HQ com biografia de Steve Jobs sai na próxima semana em versão digital

Steve Jobs morreu.

Eu sei, é um choque, você não ouviu falar disso nos últimos dias em lugar nenhum. Acho até que a imprensa deve ter feito algum tipo de complô pra não divulgar essa notícia.

Eu entendo que o cara seja um dos gênios do nosso tempo. Eu concordo que ele revolucionou o mundo e que se não fosse por ele, nós provavelmente não estaríamos aqui hoje nos comunicando à distância tão facilmente. O homem criou e redefiniu indústrias. Eu próprio costumava usar uma frase dele como nota de “boas-vindas”, sempre que ligava meu celular: “Stay Hungry, Stay Foolish“.

A morte dele serviu também para deixar mais óbvio ainda dois péssimos hábitos da sociedade atual: a obrigação de pronunciamento de todo mundo e a comercialização da morte.

O primeiro hábito é óbvio: todo mundo comentou a morte do homem. Eu acho que todo mundo tem o direito de falar sobre o que quiser, mas não tem o dever de falar de nada. Blogs que nunca postaram nada sobre tecnologia colocaram “Steve Jobs morre“, quem sabia e quem não sabia quem era o homem, enfim. Todo mundo “teve” de falar alguma coisa, seja uma  piadinha ou um #RIPSteveJobs.

O outro hábito, que já começou na quarta-feira com a “corrida para fazer um post sobre a morte do Steve Jobs“, ganha novos capítulos a partir de agora: a editora Bluewater divulgou que vai começar a vender uma biografia em quadrinhos de Steve Jobs. Primeiro a HQ sairá em versão digital, já na próxima semana, para NOOK e Kindle. A versão impressa sai em 3 semanas.

Para “descontar”, a empresa disse que a HQ já estava em produções há algum tempo e que parte do lucro será revertido para a American Cancer Society. Steve Jobs: Co-Founder of Apple terá 32 páginas e arte de Chris Schmidt.

Outro que vai lucrar com o acontecimento é o Submarino, que decidiu adiantar o lançamento da biografia de Steve Jobs para o dia 24 de outubro e já até começou com a pré-venda do livro.

É, essa é a sociedade em que vivemos. Sociedade que Steve Jobs ajudou a criar.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...