Dave Gibbons diz que Before Watchmen não faz parte do cânone da série

Nos últimos capítulos da novela “Before Watchmen é ou não Watchmen?”: A DC comics decidiu reunir seu melhor staff pra produzir prelúdios dos personagens de Watchmen. Alan Moore disse que tudo não passava de palhaçada e ganância e que estavam corrompendo a sua obra. Dave Gibbons participou da brincadeira. Editores da DC responderam Alan Moore. Alan Moore provocou novamente. Maria Rita descobriu que estava grávida de Arisclenes. Pereirinha armou para acabar com o casamento de Modesta e Benedito.

Em uma entrevista ao Eurogamer (assista aqui!), o artista Dave Gibbons (desenhista de Watchmen) abriu o verbo e falou algo que o pessoal da DC, e alguns fãs por aí, não vão gostar de ouvir. Segundo Gibbons nada que foi feito com o nome de Watchmen, nem o game, nem o filme, nem os prelúdios, são parte do cânone da série.

“[O filme] estava um pouco fora do meu controle, mas eles me pagaram muito dinheiro para ser um consultor. Eu olhei para duas cenas e fiz uns rascunhos para mostrar como eu desenharia. Foi pra isso que eles me pagaram… bem, eu ficaria envergonhado em dizer quantos milhares de dólares eles me deram. Mas eu fui um consultor à distância.

Pra mim, qualquer coisa relacionada com o filme – até onde me interessa, o que Alan e eu fizemos foi a graphic novel e algumas ilustrações que sairão na mesma época. O resto – o filme, o game, os [risos] prelúdios – eles não são canônicos. São auxiliares. Eles não são Watchmen, são algo diferente“.

Gibbons ainda disse uma outra frase que eu considero muito interessante: “Eu fiquei bem feliz com o game, sim, eu gostei de umas coisas e não gostei de outras, mas tudo bem, porque não foi nada que manchasse o que nós tínhamos feito“.

Ou seja, Dave Gibbons não tem problema nenhum em receber um monte de dinheiro da DC para não fazer nada, já que é possível levar todas as iniciativas da editora nessa espírito: pode ser bom, não há problema em dar uma olhada, mas não muda nada em Watchmen. Resumindo: um troll de primeira categoria.

The Handmaid’s Tale – Review – 1ª Temporada

Começa numa perseguição de carro e continua numa perseguição a pé, uma família acuada tenta fugir de seus perseguidores se embrenhando na floresta, a tensão...

Agents of SHIELD – Review – 4° Temporada

Magnifica! É a primeira palavra que me vem à mente para descrever a série Agents of SHIELD, uma série que começou com uma pegada totalmente...

Crítica | Resident Evil 6 – O Capítulo Final

Resident Evil 6 – O Capítulo Final, dirigido por Paul W. S. Anderson e levemente baseado no jogo de vídeo game do mesmo nome,  é...

Desventuras Em Série – Crítica – 1° Temporada

A quase 12 anos atrás, chegava ao cinema a adaptação de um dos maiores sucessos literários da história. “Lemony Snicket’s A Series Of Unfortunate Events”,...

Resenha de Como Tatuagem, de Walter Tierno

Walter Tierno é autor nacional, publicou dois livros pela Giz Editorial (Cira e o Velho e Anardeus – No Calor da Destruição) e agora, pela...

Resenha de Além-Mundos, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld é, atualmente, um dos escritores que considero consistentes a ponto de ler seus livros sem saber exatamente do que se tratam e ainda...