George R.R. Martin: “Agora tenho mais flexibilidade para matar personagens”

Se você é ligeiramente familiarizado com As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin, sabe que o autor americano (chamado por aí de “Tolkien dos EUA”) não tem escrúpulos sobre matar personagens. De todas as características do seu trabalho, essa é provavelmente a que chama mais atenção dos fãs. Ou pelo menos a que mais marca os leitores.

Imagine agora que eu digo que George R.R. Martin estava “se segurando”. Que ele não podia exatamente matar quem quissesse, quando quissesse – mas que esse cenário vai mudar nos próximos livros.

Num evento organizado pela sua editora, a Harper Collins, Martin explicou como os próximos acontecimentos da saga lhe darão mais flexibilidade na hora de ser um assassino:

[quote]Eu tenho um número grande de personagens importantes que vou revezando para contar a história na íntegra, e isso limita quem eu posso matar. Às vezes há um único personagem, que é meu ponto de vista em determinado cenário, e se eu descartá-lo tudo naquela subtrama em particular vai se perder.

Na forma como meus livros são estruturados, todo mundo estava junto, depois todo mundo seguiu caminhos diferentes, e a história se bifurca dessa maneira. Agora está chegando no ponto em que as tramas começam a convergir de volta. Os personagens com pontos de vista estão se encontrando entre si, no mesmo ponto e ao mesmo tempo, e isso me dá muito mais flexibilidade na hora de matar pessoas.[/quote]

Dá pra dizer que eu não gostaria de viver em Westeros durante os próximos livros d’As Crônicas de Gelo e Fogo, não dá?

The Winds of Winter não tem data de lançamento definida ainda.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...