Rocco vai publicar o livro de J.K. Rowling escrito sob um pseudônimo

Leandro de Barros

  terça-feira, 23 de julho de 2013

Rocco vai publicar o livro de J.K. Rowling escrito sob um pseudônimo

Editora, que já havia publicado Harry Potter e Morte Súbita, conseguiu os direitos de publicação de The Cuckoo's Calling

cuckoo callingA editora Rocco anunciou o lançamento no Brasil de um dos livros mais concorridos de 2013: The Cuckoo’s Calling obra escrita por J.K. Rowling sob o pseudônimo de Robert Galbraith.

O anúncio foi feito menos de 10 dias depois da revelação que a autora de Harry Potter era a mente por trás do romance detetivesco que era sucesso de crítica, mas fracasso de vendas no Reino Unido.

A trama do livro gira em torno de Cormoran Strike, um soldado que perdeu uma perna no Afeganistão e agora mal consegue viver trabalhando como detetive particular no Reino Unido. Com apenas um cliente restante, os credores na sua porta e o recente término do namoro com a sua namorada de longa data, Strike tem vivido no seu escritório. É nesse momento que John Bristow aparece, com uma teoria: sua irmã, a lendária super-modelo Lula Landry, morreu alguns meses antes, com a polícia concluindo que se tratava de um suicídio. John não acredita nisso e contrata Strike para investigar o caso, o que coloca o detetive num mundo de beldades multi-milionárias, namorados rockstars e todo o tipo de prazer, sedução e ilusão conhecida pelo homem.

Eu esperava manter esse segredo um pouco mais, porque ser Robert Galbraith tem sido uma experiência libertadora. Tem sido maravilhoso publicar algo sem o hype ou a expectativa e muito prazeroso receber feedback sob um nome diferente“, disse Rowling.

Desde que Rowling foi revelada como a autora do livro, The Cuckoo’s Calling teve um booom de vendas gigantesco e deverá ganhar novas impressões no Reino Unido e nos EUA.

A obra deve chegar ao Barsil em Novembro desse ano.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários