JBC cancela Futari H e anuncia relançamento de Death Note e Love Hina

Leandro de Barros

  sexta-feira, 22 de março de 2013

JBC cancela Futari H e anuncia relançamento de Death Note e Love Hina

Editora descontinua a publicação de Futari H, mas vai relançar Love Hina no lugar e ainda promete Death Note Black Edition para os colecionadores

Death NoteDepois de muita agitação nas redes sociais, a editora JBC divulgou nessa sexta-feira um novo Henshin Online, vídeo onde o gerente de conteúdo da editora, Cassius Medauar, fala sobre futuros lançamentos e projetos da JBC.

Nesse novo vídeo, boas e más notícias para os fãs de quadrinhos japoneses no Brasil. A má notícia vem direto do cancelamento de Futari H, série adulta sobre a vida de um casal recém-casado. Depois de algumas edições lançadas no Brasil (e até de uma alteração na periodicidade da publicação), Futari H acaba sendo mesmo cancelado.

Porém, para suprir a posição “vaga” na agenda da JBC, um mangá bem conhecido no país: Love Hina. De acordo com Medauar, o mangá criado por Akamatsu Ken será relançado no país seguindo “mais ou menos” a mesma linha de publicação de Sakura Card Captor e Rurouni Kenshin. Ainda não há uma data para o recomeço de Love Hina nas bancas nacionais.

Outro mangá que também volta para o Brasil é Death Note, só que mais ou menos. Ao invés de republicar a obra de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata de maneira serializada, a JBC publicará no Brasil a edição “Black Edition” da série.

A principal diferença dessa versão para a versão “normal” da série é o fato de cada volume da Black Edition possuir dois volumes da versão tradicional. Serão então lançados 6 volumes da Black Edition com um papel especial e algumas páginas coloridas. Pelo anúncio da editora, ainda devemos esperar mais algumas novidades em relação à Death Note Black Edition.

Assista o vídeo da JBC abaixo:


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários