Primeiras revistas do Mês dos Vilões, da DC, começam a surgir

Leandro de Barros

  terça-feira, 30 de abril de 2013

Primeiras revistas do Mês dos Vilões, da DC, começam a surgir

Editora comemorará 2 anos de reboot com um mês só com revistas vilanescas

Em Setembro, a DC Comics promoverá o Mês dos Vilões em Os Novos 52, sua linha de publicações mensais. Nesse mês, a editora irá publicar 52 títulos baseados em vilões do seu panteão de personagens, em virtude da comemoração dos 2 anos do seu reboot, que rolou em 2011.

Até aí tudo bem. Mas a pergunta é: quais vilões ganharão revistas? Coringa? Lex Luthor? Charada? Darkseid?

O BleedingCool começou a recolher rumores sobre isso e parece ter descoberto alguns desses títulos. De acordo com a publicação, uma das primeiras revistas definidas foi a The Riddler #1, revista sobre o Charada, que sairá no lugar da mensal do Batman escrita por Scott Snyder.

A revista da Batgirl PODE dar lugar à The Ventriloquist #1, uma história do Ventriloquista – o site diz que isso era o planejado, mas talvez possa ter mudado. A revista do Asa Noturna pode dar lugar à um título do Galhofeiro, enquanto é possível que Crime Syndicate of America #1 seja lançado no lugar da Justice League – o que mostraria o Sindicato do Crime pela primeira vez em Os Novos 52.

Para completar, o Aquaman Shrine afirma que o Arraia Negra vai estrelar Black Manta #1, no lugar da revista do Aquaman.

Não custa lembrar que esses títulos não são confirmados, embora sejam esses os rumores da indústria. Ainda de acordo com o BleedingCool, a DC pretende dar mais atenção à vilões menos conhecidos do que aos medalhões do crime da editora. Talvez seja possível que o Coringa tenha uma revista própria, já que o Batman possui vários títulos, mas outros nomes como Lex Luthor ou Darkseid provavelmente ficarão de fora.

Também é possível que a editora transforme alguns desses títulos em regulares após setembro.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários