Review | Before Watchmen: Minutemen #2 – Rostos brilhantes, corações negros…

  Leandro de Barros  |    terça-feira, 24 de julho de 2012

Minutemen é a mais sólida, mais sombria e a melhor revista da linha Before Watchmen

Darwyn Cooke continua seu excepcional trabalho em Before Watchmen ao escrever e desenhar Minutemen #2, segunda edição da melhor revista da série até agora.

Spoilers abaixo.

Se há alguém que merecia e justificaria uma expansão de Watchmen, esse alguém são os integrantes do Minutemen, o grupo que antecedeu o Watchmen. Pouco citados e com tanta história não revelada na graphic novel original, os integrantes do Minutemen causam curiosidade nos fãs pelo potencial das boas histórias que podem sair dali.

Darwyn Cooke parece saber disso, pois entrega à cada edição uma versão rebuscada e melancólica do grupo, que sempre parece tão feliz em todas as suas fotografias. Rostos brilhantes, corações negros.

Minutemen #2 é apenas uma parte da “confissão sangrenta” presente na auto-biografia do Coruja, personagem ideal para protagonizar uma revista sobre o grupo. Diferente do resto do grupo, os demônios internos do Coruja não se sobrepõem aos demônios internos do próprio grupo. Pelo contrário, são originados pelos demônios do grupo.

Cooke pinta o Minutemen como uma máquina fabricada cuidadosamente por Larry, empresário do grupo. Os membros mais ideológicos do grupo compram a idéia de que juntos eles podem inspirar patriotismo, combater o crime, fazer algo bom. Outros, já pensam no dinheiro que vai entrar, na propaganda que farão. Mas todos compactuam com a fachada que o grupo toma, expressamente ou não.

Nada melhor para ilustrar esse sentimento e essa farsa do Minutemen durante a primeira missão do grupo. A idéia era deter o contrabando de armas de alguns italianos na cidade. A execução foi perfeita, mas a base estava errada. Nunca foi um contrabando de armas, mas Larry poderia pintar assim. Para os heróis e para o povo.

A revista ainda aproveita para explorar mais os segredos sombrios da equipe de heróis quando eles não estão juntos. O Coruja e o Mariposa vão ajudar a Silhouette no caso rejeitado pela equipe, a Espectral garante seu lugar ao lado do empresário (e líder indireto) do grupo, o Comediante e o Dollar Bill partilham algumas cervejas enquanto o Justiceiro Encapuzado e o Capitão Metrópolis levam a sua relação ao outro nível do fetichismo.

Alan Moore pode não ter gostado da idéia de ver Before Watchmen acontecer, mas ele não poderia prever que alguém escreveria alto tão bom com os seus personagens. Tanto com o seu texto, tanto com a sua arte, Darwyn Cooke faz de Minutemen #2 mais uma ótima peça na série que faz juz ao nome “Watchmen”.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários