JBC publicará o livro de O Homem do Trem no Brasil em Agosto!

Leandro de Barros

  terça-feira, 16 de julho de 2013

JBC publicará o livro de O Homem do Trem no Brasil em Agosto!

Densha Otoko, a história sobre um otaku que se apaixona por uma mulher no trem e pede ajuda na Internet para conquistá-la, será publicada no Brasil pela JBC

Capa da versão em quadrinhos de O Homem do Trem

Capa da versão em quadrinhos de O Homem do Trem

Parece que essa história de trazer livros japoneses para o Brasil está virando moda – mas das boas, claro! Depois da editora NewPop anunciar o livro 1 Litro de Lágrimas e a editora Globo Livros anunciar o livro de Battle Royale, agora é a editora JBC que promete um projeto literário BEM legal pro público nacional.

Segundo a Folha de São Paulo, a JBC lançará na Bienal do Livro do Rio de Janeiro o livro Densha Otoko, ou O Homem do Trem. Escrito por Nakano Hitori (um pseudônimo – o nome é uma espécie de piada com o termo “Naka no hitori”, que se refere às pessoas que participam de um tópico em um fórum na Internet. Na verdade, não há ninguém creditado como “autor” do livro, além de Nakano Hitori), o livro é um dos maiores best sellers japoneses dos últimos anos e conta a história de um introvertido otaku que acaba salvando uma mulher de um velho bêbado num trem. Quis o destino, porém, que o jovem se apaixonasse pela mulher. Sem habilidades sociais e com muita timidez, o rapaz acaba procurando refúgio no 2channel, um dos maiores fóruns anônimos do Japão (algo como o 4Chan), e pede por ajuda dos outros usuários para poder conquistar a mulher da sua vida.

Densha Otoko já foi adaptado para outras mídias (são três mangás, um filme, uma peça teatral e uma série de TV!)  e agora chega ao Brasil na sua versão original. Ainda não há nenhuma informação sobre preço do projeto.

A Bienal do Livro do Rio de Janeiro rola entre os dias 29 de agosto e 9 de setembro desse ano.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários