Review | Before Watchmen: Comedian #1 – Era isso que os fãs temiam…

  Leandro de Barros  |    quinta-feira, 28 de junho de 2012

Brian Azzarello escreve e J.G. Jones desenha Before Watchmen: Comedian #1

Comediante, um dos personagens mais simbólicos de Watchmen. Nós começamos Watchmen com o seu assassinato e ele é dono de uma das personalidades mais repulsivas e interessantes do universo criado por Alan Moore. Mas a sua minissérie não começa bem.

Spoilers abaixo.

Uma das principais reclamações sobre Before Watchmen é que esse prelúdio é desnecessário. Os mais críticos dessa atitude da DC sempre repetem esse argumento, dizendo que a sutileza do texto original de Alan Moore se perderia com minisséries explicativas. Dizem que mais revistas não vão conseguir acrescentar nada à história de Moore. E Before Watchmen: Comedian #1 confirma essa tese.

A verdade é que as duas outras edições lançadas até o momento, Minutemen #1 e Silk Spectre #1, também não adicionam muita coisa, mas são histórias boas que correspondem ao material original. Explicando à grosso modo, eu considerei que Minutemen #1 e Silk Spectre #1 poderiam facilmente estar na obra original de Moore. É normal que algumas obras (sejam filmes, quadrinhos, etc…) produzam mais conteúdo do que o que acaba sendo publicado. Esse material “extra” é cortado e acaba saindo depois em versões extendidas e tudo mais. Pela maneira que eu vejo, Minutemen #1 e Silk Spectre #1 poderiam facilmente ser esse tipo de material de Watchmen. Mas Comedian #1 não.

A revista escrita por Brian Azzarello, que é um escritor foda, patina bizonhamente num mar de tentativas de causar controvérsias baratas e no erro de “responder” algumas teorias dos fãs.

A primeira delas é a tal teoria se o Comediante matou ou não o Presidente Kennedy. Se você sabe um pouco da História dos EUA, sabe que o Presidente Kennedy morreu em 1963, em Dallas. O Presidente passava com o carro presidencial em público quando levou um tiro na cabeça, há vídeo do momento e tudo mais. Na obra de Alan Moore, fica meio que subentendido que o autor do disparo que matou Kennedy foi o Comediante. A gente nunca tem a confirmação, mas também nunca tem a negação. No filme de 2009, o diretor Zack Snyder meteu o pé na porta e decidiu colocar, logo nos créditos iniciais, a cena em que o Comediante mata o presidente.

Muita gente chiou na época do lançamento do filme, já que um dos lances da personalidade do Comediante é justamente essa incerteza sobre quem ele é. Ele é quase um Coringa menos explícito, mais “normal”. A gente nunca sabe o que, ou quem, ele é na verdade. O filme matou isso e Comedian #1 mata isso também.

Nessa edição, nós descobrimos que o Comediante NÃO mata o Presidente Kennedy, já que ele nunca chega a ir para Dallas. Antes de embarcar, o FBI pede ajuda ao herói, que lidera um assalto à uma base do Moloch, aquele “arqui-rival” que nós vimos em Watchmen. Isso acaba matando a principal característica do personagem na obra original. Agora não há a dualidade, a incerteza, a névoa na sua personalidade. Ele não matou Kennedy. Isso é simbólico dentro da mitologia da série.

Talvez na tentativa de compensar, Azzarello coloca o Comediante matando Marylin Monroe.

Pode ser que eu esteja exagerando um pouco nessa história do “matou-ou-não-matou-Kennedy”. Eu consigo ver um leque de opções sendo abertas aqui que, na prática, possam vir a formar uma boa história. Temos de lembrar que Before Watchmen é uma série que deve mostrar como aqueles personagens chegaram até Watchmen. Assim, eles ainda não são quem a gente já conhece. A existência de um Comediante menos psicótico, menos maníaco é algo que pode ser facilmente explicado. Eddie Blake pode ser um cara que acabou sendo quebrado pelo destino. Um cara que já tinha ali um ou dois parafusos à menos, mas um cara que levou um pé nas costas que quebrou a sua espinha mental, metaforicamente falando.

Durante toda a revista, a gente recebe pistas de que o Comediante ama (RESPEITA!) o Kennedy. A sua morte e até um possível plot o incriminado em breve, pode ser algo que coloque o Comediante na beira de um abismo mental. Ele acabou de ver o homem que respeita (AMA!) morrer e o Comediante não é o tipo de cara que consegue se reerguer depois de um baque desses. Talvez a minissérie do Comediante seja sobre isso, seja sobre um cara que já tinha um pé na merda, mas que mergulha de cabeça quando o seu mundo leva um tiro.

Eu consigo imaginar essa história se desenvolvendo com qualidade. Também consigo imaginar ela terminando criando a tal dúvida, a tal incerteza sobre o personagem. Brian Azzarello é um cara bom o suficiente para fazer esse plot funcionar muito bem. Mas pode ser que não seja nada disso.

Sozinha, Before Watchmen #1 é desnecessária. Tem umas boas sacadas, principalmente ao usar uma letra de música para “apresentar” o personagem e tudo mais, mas é fraca no que representa para Watchmen. Agora, a minissérie do Comediante pode tomar uns rumos legais. Ou pode ser uma merda, vai depender do que vem por aí.

Se você se interessou, pode comprar Before Watchmen: Comedian #1 aqui!


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários