Primeiro mega-crossover de Os Novos 52 deve rolar em setembro do ano que vem

  Leandro de Barros  |    quinta-feira, 26 de julho de 2012

Dan DiDio fala de um grande crossover na DC no ano que vem. Seria a Guerra da Trindade?

Em entrevista ao ICv2, os dois editores da DC Comics, Jim Lee e Dan DiDio, anunciaram que o primeiro mega-crossover de Os Novos 52 deve acontecer em setembro do ano que vem.

Até agora, o reboot da DC viu alguns crossovers entre as suas “famílias” acontecendo. Por exemplo, há alguns meses, o núcleo do Batman participou de uma saga envolvendo a Corte das Corujas, em Gotham. Em breve, os Lanternas Verdes participarão de um grande evento entre eles, idealizado por Geoff Johns.

Porém, até agora, nunca houve um mega-evento envolvendo todos os personagens do Universo DC. Há alguns meses, se falou sobre a Guerra da Trindade, um evento que deve colocar os super-heróis da DC em contato com o lado mais mágico dos quadrinhos da editora. Pode ser que seja esse o evento que Dan DiDio disse que vem por aí.

Nós temos alguns planos. Eu amaria ser capaz de comemorar o aniversário de Os Novos 52 com algo que seja especial e algo que una a linha tematicamente (talvez não tão voltado para a história). Nós estamos nos encaminhando para nosso primeiro evento crossover depois da metade do ano que vem, mas nós veremos uma melhor continuidade sendo desenvolvida a partir disso. Com sorte, a partir dos Zeros [edições especiais que sairão em setembro DESSE ano], nós consigamos trazer alguma claridade aos nossos personagens“, disse DiDio.

Ou seja, no ano passado, setembro ficou marcado pelo lançamento de Os Novos 52. Nesse ano, o mês ficará marcado pelo lançamento das edições Zero, que contarão o passado de todos os personagens. No ano que vem, para comemorar o segundo aniversário da linha, devemos ter a primeira mega-saga da DC, provavelmente a tal Guerra da Trindade.

Vamos esperar para ver.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários