Review | Avengers vs. X-Men #1 – Começa a guerra entre Vingadores e Mutantes!

  Leandro de Barros  |    quarta-feira, 04 de abril de 2012

Nós lemos a primeira edição da mega-saga da Marvel em 2012 e damos o veredito: Avengers vs. X-Men começa bem!

Avengers vs. X-Men #1, o pontapé inicial da mega saga da Marvel em 2012, foi lançada hoje nas comic shops americanas. Para nossa alegria, o Comixology e a Marvel venderão a versão digital da HQ para o mundo todo.

Durante muito tempo, nós noticiamos teasers, imagens e previews da saga. Chegou a hora de conferir se Avengers vs. X-Men tem potencial pra ser tudo isso mesmo ou se nosso suado dinheirinho pode ser poupado dessa vez. Poucos spoilers abaixo.

Avengers vs. X-Men #1 começa de forma destrutiva. Em um planeta distante, um pai e um filho são obliterados pela Força Fênix, a famosa entidade cósmica responsável por uma das melhores sagas da história dos X-Men.

De volta à Terra, a HQ nos mostra uma “reunião” dos Vingadores. Os heróis reunidos acabam testemunhando a queda de um membro da Tropa Nova na Terra, que acaba colidindo com um avião (santa coincidência, Batman! ops…). Imediatamente, Homem de Ferro, Thor e Ms. Marvel partem para evitar uma tragédia.

Enquanto isso, o Capitão América e os outros Vingadores chegam até o membro da Tropa Nova que só tem tempo de dizer: “Ela está vindo…”

Em Utopia, o Ciclope continua com as sessões de treino de Hope Summers (eu sei que o nome dela é Esperança Summers no Brasil, mas  eu chamo de Hope, então acostumem-se). O líder dos X-Men oscila perigosamente em cima da linha que divide “levar o treino à sério” e “compulsão por treino”. Num acesso de raiva, Hope acaba liberando um pouco do poder da Fênix, que se aproxima.

Nesse momento, as duas equipes estão de posse da mesma informação: A Força Fênix vem aí e pretende usar a Hope como nova hospedeira.

É nesse momento também que notamos a diferença ideológica entre as duas equipes. Liderados pelo Capitão América, os Vingadores tomam uma postura defensiva e preventiva: uma equipe (com Thor, Ms. Marvel, Máquina de Combate, Visão, Fera, Capitão Britânia, Valquíria e Protetor) será mandada para o espaço na esperança de parar a Força Fênix antes dela chegar na Terra. Enquanto isso, os Vingadores restantes colocarão Hope em custódia.

Já os X-Men, liderados por Ciclope, discutem o que fazer com a mutante. O líder-caolho acredita que a Messias Mutante finalmente terá a sua oportunidade de salvar a espécie com a Força Fênix. Ciclope se agarra no fato da Fênix sempre trazer renascimento após sua destruição e acredita ser capaz de treiná-la e “domesticá-la”, na falta de uma palavra melhor.

A edição termina com o Capitão América e o Ciclope conversando na praia de Utopia. o tenso (e bem escrito) diálogo entre os dois líderes é repleto de arrogância, mágoas e ameaças veladas. A parte do “veladas” é retirada quando o Ciclope atira um dos seus raios óticos no Capitão América. O Sentinela da Liberdade simplesmente responde com “Avante, Vingadores!”. A guerra começa…

AvX começa bem. Eu sempre tenho um pé atrás com o Marvel por causa das “falsas promessas”. Toda saga é a “saga mais fodona da história que vai mudar tudo na Marvel” e, claro, poucas sagas são boas o suficiente pra satisfazer essa expectativa. AvX começa num bom ritmo, evitando cair em armadilhas típicas de sagas dessa magnitude e focando sua atenção apenas nos heróis da editora. A batalha é o foco, pelo menos no começo da saga.

Eu não sou um fã da arte de John Romita Jr., mas achei que ele conduziu a primeira edição da revista com um traço razoavelmente bem feito e que não deve encontrar muitos opositores.

Pra um começo de saga, Avengers vs. X-Men #1 foi muito bem. A próxima edição sai daqui a duas semanas, vamos torcer pro ritmo não cair em Avengers vs. X-Men #2.

Avengers vs. X-Men #1 tem roteiros de Jason Aaron, Brian Michael Bendis, Ed Brubaker, Matt Fraction e Jonathan Hickman, arte de John Romita Jr. e cores de Scott Hanna.

[nggallery id=444]


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários