades gregas (do jeito que todos esperavam). E o melhor, ele alterou um elemento crucial da origem sem danificar o conceito mitológico da personagem, o que deu ao título uma carga dramática como nunca se viu em anos de suas histórias. Uma sacada de mestre! Logo nos primeiros números Azzarello deixa ganchos e mais ganchos que vão continuar rendendo excelentes aventuras para a Mulher-Maravilha.

Publicado no Brasil em Universo DC.

 

07 – AQUAMAN

A maior surpresa desse reboot. Geoph Johns e Ivan Reis são uma das melhores duplas de roteirista/desenhista que já se viu nos quadrinhos, os principais responsáveis pela volta do Lanterna Verde ao grande panteão de super-heróis da DC Comics, e agora eles tentam repetir o feito com o personagem mais desprezado da editora – e começam com sucesso. O escritor sabiamente utilizou-se das piadas da comunidade de leitores contra o Aquaman para chegar a esses mesmos leitores e mostrar todo o potencial e carisma do Rei da Atlântida. Mesmo tendo um ou outro clichê espalhado pelas edições, o primeiro arco de histórias apresentou muito bem o personagem, solidificando as bases de uma nova reputação, além de já deixar no ar um pouco de seu passado como líder do povo atlante (e entregar pistas do futuro), ou seja, ainda existe uma rica mitologia a ser explorada.

Publicado no Brasil em Universo DC.

 06 – FLASH

Antes do reinício do Universo DC os únicos medalhões que ainda eram dignos de nosso dinheirinho mensalmente eram Batman e Lanterna Verde, os demais sobreviviam apenas por carregarem certa bagagem como marca. Agora, Mulher-Maravilha, Aquaman, Superman e Flash estão de volta ao jogo, posicionando-se entre os melhores títulos do reboot. Ou seja, ao menos para os principais integrantes da Liga da Justiça, a estratégia da editora deu certo! O Velocista Escarlate está com uma história muito divertida e inventiva, Francis Manapul está fazendo um magnifico trabalho com a narrativa gráfica, ousando e experimentando muito na diagramação e composição dos quadros – ele chega a ser brilhante em algumas páginas. A ideia de colocar o Flash para treinar sua mente para atingir a mesma velocidade que seu corpo, em termos de raciocínio, foi sensacional.

Publicado no Brasil em Flash.

 05 – BATWOMAN

Se tivesse um roteiro um pouco melhor, Batwoman certamente seria a primeira revista dessa lista. Essa série é simplesmente um espetáculo visual, J. H. Williams III é um gênio da arte sequencial. Isso mesmo, sem exagero: gênio! É impossível não ficar de queixo caído diante de suas páginas, em sua maioria páginas duplas, analisando por mais alguns minutos depois de terminada a leitura dos balões, apenas checando os detalhes e assimilando a forma como ele relacionou todos os elementos. Se fosse qualquer outro desenhista, a Mulher-Morcego passaria despercebida entre as 52 séries, mas a arte de Williams sozinha é capaz de sustentá-la entre as melhores. A história, escrita por ele e por W. Haden Blackman, embora não seja um petardo, também não chega a fazer feio, apresentando bem a personalidade de Batwoman, o seu passado e o começo de seu envolvimento com Batman, junto com o desenrolar de um mistério aparentemente sobrenatural de desaparecimento de crianças.

Publicado no Brasil em A Sombra do Batman.

 

04 – HOMEM-ANIMAL

Essa série e também a do Monstro do Pântano eram duas grandes apostas repletas de paradigmas. Desde o trabalho fenomenal feito por Grant Morrison e Alan Moore, respectivamente, nenhum outro roteirista entregou um trabalho competente com os personagens, ou seja, eles sobreviviam basicamente por conta do material de ambos os mestres. Ninguém acreditava que com o reboot seria o contrário – só que elas deram certo! Monstro do Pântano está legal, mas Homem-Animal surpreendeu ainda mais! Além de Travel Foreman (desenhista) e Dan Green (arte-finalista) entregarem a arte mais inusitada de Os Novos 52, Jeff Lemire bolou uma excelente trama indo bastante na contramão de Morrison, provando que dá pra ser criativo sem se refugiar em antigas histórias.

Publicado no Brasil em Dark.

 03 – ACTION COMICS

Como dito antes, considero Action Comics o melhor trabalho de Os Novos 52 em termos de mudanças significativas no personagem protagonista. Já topei com muitos leitores que alegam que esse Superman não é o Supeman que eles conheciam, mas pra mim, a ideia tinha que ser justamente essa! Fazer jus ao termo reboot e entregar personagens novos é, a meu ver, um ponto positivo, desde que seja bem feito, que foi o caso do Homem de Aço. Grant Morrison percebeu o grande problema do Superman: ele não funcionava mais nos dias de hoje. Um herói politicamente correto ao extremo, que nunca mente, que é todo certinho e engomadinho, com cueca por cima da calça, não funciona no século 21, tempos em que heróis mais humanos são os preferidos, aqueles passiveis de erros e capazes de tomar atitudes tidas como questionáveis em prol do que consideram correto. O novo Clark Kent é visceral, impetuoso, polêmico, tanto como herói quanto como jornalista, e não usa mais cueca por cima da calça – estava na hora mesmo.

Publicado no Brasil em Superman.

 02 – BATMAN

O Homem-Morcego é o campeão de vendas da DC Comics nos EUA e também no Brasil, sendo que aqui foi o primeiro a esgotar a tiragem da edição de estreia e ganhar nova impressão. E não é por menos, Scott Snyder entende o que todo fã de quadrinhos de super-heróis deseja ler: boas sagas curtas que se desenrolem por um único título, sem aqueles desdobramentos em outras revistas que tornam difícil a vida do leitor na hora de querer acompanhar tudo e entender a história. Sua Saga da Corte das Corujas está fenomenal, com todos os elementos que consagraram o Batman presentes na dosagem certa: ação, investigação, mistério e o tom sombrio. Os novos inimigos criados pelo roteirista foram muito bem inseridos na mitologia do Cruzado Encapuzado e de Gotham City, uma sacada e tanto revelada lá no terceiro número, que dá folego para mais um monte de edições. E a arte de Greg Capullo é umas das melhores do reboot.

Publicado no Brasil em Batman.

 

01 – EU, VAMPIRO

O título mais surpreendente de todos. Tanto o roteirista quanto a desenhista eram desconhecidos; o tema vampiro está muito saturado; era o retorno de um título antigo que nunca obteve muito sucesso e a arte da primeira capa traz um vampirinho sem camisa, de calça jeans e com acréscimos clichês no visual, como asas demoníacas e orelhas pontudas – bem bobinho. Tinha tudo pra ser uma verdadeira bomba, mas logo nas primeiras páginas da primeira edição se provou ser uma das séries mais sensacionais da reformulação da editora. Os desenhos de Andrea Sorrentino são lindíssimos e servem muito bem a trama de Joshua Hale Fialkov, que já começa pegando fogo! A história mostra um vampiro e uma vampira que costumavam ser um casal, mas agora ela lidera uma revolução vampírica contra a humanidade e os super-heróis, tendo o ex-amado como principal rival. Tudo é muito bem conduzido, a relação da dupla principal é bem explorada e o conflito é simplesmente grandioso, que afeta todo o Universo DC.

Publicado no Brasil em Dark.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários