George R.R. Martin: “Agora tenho mais flexibilidade para matar personagens”

Leandro de Barros

  sexta-feira, 22 de agosto de 2014

George R.R. Martin: “Agora tenho mais flexibilidade para matar personagens”

Autor brinca dizendo que estrutura dos novos livros vai permitir mais assassinatos

Se você é ligeiramente familiarizado com As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin, sabe que o autor americano (chamado por aí de “Tolkien dos EUA”) não tem escrúpulos sobre matar personagens. De todas as características do seu trabalho, essa é provavelmente a que chama mais atenção dos fãs. Ou pelo menos a que mais marca os leitores.

Imagine agora que eu digo que George R.R. Martin estava “se segurando”. Que ele não podia exatamente matar quem quissesse, quando quissesse – mas que esse cenário vai mudar nos próximos livros.

Num evento organizado pela sua editora, a Harper Collins, Martin explicou como os próximos acontecimentos da saga lhe darão mais flexibilidade na hora de ser um assassino:

Eu tenho um número grande de personagens importantes que vou revezando para contar a história na íntegra, e isso limita quem eu posso matar. Às vezes há um único personagem, que é meu ponto de vista em determinado cenário, e se eu descartá-lo tudo naquela subtrama em particular vai se perder.

Na forma como meus livros são estruturados, todo mundo estava junto, depois todo mundo seguiu caminhos diferentes, e a história se bifurca dessa maneira. Agora está chegando no ponto em que as tramas começam a convergir de volta. Os personagens com pontos de vista estão se encontrando entre si, no mesmo ponto e ao mesmo tempo, e isso me dá muito mais flexibilidade na hora de matar pessoas.

Dá pra dizer que eu não gostaria de viver em Westeros durante os próximos livros d’As Crônicas de Gelo e Fogo, não dá?

The Winds of Winter não tem data de lançamento definida ainda.


Já está nos seguindo no Twitter e no Facebook? Vem trocar uma idéia com a gente também no Botecão do Jack, nosso grupo no Facebook. Se quiser algo mais portátil, corre pro Telegram.

Comentários