Review | Avengers vs. X-Men #8 – Namor vs. Vingadores

  Leandro de Barros  |    quinta-feira, 19 de julho de 2012

A queda do Príncipe Submarino graças ao seu orgulho ferido, sua inconsequência e aos encantos de Emma Frost

É hora da Marvel mostrar que ações REALMENTE tem consequências nas suas HQs.

Spoilers abaixo, claro.

Bem, tecnicamente, todo evento da Marvel é publicitado como algo que “vai mudar o Universo Marvel para sempre”. Curiosamente, está tudo normal quando uma outra saga começa. Como já dizia o sábio Stannis Baratheon, uma boa ação não desfaz um monte de más ações e uma má ação não estraga um monte de boas ações. Por isso, mesmo se a Marvel aproveitar realmente AvX para cumprir a promessa de “mudar o Universo Marvel para sempre”, podemos não esquecer dos erros recentes, mas será um passo em direção à um futuro melhor.

Digo isso porque a situação ficou meio que insustentável para o Namor no Universo Marvel depois de Avengers vs. X-Men #8. Ele destruiu Wakanda, matou muita gente inocente e não há nem a desculpa de estar sendo controlado por alguém. A Fênix Cinco não está sendo controlada por nada, são apenas aqueles cinco mutantes trabalhando com outra realidade agora.

O Namor é o tipo de cara com pavio curto. Some isso ao fato dele ser mais poderoso do que praticamente todos os Vingadores juntos e a receita para o desastre é certa.

AvX #8 começa com o ataque de Namor à Wakanda. Aos poucos, a cidade onde eles estão vai sendo destruída e sua população vai sofrendo a fúria de Namor enquanto o Capitão América e o Pantera Negra  tentam ganhar algum tempo para que os Vingadores se preparem para o combate.

A batalha é sangrenta, o Hulk Vermelho tem o braço brutalmente quebrado pelo Namor, mas os Vingadores conseguem cansar o mutante o suficiente para a Feiticeira Escarlate entrar na disputa. Namor e Feiticeira explodem seus poderes um contra o outro e os dois caem desmaiados,

O que me faz questionar exatamente como funciona os poderes da Fênix na Fênix Cinco. Digo, a Fênix é uma entidade de renascimento e destruição. Isso significa que eles devem ter poderes de cura, não? Numa edição da minissérie AvX VS, o Thor literalmente desintegra a Emma Frost em minúsculos pedacinhos. De alguma forma, ela se regenera como se fosse o Majin Buu.

Pessoalmente, eu não gosto dessa idéia “vaga” dos poderes. Parece que é uma carta na mão dos roteiristas pra fazer qualquer coisa que eles quiserem e justificar com “poderes da Fênix”.

Bem, Namor caiu e os outros membros da Fênix Cinco chegam até Wakanda. Nesse momento, o Capitão América usa uma espécie de teletransportador criado pelo Homem de Ferro para ir até K’un-Lun, tal cidade do Punho de Ferro. De novo, a Marvel usa o Tony Stark como uma espécie de “poder da Fênix”, só que tecnológico. De alguma forma, ele conseguiu criar um portal portátil para K’un-Lun em questão de minutos, como se fosse a mesma coisa que formatar o PC do Thor. E o Thor não tem PC, pra vocês verem como é fácil.

Enquanto o Sentinela da Liberdade leva os Vingadores para um lugar seguro, a parte da Fênix do Namor deixa o corpo do mutante e se divide entre os outros quatro membros da Fênix Cinco (Quatro). Namor caiu e agora faltam outros quatro. Ou, se você torce pelos X-Men, Namor caiu!

Depois disso, o professor Xavier aparece em mente pra dar um sermão e uma ameaça à Ciclope: “Ou tu pára o que tá fazendor, mermão, ou o bicho vai pegar pro teu lado. A casa vai cair, a chapa vai esquentar, o coro vai comer, esse tipo de coisa…“, diz Xavier. De alguma forma, ele conseguiu saber o que o Namor fez, mas não conseguiu saber que o Ciclope não tinha nada a ver com isso. Velho senil.

Seja como for, o Ciclope cagou pra ameaça do Xavier e ainda mandou um “pode vir, mermão. Aqui a firma é fornecida fortemente!“.

o que o Fera está fazendo ali? Ele não tinha deixado a batalha? o.O

As primeiras edições de AvX me fizeram odiar o Ciclope profundamente, como eu não fazia há anos. As novas edições, me fazem começar a lembrar porque eu gostava do Ciclope antes. E esse é justamente um dos problemas de AvX: a inconstância. No começo, o Ciclope é um lunático, megalomaníaco e disposto a guerrear contra os Vingadores por uma minúscula chance de poder. Agora, que ele tem o poder e todas as justificativas para ser lunático e megalomaníaco e ir com tudo contra os Vingadores, ele é o velho Ciclope escoteiro.

Eu tenho certeza que cabe aqui uma “crônica” sobre a ascenção e a queda do Príncipe Submarino. Fosse outros tempos, eu escreveria empolgadamente sobre como o orgulhoso governante de Atlantis caiu perante aos Vingadores, como cada Vingador que o atacou poderia simbolizar seu próprio orgulho ferido, seu poder descontrolado, sua fraqueza perante o joguete de Emma Frost. Em outro dia, eu poderia dissertar sobre a busca de poder da Rainha Branca, dos arquétipos assumidos pela Fênix Cinco e tudo mais. Mas AvX não tem me motivado a ver as coisas dessa maneira.

Mas isso é assunto pra mais tarde, quando a série acabar e a gente fizer um balanço geral do que aconteceu. Enquanto isso, a gente começa a torcer por menos personagens na “tela”, mas mais espaço pra quem aparece e pela volta de Oliver Coipel nas artes, já que a estréia de Adam Kubert na série ficou abaixo do esperado. Kubert é um desenhista muito bom e trabalhou muito bem com os cenários em AvX #8, mas senti que faltou capricho na hora de desenhas os rostos dos personagens.

Edições Anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários