Review | Avengers vs. X-Men #7 – GUERRA!

  Leandro de Barros  |    quarta-feira, 11 de julho de 2012

Traições, vacilos, suicídios e guerra, muita guerra em Avengers vs. X-Men #7

Promessa é dívida e agora é a hora da contra-ofensiva da Fênix Cinco contra os Vingadores.

Spoilers abaixo.

Na última edição, nosso adorado Ciclope declarou que vai acabar com os Vingadores. E é assim que ele começa Avengers vs. X-Men #7, com roteiros de Matt Fraction e desenhos de Olivier Coipel.

A primeira página da revista já nos mostra a disparidade de poderes entre a Fênix Cinco e os Vingadores: todas as instalações da super-equipe da Marvel foram tomadas. Quer dizer, não todas, já que algumas páginas depois nós vemos os Vingadores instalados em Wakanda. É algo mais ou menos do tipo: “Nós tomamos todas as suas instalações… menos aquelas onde vocês estão nesse momento, que fica em um lindo país, na sociedade mais cientificamente avançada da Terra! Tomem essa!”. E Wakanda ainda é um país governado por um Vingador. Quer dizer, acho que é o único país governado por um Vingador. Que surpresa os Vingadores estarem lá!

Enfim, a Fênix Cinco está procurando pelos Vingadores e a Magia (e alguns X-Men) os acha (não no esconderijo, claro). A batalha começa. Logo, fica evidente que até os mutantes “comuns” estão se favorecendo do poder da Fênix, já que parecem capazes de surrar os Vingadores (que deram uma surra neles algumas edições atrás). A Feiticeira Escarlate começa então a lutar com a Magia e nós percebemos porque os Vingadores estão no campo de batalha, ao invés de ficar na super-segura e nada-óbvia Wakanda: Tony Stark está recebendo dados dos poderes da Fênix Cinco através dos Vingadores (não me perguntem como, não faço idéia, deve ter algum aparelho que faça isso – essa é a menor das nossas preocupações, gente). Quanto mais tempo os Vingadores ficarem no campo de batalha com a Fênix Cinco, mais dados e melhor para o Homem de Ferro.

Agora deixa eu ver se eu entendi. Quanto mais tempo Os Vingadores ficarem apanhando de uns mutantes umas 20 vezes mais poderosos, mais dados o Tony Stark (que está confortavelmente à distância) tem? Não sei não, mas acho que essa é a definição de “Tony Stark” no dicionário.

Seguindo em frente. Feiticeira Escarlate vs. Magia. Em pouco tempo a Feiticeira Escarlate derruba a Magia e, para desgosto dos Vingadores, Emma Frost chega ao campo de batalha. Agora são duas Fênix contra a desequilibrada filha do Magneto, com o poder de alterar a realidade. Só essa frase já colocaria arrepios no leitor mais insensível da Marvel e, pensando nisso, o Capitão América já planeja a retirada do grupo com o Dr. Estranho. Para dar tempo para todo mundo fugir e evitar o confronto entre a Feiticeira Escarlate e Emma Frost, nosso adorável segurança de shopping Gavião Arqueiro ataca a Rainha Branca, sendo queimado vivo em retaliação. Pois é, o Gavião Arqueiro virou um churrasco nas mãos da Emma Frost, mas pelo menos os Vingadores conseguiram fugir. Foi uma atitude idiota? Sim, mas foi aquele tipo de idiotice heróica, coisa que esperamos de heróis de verdade (tô falando com você, Tony).

Obviamente o Ciclope não gosta do que aconteceu (o Gavião sobreviveu, by the way) e dá uma bronca na Fênix Cinco. Ele não quer mais um massacre. É a primeira vez que eu vejo o Ciclope ser realmente sábio e um verdadeiro líder nessa saga. Sério, ele foi muito inteligente nesse momento. A Fênix Cinco é super-mega-hiper-blaster poderosa. Os Vingadores simplesmente não tem chance. Não é uma guerra mais, os X-Men já ganharam. Agora eles estão perseguindo os resistentes. Corre, pega, prende, fim de papo. Eles SÃO superiores, tem de agir assim. Claro que o Namor não vê as coisas dessa maneira. Caramba Namor, mesmo quando você fica super-poderoso você nunca faz nada direito!

Em Wakanda, o Capitão América pressiona Tony Stark e T’Challa por soluções para derrotar a Fênix Cinco. Provavelmente o Capitão deve estar pensando que é só apertar alguns botões no computador e mandar um vírus pro computador do Ciclope quando ele tiver procurando por imagens da Psylocke (a gente sabe que você faz isso, Scott). Tony e T’Challa dizem que precisam de mais tempo. Depois disso, Tony admite sua idéia de bolar um plano suicida para tentar acabar com a Fênix Cinco. O Pantera Negra responde com um tapa na cara do americano (merecido) e diz que o plano é mastigar raízes para falar com os antepassados dele.

Nesse meio tempo, o Capitão América vai procurar conseguir mais tempo e mais informações para Tony e T’Challa. Com a ajuda de Hope e Dr. Estranho ele formula um plano, que envolve dividir os Vingadores em alguns grupos ao redor do mundo, todos usando um amuleto que pode mudar a aparência de alguém para a da Feiticeira Escarlate, a única pessoa que a Fênix Cinco teme. Assim, toda vez que os mutantes atacarem, a simples presença da Feiticeira vai fazê-los recuar, pelo menos por um tempo.

Isso funciona em Nova York com o Colossus, na Ucrânia com a Emma Frost, no Ártico com o Ciclope, mas quando a verdadeira Feiticeira Escarlate aparece no Pacífico para enfrentar o Namor, as coisas se descontrolam. Por acidente, o Dr. Estranho acaba teletransportando os Vingadores e a mutante Transônica, que acaba ficando como “prisioneira”. O golpe de misericórdia contra o espírito do Namor acontece quando a Feiticeira Escarlate o manda de volta para Utopia, como se nada fosse.

Irritado e com o orgulho ferido, o mutante exige que a Fênix Cinco vá com tudo para cima dos Vingadores e mate todo mundo. Obviamente, o Ciclope discorda (pela primeira vez na saga ele está certo e é a primeira vez que alguém questiona uma ordem dele) e acaba ouvindo que ele é um bom líder, mas um fracasso como governante.

Nervoso, Namor vai para o terraço de um dos prédios de Utopia, sendo seguido por Emma Frost. Lá, a Rainha Branca diz que concorda com Namor e conta que sabe onde Transônica está. Depois de dar um beijo no Namor (“bad boys” são o ponto fraco do Ciclope: primeiro teve o Wolverine e a Jean, agora o Namor e a Emma), a mutante que a Transônica está em Wakanda e que o Caolho não sabe disso.

Enquanto isso, em Wakanda, Lei Kung (aquele cara do núcleo do Punho de Ferro que apareceu na edição passada) aparece em Wakanda com o próprio Punho de Ferro dizendo que lá nas Sete Cidades Celestiais a firma é fornecida fortemente e que se os alemães da Fênix Cinco baixarem por lá, vão receber pipoco, então é melhor mandar a Hope e o resto da galera pra lá.

Wolverine e Hope vão com Lei Kung, mas antes que o resto da galera conseguisse ir também, o Namor chega à Wakanda, surfando estilosamente por cima de um Tsunami muito louco, repleto de soldados de Atlântida. O pau vai comer na próxima edição!

Eu tento não deixar as minhas opiniões na parte do relato do que aconteceu na edição, mas não consigo. Avengers vs. X-Men sofre do mal de muitas sagas: são muitos personagens, pouco espaço para trabalhar a personalidade de cada um e pouco espaço para mostrar as consequências do que acontece. Por exemplo, a Fênix Cinco tomou posse de todas as instalações dos Vingadores. Isso é importante pra caramba, se a gente parar pra pensar direito, mas a revista não dá essa impressão, porque os Vingadores estão abastecidos em Wakanda. O que era pra ser uma vitória gigantesca para os X-Men, acaba sendo algo sem importância O que era para justificar o ponto de vista do Ciclope, acaba dando margem para apoiar o ponto de vista do Namor e da Emma. Isso acaba sendo um pouco chato, já que AvX tinha realmente começado a empolgar nas últimas duas edições.

A arte de Olivier Coipel continua sendo incrível. Não dá nem pra comparar com a arte de John Romita Jr., no começo da saga. O segundo ato está quase chegando ao fim, vamos esperar para ver se os Vingadores vão sair vivos de Wakanda e quais as consequências da traição de Emma e Namor.

Edições Anteriores


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários