Scott Snyder diz que o retorno do Coringa pode ser a maior história do personagem

  Leandro de Barros  |    segunda-feira, 09 de julho de 2012

Escritor dá mais alguns detalhes sobre a volta do vilão aos gibis do Batman

À essa altura do campeonato, vocês já devem saber que o Coringa vai voltar aos quadrinhos da DC. Se você já sabe disso, pule o próximo parágrafo. Se você não sabia nem que o Coringa tinha ido, segue lendo.

Em setembro de 2011, a DC promoveu o reboot do seu Universo nos quadrinhos. Praticamente tudo zerou e começou de novo, com origens diferentes, visuais diferentes e outras coisas. Numa das primeiras histórias do Batman naquele mesmo mês, a editora apresentou o Dollmaker, um novo vilão do Cavaleiro das Trevas. Basicamente, o Dollmaker era um mestre esfolador que juntava pele das vítimas para fazer uma outra pele. Logo na primeira edição de Detective Comics, o Coringa pede para que o Dollmaker esfole o seu rosto e então foge de Arkham, sendo dado como morto nas edições seguintes.

Em entrevista ao Newsarama, o escritor Scott Snyder, um dos mais elogiados da fase atual da DC, deu mais detalhes sobre o retorno do Príncipe Palhaço do Crime e falou até que essa pode ser a maior história do personagem.

“[O retorno do Coringa] é definitivamente maior em magnitude, em termos de história. Quer dizer, para o bem ou para o mal, eu tenho sorte de poder escrever o Batman o tempo todo e sinto que se você tem uma chance dessas, então é melhor você ir com tudo em todas as ocasiões. Assim, o Coringa é o meu vilão favorito, então eu descobri uma maneira de usá-lo. Você tem que usar o Coringa como se nunca fosse ter a chance de usá-lo novamente. Então, essa é uma história bem maior do que qualquer outra que ele tenha tido nos últimos tempos – talvez seja a maior de todas, honestamente“, disse Snyder.

Normalmente, quando eventos desse porte costumavam acontecer no Universo DC, era comum o leitor de comprar outras revistas para poder entender toda a saga na sua plenitude, já que os eventos se espalhavam pelos diversos títulos mensais. A DC prometeu parar com esse tipo de política e Scott Snyder confirmou que não será preciso comprar qualquer outra revista da Família Batman para acompanhar o retorno do Coringa, embora o vilão vá aparecer em outros títulos. atacando outros personagens.

Há um ano, o Coringa decidiu que iria abandonar Gotham, planejar a sua vingança e voltar para executá-la. Essa história é o que ele tem planejado fazer. E a sua vingança está começando. A revista do Batman será 100% auto-suficiente nessa saga, assim como foi em A Noite das Corujas. Você não vai precisar ler nada mais pra entender a história que está acontecendo na revista do Batman. Eu prometo. Mas como a história é tão grande e como o Coringa vai atacar todos os membros da Família Batman para cumprir o seu plano e expor o segredo que ele guardou, você verá o Coringa atacar o Asa-Noturna em Nightwing. E você verá ele indo atrás da Batgirl em Batgirl. E ele irá atrás do Damian em Batman and Robin. E até mesmo o Tim em Teen Titans. E o Jason em Red Hood and the Outlaws“, explicou o escritor.

Além desses títulos confirmados, a saga do retorno do Coringa ainda pode se extender até a revista da Mulher-Gato e do Esquadrão Suicida, embora essas participações não estejam confirmadas.

Por fim, Scott Snyder também prometeu um novo visual para o vilão, já que ele perdeu o seu rosto em Detective Comics #1: “Obviamente que ele terá um novo visual. Ao mesmo tempo, nós queremos manter a sua aparência icônico. Então esse Coringa terá um visual mais parecido com um filme de terror. Mas, sem querer entregar nada, vocês verão o seu icônico rosto e seu icônico sorriso,  apesar dele talvez parecer um pouco diferente e um pouco mais assustador. Mas ele será ele mesmo no seu âmago“, adiantou.

Ou seja, não se preocupem, o Sr. C. estará de volta em breve, pra começar a animar a vida do Batman. O retorno do Coringa começará em Batman #13, em outubro.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários