O Mês dos Vilões da DC Comics dominou as vendas do mercado americano em Setembro

Leandro de Barros

  segunda-feira, 07 de outubro de 2013

O Mês dos Vilões da DC Comics dominou as vendas do mercado americano em Setembro

Num mês histórico para o mercado norte-americano, a DC Comics leva a maior fatia da brincadeira e tem uma sonora vitória sobre suas concorrentes

Forever Evil #1Setembro pode ter sido o Mês dos Vilões na DC Comics, mas o desempenho da editora no mercado norte-americano de quadrinhos foi um trabalho digno da Liga da Justiça.

Publicando cerca de 151 revistas no mês (divididas entre mensais de os Novos 52, regulares alternativas e graphic novels), a editora fez de Setembro de 2013 o mês com o maior número de encomendas de revistas periódicas nos EUA em mais de 15 anos (o último mês com tantas encomendas foi Dezembro de 1997, quando a Image publicou 11 capas alternativas de Darkness #11)! Ao todo, o mercado americano de HQs vendeu cerca de 8,5 milhões de revistas em Setembro e 4 milhões foram da DC Comics.

Isso colocou a editora no topo absoluto do mercado, vendendo cerca de 45,17% de todas as revistas comercializadas e levando uma fatia de 40,39% de toda a grana movimentada nesse mês. Em segundo lugar veio a Marvel Comics (que publicou edições de sagas especiais EM TODAS AS SEMANAS DE SETEMBRO – em algumas semanas, duas edições de duas sagas diferentes!), com 29,83% das unidades vendidas e 28,49% da verba gerada – o que deixa a pergunta: se a Casa das Ideias não tivesse apelado para mega-sagas como Infinity e Battle of Atom, como ela teria sobrevivido à Setembro?

Mes dos Viloes CoringaQual a razão para esse desempenho extraordinário? O primeiro culpado atende pelo nome de “capa 3D”. Uma das atrações do Mês dos Vilões é que as edições publicadas pela DC Comics teriam capas alternativas 3D, simulando um pequeno movimento nas artes dessas capas. Além de obviamente aumentar o preço de cada edição (o que infla bastante esses 8,5 milhões de dólares gastos em Setembro), essas edições já nascem com um valor colecionável bem alto (a revista da filha do Coringa estava sendo vendida no eBay antes de ser lançada por mais de $32 dólares!). Como grande parte do mercado de quadrinhos norte-americano é composto por colecionadores, apostar num agrado assim rendeu muitos frutos.

Porém, como nem tudo são flores, todas as edições com capas 2D são retornáveis à editora em Setembro (as revistas com capas sem movimento que não foram vendidas vão voltar pra DC). Essas edições foram contabilizadas nas vendas desse mês, mas o impacto das devoluções deverá ser sentido nos próximos meses. Para a DC, resta comemorar o sucesso em Setembro (que foi o seu melhor mês desde em muitos e muitos anos – melhor até que o mês onde rolou o início de Os Novos 52!) e torcer para poucas revistas serem devolvidas.

Editoras % Unidades % Dólares
Marvel 29.83 28.49
DC Comics 45.17 40.39
Image 7.00 6.87
IDW 4.12 4.89
Dark Horse 4.04 4.76

No Top 10 de edições mais vendidas do ano, um empate entre Casa das Ideias e a sua principal rival. Cada uma colocou 5 edições no Top, com Forever Evil #1 liderando seguida pela saga Infinity da Marvel. Entre as revistas de vilões de Setembro da DC, um destaque para a galeria de vilões do Batman, que colocou 4 edições no Top.

HQs Mais Vendidas Editora
Forever Evil #1 (review) DC
Infinity #2 (review) MARVEL
Infinity #3 (review) MARVEL
X-Men: Battle of Atom #1 (review) MARVEL
Batman #23.1: The Joker DC
Batman #23.2: The Riddler
DC
Mighty Avengers #1 MARVEL
Batman #23.4: Bane DC
Avengers #19 (review) MARVEL
Batman #23.3: The Penguin DC

Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários