Review | Avengers vs. X-Men #9 – Chegou a hora do Homem-Aranha

“Uma vez que você é um Vingador, nunca falha: cedo ou tarde, vai chegar a hora em que você precisa dar um passo em frente e assumir a responsabilidade. Garanta que você esteja preparado” – Um Homem Muito Sábio.

Spoilers 

 

Chegou a hora do Homem-Aranha tomar o seu lugar de destaque em Avengers vs. X-Men. Como ele próprio disse para a jovem Hope Summers, numa equipe repleta de Hulks, super-soldados, deuses, espiões e outros tipos de heróis, nem sempre é possível haver espaço para todos brilharem, mas sempre chega uma hora onde todo mundo tem de dar um passo em frente e ir pra luta.

Em AvX #9 é a hora do Homem-Aranha ir em frente e mandar logo dois membros da Phoenix 5 pra vala. A HQ começa, como nós vimos no preview, com o Thor sendo capturado após um encontro com a Magia e o Colossus. Os Vingadores estão há uma semana em K’un-Lun e estão realizando algumas “batidas” em alguns lugares, na tentativa de recuperar alguns dos seus heróis, capturados pelos X-Men.

O problema é que, do outro lado, estão as quatro pessoas mais poderosas da Terra. Por isso, cada vez que os Vingadores saem, eles voltam em menor quantidade ou mais quebrados.

Para sorte do Capitão América e companhia, a Fênix está começando a corromper os membros da Phoenix 5. Primeiro foi Namor e sua raiva descontrolada nas últimas edições, agora é a vez de Colossus e Magia, que invocaram o Limbo na Terra. As ações dos irmãos russos fazem Tempestade e os outros X-Men perceberem que não dá mais para confiar em nenhum deles e partem para ajudar aos Vingadores.

Tempestade vai até Wakanda, onde o Pantera Negra anuncia o divórcio dos dois, e conta ao seu ex-marido onde os Vingadores capturados estão sendo mantidos. Um pequeno time é formado para ir libertar o Thor, Gavião-Arqueiro, Viúva Negra e os outros, quando finalmente chega a aguardada chance do Homem-Aranha de brilhar.

Começa uma batalha envolvendo os Vingadores contra o Colossus e a Magia. O Homem-Aranha decide ficar para trás para segurar os dois mutantes, enquanto o resto do time salva os Vingadores que foram capturados. O Homem-Aranha contra dois da Phoenix 5. Se nem o próprio Thor conseguiu alguma coisa, que chance teria o Homem-Aranha?

Nenhuma, na verdade. Só que o Homem-Aranha nunca foi um cara de ligar muito para as chances. Ele sabe que naquela hora, ele teria de assumir a responsabilidade por ser um Vingador. E quem entende mais de responsabilidade do que o Peter Parker? Com o poder do riso, o Homem-Aranha coloca o Colossus e a Magia para lutar entre si. Os dois se anulam e os poderes deles vão para o Ciclope e a Emma Frost.

A HQ termina com o líder dos X-Men chegando até K’un-Lun. O que Avengers vs. X-Men #10 nos reservará?

AvX continua com a sua montanha-russa de qualidade. Em alguns momentos, a saga vem sendo muito boa, em outros ela despenca. A  série também ainda sofre com a inconsistência dos personagens. Em certos momentos, o Ciclope é o mais desequilibrado dos mutantes, em outra ele é o mais ponderado. Tudo bem que nesse meio termo ele virou só o hospedeiro da Fênix, mas mesmo assim.

Mas AvX não é só defeitos. Eu gostei bastante do destaque que o Homem-Aranha recebeu nessa edição e também gostei de como apresentaram os efeitos do poder da Fênix nos seus hospedeiros. Interessante ver o Colossus colocando pernas em baleias. Foi uma boa representação do conceito de dar poderes à pessoas despreparadas. Um macaco com uma navalha…

Uma outra cena que vale menção foi a conversa entre Emma Frost e Ciclope. O poder extra recebido de Namor, fez com que os poderes de  Emma aumentassem de tal forma, que ela consegue ler a mente de qualquer pessoa na Terra agora. Foi assim que o Caolho descobriu onde estava Hope, mas isso também desequilibrou ainda mais a Rainha Branca, que saiu punindo pessoas que fizeram mal à mutantes.

O futuro de AvX parece certo: Ciclope lutará com Emma nas próximas edições e é provável que o Homem de Ferro descubra alguma maneira de parar/destruir/adormecer o poder da Fênix, para que Hope possa enfim se tornar a nova hospedeira da entidade cósmica. Ou talvez a Marvel nos surpreenda, vai saber.

Edições Anteriores

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...